Boletim de informaç0ões COVID-19 n° 628 Tatuí, 17 de domingo de 2021, sábado - 11h00h

18.331 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
17.862 PACIENTES RECUPERADOS
456 ÓBITOS CONFIRMADOS
13 INFECTADOS EM TRATAMENTO
3,28 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

domingo, 19 de setembro de 2021

Mulher diz à polícia que marido enterrou cachorro vivo porque achou que estava morto após briga com pit bull

Mulher do suspeito disse que levou o animal ao veterinário, mas desistiu do tratamento por conta do preço. Cão foi encontrado às margens de rodovia em Tatuí com corte profundo no pescoço.

Por Rafaela Zem*, G1, com edição do DT

Foto: União Protetora dos Animais (UIPA)/Divulgação

18/09/2021 |  A esposa do homem suspeito de enterrar um cachorro vivo às margens da Rodovia Antônio Romano Schincariol, em Tatuí, disse à polícia que o marido teve essa ação porque acreditou que o cão estava morto depois ter ficado muito ferido após uma briga com outro cão.

Segundo o relato da mulher à polícia, o cachorro da raça dachshund (conhecida popularmente como salsicha) ficou ferido em uma briga com um pit bull, e por isso, tinha um corte profundo no pescoço.

Ao G1, o delegado responsável pelo caso, José Luiz Silveira Teixeira, contou que a mulher disse que o seu marido enterrou o cachorro no último domingo (12), pensando que o animal já estivesse morto.

Aos policiais, a mulher ainda informou que, depois da briga com o pit bull, o casal levou o cachorro ao veterinário, mas por conta do preço estabelecido para o tratamento, retornou para a casa e decidiu enterrar o animal.

"Ela se mostrou bastante arrependida, mas o mal já está feito. É como se a pessoa pensasse: 'deu despesa? Vou me livrar do animal'. Demostraram muita insensibilidade", contou o delegado.

Após o depoimento da esposa, o homem compareceu à delegacia de polícia na tarde desta quinta-feira (16), onde prestou depoimento e foi liberado.

O delegado afirmou ainda que aguarda os laudos veterinários para dar continuidade ao processo e que o homem será investigado pelo crime de maus-tratos.

Enterrado vivo

De acordo com a União Protetora dos Animais (UIPA), o animal de aproximadamente 6 anos foi encontrado por um casal de Itapetininga que passava pela rodovia no domingo (12).

Segundo o boletim de ocorrência, o casal viu um homem com uma enxada nas mãos, na altura do quilômetro 28, e parou para verificar a situação.

Conforme o BO, o casal fez perguntas ao homem, mas ele colocou a enxada no porta-malas do carro e saiu rapidamente do local. Logo depois, os moradores encontraram um monte de terra com uma pequena parte da cabeça do cachorro, que estava desnutrido e agonizava, segundo a associação.
Ainda de acordo com o registro policial, o casal cavou o buraco e resgatou o cão. Os moradores continuaram a viagem que faziam até a casa de parentes em Boituva e, na segunda-feira (13), levaram o animal até o Ambulatório Municipal Pet de Itapetininga.

Segundo a prefeitura, o cão recebeu cuidados como aplicação de soro, assepsia, sedação e curativo. Depois, em parceria com a UIPA, ele foi transferido para uma clínica em Botucatu para tratamento especializado.

Na quarta-feira (16), o Menino, nome dado pela equipe da UIPA ao cachorro, passou por uma cirurgia de reconstrução do pescoço, procedimento que durou mais de cinco horas.

De acordo com a UIPA, a cirurgia foi difícil porque a equipe teve que retirar parte da pele para enxertar os ferimentos do pescoço, que ficou infeccionado após a mutilação e contato com a terra.

Apesar do procedimento invasivo, o Menino resistiu e está sendo monitorado por profissionais. Por conta da cirurgia, o cão está se alimentando por meio de sonda esofágica e o estado de saúde dele é grave, segundo a ONG.

*Colaborou sob supervisão de Júlia Nunes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário