Boletim de informações COVID-19 n° 795 Tatuí, 30 de setembro de 2022, sexta-feira, 11h00

1 PACIENTES HOSPITALIZADOS
5 INFECTADOS EM TRATAMENTO
46 DIAS SEM ÓBITOS PELA COVID-19
4 CASOS CONFIRMADOS EM 7 DIAS
0,57 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 13 de setembro de 2022

Casa de Apoio de Jaú será inaugurada nesta quarta-feira (14)

A Casa de Apoio ao Tratamento de Câncer de Tatuí - Gildete Spuri de Abreu localiza-se a 400 metros do Hospital Amaral Carvalho.


Casa de Apoio ao Tratamento de Câncer de Tatuí - Gildete Spuri de Abreu, em Jaú (DI/PMT)


13/09/2022 | A Prefeitura de Tatuí irá inaugurar, às 10h desta quarta-feira (14/09), a Casa de Apoio ao Tratamento de Câncer de Tatuí Gildete Spuri de Abreu, no município de Jaú.

A Casa servirá de apoio para a permanência dos pacientes tatuianos que realizam tratamento oncológico no Hospital Amaral Carvalho, em Jaú (SP), e para os seus acompanhantes. Ela será administrada por meio de uma parceria entre a Prefeitura e a Litac (Liga Tatuiana de Assistência aos Cancerosos).

Localizada a apenas 400 metros do hospital, a residência, bem arejada e ampla, terá toda a estrutura necessária para bem receber os pacientes com: três quartos, sala com cama hospitalar motorizada e cadeira de rodas, sala de TV, sala de jantar, banheiros adaptados com sanitário elevado, ducha higiênica e assento retrátil para banho, além de banheiro para funcionários, cozinha equipada com forno elétrico, geladeira, micro-ondas, fogão industrial e freezer, serviço de internet, garagem, área de convivência, área de serviço com máquina de lavar, e quarto para motoristas.

Na residência, os tatuianos que agendaram pernoite e alimentação, terão à disposição – além de um lugar para descansar durante o tratamento – as refeições básicas (café da manhã, almoço e jantar).

A casa alugada pela Prefeitura foi toda revitalizada, com serviços de limpeza, pintura, adequação e mobília, com materiais doados por clubes de serviços, empresários, pessoas físicas e pelo Fundo Social de Solidariedade de Tatuí. Além disso, para um tratamento humanizado, haverá o apoio de uma governanta, de um vigia e de um zelador, que foram contratados por intermédio de um convênio firmado entre a Prefeitura e a Litac.

“Temos certeza de que estamos dando um passo importante em oferecer dignidade para as pessoas que precisam desse serviço, sabemos como é sofrido passar o dia em Jaú, em uma praça, após uma sessão de quimioterapia ou radioterapia, por exemplo. Agradeço a todos os que colaboraram para que essa casa fosse viabilizada”, comentou o prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior.

Os pacientes oncológicos que desejam se hospedar ou se alimentar na Casa, devem fazer o agendamento quando forem reservar o transporte na Frota Municipal, ou então, podem entrar em contato com a Secretaria de Direitos Humanos, Família e Cidadania, pelo telefone (15) 3259-8407. A Casa de Apoio ao Tratamento de Câncer de Tatuí Gildete Spuri de Abreu está situada na Rua Francisco Carvalhaes de Paiva, nº 140, Chácara Braz Miraglia, Jaú.

Gildete Spuri de Abreu – Nasceu em Itapuí (SP), em 10 de novembro de 1949, casada com Mario Luiz de Abreu na cidade de Tatuí, em 19 de março de 1969, onde passou a chamar-se Gildete Spuri de Abreu. Filha de Mario Spuri e Clarice Canella Spuri. Teve 2 filhos, Antonio Marcos de Abreu e André Spuri de Abreu. Gildete Spuri de Abreu estudou o curso ginasial no Ginásio Estadual Senador Vicente Prado, em Itapuí-SP, terminou em 16/12/1965; formou-se professora, em 30 de dezembro de 1968, no Instituto de Educação Estadual Caetano Lourenço de Camargo, na cidade de Jaú (SP). Em 1969, após se casar em 19 de março do mesmo ano, começou a dar aulas no Mobral, em Tatuí. Em 1970, foi professora no curso Primário de Aplicação no IEE Barão de Suruí. Em 1971, mudou-se para a cidade de Osasco (SP), onde foi lecionar na Escola Estadual Cidade Monitor Junior II até 1973. Em 1974 e 1975 lecionou na Escola de Emergência, de Santana de Parnaíba (SP). Em dezembro de 1975 voltou a morar em Tatuí, onde junto com seu esposo Mário Luiz de Abreu passou a ser uma microempresária no ramo de doces, sendo seu ponto comercial na rua XI de Agosto, nº 476. Em momento posterior, descobriu um câncer através de exames realizados no cerebelo. Iniciou o tratamento e realizou duas cirurgias. Após a última cirurgia, ficou tetraplégica por anos e, mesmo assim, deu continuidade no tratamento, sendo internada por muito tempo em hospitais, como o Amaral Carvalho, de Jaú, e o Albert Einstein, de São Paulo. Lutou por anos combatendo a doença, mas chegou a falecer no dia 10 de junho de 1991. Foi sepultada em Tatuí, no Cemitério Cristo Rei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário