Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Leitura dramática lota Sala Preta, do Setor de Artes Cênicas

Pela primeira vez, evento da instituição contou com interpretação em libras



A Sala Preta do Setor de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí sediou na sexta-feira, 3, uma leitura dramática. A ação abriu temporada do projeto “Realismo Fantástico” da Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí, marcando o início dos preparativos para apresentação do espetáculo “O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru”, de Aldomar Conrado.

A leitura dramática reuniu atores da Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí e alunos do setor de artes cênicas, sob direção de Dalila Ribeiro e coordenação de Rogério Vianna. O evento lotou o espaço e, pela primeira vez, teve interpretação em libras. “Recebemos um grupo de alunos da escola ‘José Celso de Mello’, o que nos permitiu realizar uma ação antes da leitura. Uma palestra sobre dramaturgia e a estrutura de um texto teatral foi realizada para que os alunos pudessem entender um pouco de como é um texto teatral. Outra atividade inédita, tanto para a escola como para o setor, a participação de uma aluna com deficiência auditiva que pode acompanhar a leitura por meio de uma intérprete de libras”, destacou Rogério Vianna.

A realização da Leitura Dramática busca fomentar a compreensão do texto dramático. Trata-se da primeira fase do projeto “Realismo Fantástico”, objeto de trabalho da companhia, que escolheu esse título diante da pesquisa realizada por meio da obra de Aldomar Conrado na qual a fusão entre a realidade narrativa se mistura com elementos fantásticos e fabulosos, não tanto para reconciliá-los como para exagerar sua aparente discordância. A segunda etapa do projeto será realizada por meio de sarau (agendado para o dia 29 de junho) e a terceira e última, terá início em 23 de setembro com a estreia do espetáculo.

A Cia. de Teatro é integrada por quatro atores e por 15 alunos convidados. No ano passado, o grupo desenvolveu trabalho com obras de Plínio Marcos, que apresentam personagens que se mostram à margem da sociedade. “Em 2016, a pesquisa em torno da temática proposta pela Cia supõe uma noção comum de ‘realidade’, trazendo implícito um questionamento da ‘verdade’”, destaca o coordenador Vianna.

“A ideia da Cia é que, após ter acesso aos personagens marginalizados de Plínio Marcos, agora aprofunde a verdade e o fantástico, não se esquecendo da profissão do ator que busca a reflexão do público e de si mesmo, dentro da coletividade”, afirma ele.


O Realismo Fantástico sempre esteve presente na literatura, mas foi desenvolvida com esplendor na literatura latinoamericana dos anos 60 e 70. Desta forma, o realismo fantástico surge como uma forma de reação, utilizando o elemento mágico como reforço das palavras contrárias aos regimes dos ditadores. Outro aspecto que influenciou o realismo mágico foi a discrepância entre cultura da tecnologia e cultura da superstição que havia na América Latina naquela época.

O texto faz alusão à crítica social política brasileira escrita por Conrado entre os anos de 1967/68, que se apresenta recente no cenário político nacional, porém, a obra do dramaturgo homenageia a cultura nordestina, riquíssima em imaginação e na cultura popular. A obra foi inspirada em dois livros de William Shakespeare: “A Comédia dos Erros” e Macbeth”.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário