Boletim de informações COVID-19 n° 782 Tatuí, 01 de julho de 2022, sexta-feira, 11h00

8 PACIENTES HOSPITALIZADOS
492 INFECTADOS EM TRATAMENTO
0 DIAS SEM ÓBITOS
484 CASOS CONFIRMADOS EM 7 DIAS
69,14 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 28 de setembro de 2021

CD peregrino de Paulo Flores e Cambanda Jazz Combo conta e canta 20 anos de Conservatório de Tatuí

Novo CD Paulo Flores e Cambanda Jazz Combo



SEXTANDO

Um causo meio novela

Passar a régua, fechar a tampa ou melhor:

- Manda a saideira e a dolorosa!

Assim me deparei com minha própria história, na coisa de repensar projetos no claustro concebido por um insignificante vírus, onde já se qualifica significância como fator altamente relativo. Estava pronto pra entrar no estúdio, novos arranjos, novas músicas, novos parceiros, mas o insignificante significou determinante e o ProAC que ganhei em 2019 pra produzir o Sextando tomou outro rumo, não norte desta vez! Em 1999 lancei o Rumo Norte meu 1º CD autoral e na sequência comecei a trabalhar no 2º com a Cambanda. Entramos no estúdio do Celso Veagnoli, nos idos de 2002 com a Cambanda de então, Tatu, Fabinho, Frigério, Sintia, João Paulo, Cesar, Rodrigos Donato e Digão e assim começamos com Tangatu de Maratan, Choros 2 do Villa, De uma pra Outra e Paolla, uma primeira fase, depois, lá pra 2004 entramos no estúdio do Neves, com a formação Cris, Xande, Felipe, Sintia, João, Cesar, Richard, Donato e continuamos com Supernova, Cuba, El niño, Fandango e Sexta essa que dá nome ao projeto, o primeiro “causo chorus” da história, “solado” pelo Paulo Freire, uma rapiora na floresta. Parece que inventei o “sextou”, né? Mas por duas vezes os naipes gravados foram perdidos e então deixei pra depois. Com a morte súbita e descabida do Donato esse depois se tornou o agora, achei partes dessas gravações e comecei a trabalhar em cima delas, afinal será o último registro desse cara que era um, muito amigo, meio filho, de certo grande irmão, no auge da sua técnica.

O projeto Sextando é formado por 7 músicas de duas fases de gravações: 4 da primeira fase, Tangatu de Maratan, Choros 2 Villa e De uma pra Outra e Paolla e 3 da segunda fase onde só restou as gravações do baixo, batera e percussão, que se transformaram no alicerce dos novos arranjos com a participação do Esdras Rodrigues violino e rabecas, Paulo Braga piano, Paulinho Bastos percussão e Paulo Freire no chorus-causo de Sexta.

Flores criou um formato inédito para esse projeto o trio, EP, Videoclipe e Resenha Sonora, sua busca pela música surreal o levou a produzir vídeos para divulgação das músicas, dos EPs, vídeos curtos com mais ou menos um minuto, onde poderia, através das imagens, aproximar o ouvinte do surrealismo. Mas como não queria usar um trecho da música, do EP, resolveu fazer outra versão com uma produção toda sua, em seu estúdio. Assim passou a criar novos arranjos minimalistas, onde pode contar a história da música de forma resumida. Começou a produzir essas estruturas como base para criação do vídeo, onde depois de gravada a música, escreve o roteiro de filmagem e com as imagens prontas, os takes, monta o vídeo em sincronismo pleno com o som. Mas como sentiu que a música tinha vida própria, sem a imagem, afinal não era o EP e sim uma resenha do EP, assim como a resenha de livro, um resumo da música. Nasce aí a Resenha Sonora, o Minuto da música, que passou a subir nas plataformas com capa e identidade própria, formando assim o trio: EP, Vídeoclipe e Resenha Sonora de cada uma das 7 músicas do projeto Sextando.”

Flores também aproveita o momento para lançar seu novo site www.pauloeflores.com com links diretos para esse novo trabalho, além de outros projetos que vem mantendo.

Histórico e Ficha técnica

Após 20 anos do lançamento de seu 1º CD, RUMO NORTE, Paulo Flores e Cambanda Jazz Combo, que se mantém moderno até hoje, busca-se o registro desse novo trabalho que além de artístico tem sido um celeiro de criação de novos músicos. São mais de 30 anos de atividade ininterrupta como grupo de pesquisa e divulgação da música instrumental, em projetos de shows para crianças em escolas de todos os ciclos, asilos, Apaes etc. a shows temáticos e autorais. Foram dezenas de músicos que passaram por esse grupo que hoje estão ativos na música instrumental, como o baterista e percussionista Cleber Almeida, o pianista e sanfoneiro Beto Correia, os guitarristas Fábio Leal, Alexandre Bueno, Joseval Paes, os bateristas Rodrigo Digão Bráz, Rodrigo Donato, Rodrigo Marinonio, Fúlvio Moraes, Everton Barba, os saxofonistas Richard Firmino, Sintia Piccin, Cesar Roversi, JP Ramos Barbosa, Raphael Ferreira, Richad Ferrarini, Alexander de Souza, os pianistas Amador Longhini, Léo Ferrarini, Cristiane Bloes, contrabaixistas Sergio Frigério e Flelipe Brisola, e muitos outros que se estabeleceram em muitas áreas do meio musical. São inúmeros os projetos que Flores vem fazendo com o Jazz Combo e convidados importantes como Monica Salmaso, Proveta, Teco Cardoso, Paulo Freire, Ricardo Herz, Vinícius Dorin, Gabriel Grossi, Nenê, Léa Freire, Arismar do Espírito Santo, Fernando Correa, Toninho Ferragutti, Laércio de Freitas, Edmundo Villani, Patricia Bastos, Paulo Bastos, entre outros, além dos trompetistas americanos Ed Sarath e Daniel Barry (que se tornou parceiro de Flores na obra Dois Hemisférios, para Big Band, premiada em festivais), o vibrafonista Rusty Burge, o trombonista Ed Neumaister, o saxofonista cubano Aldo Salvanti, sempre com a proposta de compartilhar repertório, resgatar a música instrumental e promover a releitura.

Músicos

Fase 1

Tangatu de Maratan, Choros 2 Villa, De Uma pra Outra e Paolla

Flauta e escaleta – Paulo Flores / Sax Alto - João Paulo Ramos Barbosa e Sintia Piccin/ Sax soprano e tenor - Cesar Roversi / Piano – Edilson Forte Tatu / Guitarra - Fábio Leal / Contrabaixo – Sergio Frigério / Bateria e Percussão – Rodrigo Digão Braz e Rodrigo Donato(in memoriam)

Fase 2

Supernova, Sexta e Cuba

Flauta, voz, violão e guitarra - Paulo Flores / Violino e Rabecas - Esdras Rodrigues / Piano – Paulo Braga / Percussão Amazônica – Paulo Bastos / Contrabaixo – Felipe Brisola / Bateria e Percussão – Rodrigo Donato (in memoriam)

Resenhas Sonoras: Minuto Tangatu, Minuto Choros 2, Minuto Deuma, Minuto Paolla, Minuto Supernova, Minuto Sexta e Minuto Cuba.

Todos os instrumentos e voz – Paulo Flores (Rodrigo Donato percussão em Tangatu de Maratan - in memoriam)

Produção dos vídeos Paulo, Beatriz e Paolla Flores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário