Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

terça-feira, 28 de junho de 2016

Grupo de Trabalho do bambu elaborará projeto de unidade agroambiental industrial em Tatuí

O Grupo de Trabalho criado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo para promover a cultura do bambu realizou sua terceira reunião, na quinta (23), na sede da pasta, na capital paulista. Entre as principais atribuições do GT está a elaboração de um projeto técnico para a implantação de unidade agroambiental industrial junto à Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD) da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), em Tatuí.

O objetivo é criar iniciativas para melhorar as condições de produção agrícola de forma sustentável. O grupo deverá, também, em parceria com instituições de ensino e com a cadeia produtiva, realizar um diagnóstico da cultura no Estado de São Paulo e propor a formatação de um Plano de Integração para a Cadeia Produtiva do Bambu.

Além disso, desenvolverá estudos envolvendo novas técnicas de produção e manejo para o plantio de mudas, recomposição da reserva legal, estabilização do solo e combate à erosão, recuperação de matas ciliares e sua aplicação em fontes de energia, biomassa, celulose e revestimento.

O encontro na Secretaria teve a presença do secretário-adjunto de Agricultura, Rubens Rizek Jr., e de membros da Associação Brasileira dos Produtores de Bambu (Aprobambu) e técnicos da Secretaria. O Grupo quer desenvolver e implementar programas e projetos voltados à melhoria das condições de produção agrícola, envolvendo novas técnicas de manejo e exploração do produto no Estado - visando o desenvolvimento do pequeno produtor paulista.

De acordo com Rizek, embora o Estado de São Paulo tenha diversos pontos com reservas naturais de bambu, seu manejo ainda é incipiente e carece de ações efetivas para demonstrar ao produtor rural os benefícios que a cultura pode proporcionar. “O bambu é um material bastante versátil e poderá conferir maior competitividade à nossa indústria, com o desenvolvimento de novos produtos. Além disso, é uma excelente opção de agricultura limpa e sustentável, sem contar que possibilita ao pequeno produtor a oportunidade de agregar maior valor a sua produção, com a ampliação de emprego e renda”, afirmou Rubens Rizek.

Para Guilherme Korte, presidente da Aprobambu, parceira da Secretaria de Agricultura na elaboração do Plano de Trabalho, o Estado de São Paulo deve investir no potencial do bambu para o desenvolvimento econômico, tanto para aumentar a renda do produtor rural, quanto para gerar matéria-prima para a indústria com a fabricação de produtos com maior valor agregado. “A cultura proporciona retorno em dobro para os produtores e para os empresários, pois além da vantagem financeira, estarão ajudando o meio ambiente”, ponderou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico do município de Atibaia, que também integra o grupo, Lívio Giosa, ressaltou que as reuniões do GT são mais uma etapa que avança em direção ao cumprimento dos compromissos firmados pelo Protocolo de Intenções assinado entre a Secretaria de Agricultura e a Associação, no dia 15 de dezembro de 2015, com o objetivo de fomentar o cultivo de bambu. “Podemos estar diante de um novo ciclo de ouro, o País dispõe de grandes reservas naturais de um produto que é altamente versátil, com potencialidades infinitas. A pesquisa e o mercado reunidos neste GT vão trazer as respostas que precisamos”, disse.

Também participaram da reunião: Celso Antônio Abrantes, Marcelo de Almeida Carvalhal e Rodrigo dos Santos, da Universidade Presbiteriana Mackenzie; Gustavo de Oliveira, aluno de pós-graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP); Élio Vieira dos Santos, da Associação Brasileira dos Produtores de Bambu (Aprobambu); Maristela Gava, Juliana Cortez Barbosa e Elen Aparecida Martinez Morales, professoras da Universidade Estadual Paulista (Unesp) "Júlio de Mesquita Filho"; Antônio Ludovico Beraldo, professor da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", da Universidade de São Paulo (Esalq/USP); Conny de Wit, da SBN Brasil e Danilo Candia, da BambuCo. Representaram a Secretaria de Agricultura: Pedro Taques, da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD) de Tatuí; Marcelo Ticelli, da Apta, e Luís Gustavo de Souza Ferreira, da assessoria técnica da Pasta. 
Fonte: SAA/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário