Boletim de informações COVID-19 n° 787 Tatuí, 05 de agosto de 2022, sexta-feira, 11h00

5 PACIENTES HOSPITALIZADOS
217 INFECTADOS EM TRATAMENTO
8 DIAS SEM ÓBITOS PELA COVID-19
214 CASOS CONFIRMADOS EM 7 DIAS
30,57 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quarta-feira, 29 de junho de 2022

Acusado de matar jovem com soco-inglês é condenado por lesão corporal seguida de morte em Tatuí

Crime ocorreu em uma discussão em frente a um posto de combustíveis no dia 21 mês de julho de 2018. João Paulo Provasi foi atingido e morreu 15 dias após o ocorrido.

Por g1 Itapetininga e Região, com edição do DT



29/06/2022 |  O homem acusado de matar um jovem de 26 anos com um soco-inglês foi condenado a quatro anos em júri realizado no Fórum de Tatuí na terça-feira (28) e teve quase cinco horas de duração.

De acordo com o Tribunal de Justiça, Pablo Hernandez Franson foi condenado por lesão corporal seguida de morte. Ele cumprirá a pena em regime inicial aberto.

O g1 entrou em contato com a defesa do acusado, que preferiu não informar se irá recorrer da decisão da Justiça.

Pablo Hernandez Franson foi condenado por Lesão corporal seguida de morte — Foto: Arquivo Pessoal

Soco-inglês

Segundo a investigação, o crime ocorreu durante uma discussão em frente a um posto de combustíveis localizado na Rua Onze de Agosto, no dia 21 mês de julho de 2018.

Uma câmera registrou o momento em que Pablo atinge o João Paulo Provasi Vieira com um soco-inglês. Com o impacto, o jovem cai desacordado e é encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia de Tatuí.

João Paulo Provasi Vieira morreu ao receber um soco-inglês em Tatuí — Foto: Mariana Silva/ Arquivo Pessoal


Após quinze dias do ocorrido, João Paulo morreu por conta do traumatismo craniano.

Segundo Mariana Rodrigues, irmã da vítima, o desentendimento começou depois que o jovem bateu em uma moto. O rapaz chegou a pedir desculpas, mas foi repreendido pelo grupo, afirmou a parente.

"No dia da agressão, a GCM chegou a ir ao local, mas não registrou nenhum boletim. Desde o início do processo, percebemos um descaso por parte das corporações", desabafou Mariana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário