Boletim de informações COVID-19 n° 775 Tatuí, 13 de maio de 2022, sexta-feira 11h00

27.351 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
26.733 PACIENTES RECUPERADOS
502 ÓBITOS CONFIRMADOS
116 INFECTADOS EM TRATAMENTO
26,42 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

sábado, 14 de maio de 2022

Música na Praça recebe o duo "Natália Campos e Joseval Paes" no sábado 14/05)

O concerto intitulado “Play On – One Live to Live” terá início, como de costume, às 11h, na Praça da Matriz.

Concerto intitulado "Play On - One Live to Live" será produzido pelo Duo Natália Campos e Joseval Paes.


12/05/2022 - Um repertório com muito Jazz e musicais da Broadway poderá ser apreciado, neste sábado (14/05), em mais uma edição do projeto “Música na Praça”, ação cultural da Prefeitura de Tatuí. O concerto intitulado “Play On – One Live to Live” será produzido pelo Duo Natália Campos e Joseval Paes, e terá início, como de costume, às 11h, na Praça da Matriz.

Na voz soprano de Natália, acompanhada de Joseval na guitarra e no violão, serão apresentadas músicas atemporais, elaboradas de forma inteligente e refinada, em que as construções da harmonia, dos arranjos e das interpretações vocal e teatral serão executadas transmitindo a importância delas para a sociedade, bem como a estética, a história e as emoções.

O concerto foi criado com o intuito de “fomentar a cultura e estimular as pessoas para que conheçam estes gêneros musicais e, caso não os conheçam, para que possam ouvi-los e apreciá-los”, explica a proponente Natália Campos, que ainda ressalta que a apresentação “é para todos, sem exceção, é abrangente, é inclusiva”.

O Duo Natália Campos e Joseval Paes recebeu recursos por meio do Edital de Cultura nº 02/2021, Concessão de Prêmios Inciso III, da Lei Aldir Blanc (LAB); e tem o apoio cultural da Prefeitura de Tatuí.


Natália Campos – Graduada em Artes Plásticas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Tatuí (2008), formou-se no Conservatório local nos cursos de “Canto Lírico”, como soprano (2014), e “Aperfeiçoamento em Árias de Musicais da Broadway” (2015), ambos sob orientação de Marilane Bousquet; “Regência Coral” (2011), com Cadmo Fausto; “Musicalização Infantil” (2008), com Darli Paulillo; e “Teclado” (2006), com Meire Varella.

Ela cursou também “Piano MPB/Jazz” (2007 a 2009), sob orientação de Marisa Gurgel, “Aperfeiçoamento Vozes Negras do Jazz – Interpretação e Improviso Vocal” (2021), sob orientação de Cyntia Borgani (EUA).

Em sua formação teve aulas com os professores: Uirá Kuhlmann (BRA), Gabriel Levy (BRA), Luca De Liberali (ITA), Chista Coogan (Alemanha), James Harding (EUA), Ari Colares (BRA), Renata Mattar (BRA), Estêvão Marques (BRA), Oriol Ferré (ESP), Hector Costita (ARG), Mara Campos (BRA), Sônia Campos (BRA) e Joseval Paes (BRA). Além disso, participou de Masterclasses ministrados por João MacDowell (BRA), Rachel Inselman (EUA), Andrea Kaiser (BRA), Laura de Souza (BRA), Lício Bruno (BRA), Rosemeire Moreira (BRA), Marta Herr (EUA) e Michael Axelsson.

Natália fez parte do Coro do Conservatório de Tatuí (2006-2011, 2018) e cantou sob regência de: Cadmo Fausto, Rodrigo Carvalho, João Maurício Galindo, Roberto Tibiriçá, Martinho Lutero, Luís Marchetti, Edson Beltrami, Richard Markson, Juliano Arruda Campos e Adriano Machado. Alguns de seus principais trabalhos são: “Canções de Jazz”, “MPB”, “Árias de Musicais da Broadway”, “Vésperas Solenes” e “Réquiem de Mozart, Réquiem de Fauré”; além das Óperas: “Dido e Aeneas”, “Orfeu e Eurídice”, e “O Sétimo Selo”.

Joseval Paes – Guitarrista, Joseval Paes também toca Baixo Elétrico e Violão. Iniciou seus estudos musicais aos 10 anos de idade com seu pai, José Paes (Pernambuco), tendo o violão como seu primeiro instrumento. Junto ao seu pai, habituou-se, a partir de 1981, a frequentar o “ponto dos músicos”, tradicional encontro de artistas na Praça da Sé, assim como o famoso ponto da Ipiranga com a Avenida São João, onde acostumou-se a ouvir histórias musicais dos assíduos frequentadores. Ainda em 1981 começava a “dar canjas” na vida noturna e a tocar instrumentos de percussão em bandinhas (grupos especializados em shows circenses e eventos comerciais).

A vida de um músico “da noite” exigia um repertório bastante diversificado com, aproximadamente, 200 sambas, 50 boleros, 50 standards de filmes norte-americanos, 100 bossas, 50 chá chá chás, 20 tangos, 20 mambos, 20 maxixes, choros diversos, marchas de carnaval, valsas, músicas italianas, francesas, entre músicas da “moda”. A exigência de se tocar todas estas músicas em todos os tons, conferiu a Joseval uma infinidade de elementos harmônicos, melódicos e rítmicos, decisivos em seu aprendizado musical.

Estudou o método “Isaías Sávio” de violão erudito, um compêndio de peças para violão solo e “Escola Moderna do Violão”, do mesmo autor. Esses métodos viriam reforçar e ampliar sua habilidade técnica com as mãos.

Em 1982, passa a ter uma grande paixão musical, que marcou sua vida: o jazz norte-americano. A partir daí, iniciou na busca pelos grandes mestres do estilo, passando a ouvir milhares de discos na tentativa de reproduzir aqueles sons e tendo influência de Wes Montgomery, George Benson, Joe Pass, Oscar Peterson, Chet Baker, Count Basie, Dexter Gordon, Tom Jobim, Lúcio Alves, Dick Farney, Cézar Camargo Mariano, Elis Regina, Johny Alf, Tito Madi, Pixinguinha, Ataulfo Alves, Hermeto Paschoal, Chico Buarque, Noel Rosa, Ivan Lins, dentre outros.

No ano de 1993, encontrou a parceria musical que seria a mais intensa e constante em sua vida e que se estende aos dias atuais: o saxofonista argentino Hector Costita, que ao longo desses anos tem como encontro marcado de apresentações a tradicional casa de Jazz em São Paulo, “All of Jazz”. Além da grande paixão pelo Jazz, com Hector ele participou de uma infinidade de eventos musicais no Brasil e no exterior com grupos, clubes e orquestras em que atuou, tais como: Clube “Piratininga”, “Lillas Clube”, Orquestra “Colúmbia”, “Toscano e sua Orquestra”, Orquestra “Carinhoso”, “Cantina Vico do Scugnizzo”, “Karaokê Kyoto”, “Orquestra de Osmar Milani”, Banda “Reveillon”, Orquestra “Francisco Petrônio”, Orquestra “Maestro Tíbor”, “Clodo e sua Orquestra”, Orquestra “Show Cubana”, “Avenida Club”, Orquestra “Maestro Azevedo”, “Shining Brass Band”, Orquestra “Maestro Élcio Álvares”, Orquestra “Maestro Zezinho”, “Gallery Band”, Orquestra “Clóvis e Ely”, Grupo “Roda Viva”, Grupo “Saint Paul”, “Italian Music Show”, “Shimon Lavi” – grupo especializado em festas na colônia judaica, “Sammys Band”, “Osvaldo Sargenteli e suas mulatas”, “Osvaldo Sândoli e sua orquestra”, “Abelardo Figueiredo Shows”, “Sam Jazz”, “Big Band Sampa”, “Ed Costa Orquestra”, “All Stars Jazz Band”, “Eureka Street Band”, “André Busik Hot Line Jazz Band”, “Swiss Collegie Dixie Band”, entre outros.

Atuou tocando música instrumental com Arismar do Espírito Santo, Zé Ro Santos, Wilson Teixeira, Valmir Gil, Odésio Jericó, Bauru, Nahor Gomes, Bob Wyatt, Cuca Teixeira, Edu Ribeiro, Pepa Delia, Conrado Paulino, Pepe Baconau, Silvinho Mazuca, Thiago Costa, Fábio Torres, Celso de Almeida, Paulo Paulelle, Jorge Savedra, Sílvio Fats, Lito Robledo, Michel Leme, Jarbas Barbosa, Moacir Peixoto, Rubens Barsotti, Luís Chaves, Itamar Colaso, Célio Barros, Rodrigo Botermaio, Rogério Botermaio, Ademir Cândido, Laércio de Freitas, Lelo Izar, Vinícius Dorin, Nélson Aires, Roberto Sion, Fernando Correia, Toninho Pinheiro, Boneca, Chu Viana, Roberto Dantas, Rodrigo Ursaia, Roland Wagner, Valter Pinheiro, Arrudinha, João de Deus, Nelson Rubo, Jovito, Alonsito, Roberto Galhardi, Bira, Osmar Barutti, Conrado Paulino, Luiz Chaves, Edmundo Villani Cortês, dentre outros.

Nas casas de Jazz atuou em: “Ao Vivo Music”, “Opus 2001”, “Sanja Jazz Bar”, “Jazz and Blues”, “Café Piu Piu”, “Baiuca”, “Blue Night”, “Bourbon Street”, “Melograno Jazz Bar”, “All off Jazz”, “Tom Tom Jazz Bar”, “Teta Jazz Bar”, “The River Café – New York”, entre outras.

Joseval trabalhou com os cantores Agnaldo Rayol, Ivete Matos, Ralf, Francisco Petrônio, Cristina Campos, Roberto Leal, Mário Armstrong Jr., David Gordon, Ísis Gordon, Tony Gordon, Celso Miguel, Geana Viscardi, Babi Reis, Vera Lúcia, Mara Melgis, entre outros.

Atuou nas seguintes Escolas de Música: Conservatório do Morumbi (1985), Conservatório da Mooca (1985), Clam – Escola de Música dirigida pelo grupo Zimbo Trio (1991 a 1993), e Conservatório de Tatuí (2002 até os dias atuais).

O músico tocou e ministrou aulas em vários Festivais de Música: Festival de Inverno de Campos do Jordão (2002 e 2003), Festival de Inverno de Presidente Epitácio (2003), e Festival de Inverno e Curso de Férias de Tatuí (2004 a 2006). Desde 1992 desenvolve um método próprio de ensino musical, ministrando aulas em domicílio de violão, de guitarra, de contrabaixo e de piano.

Em 2014 completou 20 anos de parceria com o saxofonista Hector Costita, tendo realizado mais de 2 mil apresentações em todo o Brasil. Mantém o “Joseval Paes Trio” (com Heverton Silveira, na bateria, e Felipe Brisola, no contrabaixo). É professor de guitarra e contrabaixo elétrico de MPB & Jazz no Conservatório de Tatuí, onde também é guitarrista da “Jazz Combo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário