Boletim de informações COVID-19 n° 677 Tatuí, 08 de dezembro de 2021, quarta-feira - 11h00h

18.448 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
17.976 PACIENTES RECUPERADOS
458 ÓBITOS CONFIRMADOS
14 INFECTADOS EM TRATAMENTO
4,14 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Nossa Trupe Teatral, de Tatuí, participa de festival regional de teatro em São Roque

Terceira edição do “Festão” acontece nos dias 03, 04 e 05 de dezembro, reunindo artistas de toda a Região Metropolitana de Sorocaba com apresentações gratuitas

Nossa Trupe Teatral apresenta "Treis causo e o resto é prosa' no sábado, dia 4, às 12h


24/11/2021 |  O interior de São Paulo é palco de muitos talentos e, para celebrá-los, nada melhor do que uma grande festa cultural com 25 apresentações teatrais para divertir e presentear o público, e, o melhor, tudo de graça. Esse é o “Festão”, um festival regional de teatro itinerante que está na sua 3ª edição. Neste ano, o evento acontecerá no Centro Educacional Cultural Brasital, em São Roque, nos dias 03, 04 e 05 de dezembro, reunindo artistas de 12 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba.

O objetivo é fomentar a cultura cênica da região, promover a criação de um grande corredor cultural entre os municípios e a troca de experiências entre os artistas e o público. Este ano, pela primeira vez, o “Festão” receberá o recurso financeiro da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo através da Lei Federal Aldir Blanc. O prêmio foi recebido por Lisa Camargo, produtora e diretora artística da Companhia de Eros de São Roque, pelo seu histórico de realização em teatro.

“Nos dois primeiros festivais, tivemos o apoio do Senac e das Prefeituras de Sorocaba e Pilar do Sul, mas aconteceu sem nenhuma verba e os grupos vinham com os seus próprios recursos. Desta vez, como eu tinha um projeto pronto para o ‘Festão’, o apresentei como contrapartida no edital de Prêmio por Histórico de Realização em Teatro e, para a minha surpresa, fui classificada na primeira lista de selecionados, entre os cinco do interior”, conta Lisa, a proponente do projeto.

As apresentações deste ano estão divididas em espetáculos com cerca de 45 minutos de duração e, também, em exibições mais curtas, com até 15 minutos.

Hamilton Sbrana, um dos coordenadores do festival e diretor da companhia Camarim, de Sorocaba, explica que o formato foi pensado para auxiliar os artistas, pois muitos precisaram parar de ensaiar durante a pandemia.

“Quando fomos conversar com os grupos da região, muitos deles disseram que não tinham tempo de preparação, foi o que aconteceu com o meu grupo. Nós estávamos indo com um espetáculo que não ia ficar pronto em dezembro, então, optamos por um fragmento, por um espetáculo com uma duração menor”.

Já o grupo Escarafunchar, de Pilar do Sul, vai mostrar ao público um espetáculo mais longo. A ideia do grupo é valorizar os trabalhos dos artistas locais e, dessa forma, apresentar uma adaptação do conto “O Executor”, escrito pela poeta, professora de língua portuguesa e jornalista, Geni Alves, que também é do município.

“A nossa paixão é adaptar textos não teatrais para o teatro, principalmente os contos. Essa apresentação é baseada em uma obra de uma escritora da cidade, e fala sobre a questão de ser presa na vida. O nosso trabalho foi trazer esse conto como pano de fundo para falar sobre várias lembranças, experiências dos próprios atores e atrizes e memórias, então, é um espetáculo que mexe muito com as emoções das pessoas, por ser muito afetivo”, conta Guto Carvalho, diretor do grupo de teatro Escarafunchar.

O diretor também é coordenador regional do “III Festão” e acredita que o festival é uma forma de unir os grupos, resgatar e fortalecer a cultura no interior. “A Região Metropolitana de Sorocaba possui 27 municípios e, em muitos deles, não há grupos de teatro ativos. Com a pandemia, alguns se desfizeram, então esse trabalho é muito bacana para entender em qual situação cultural, mais especificamente teatral, a nossa região se encontra”, ressalta.

Mesmo com a liberação das restrições do Estado de São Paulo, o “III Festão” seguirá todos os protocolos de segurança, como número limitado de pessoas nas apresentações em espaços internos. Para assistir aos espetáculos, será necessário chegar com uma hora de antecedência para garantir o lugar.

Na entrada, será solicitado ao público a apresentação do comprovante de vacinação contra a Covid-19. O uso de máscara de proteção respiratória é obrigatório nas dependências do evento, e será disponibilizado álcool gel para todos.

Rede de Teatro

O Festival de Teatro da Região Metropolitana de Sorocaba “Festão” nasceu a partir da Rede de Teatro, um grupo criado em 2018, com o desejo de reunir e trocar experiências entre os artistas do teatro e do circo da Região de Sorocaba.

Com isso, representantes de grupos teatrais começaram a ter reuniões mensais a fim de discutir questões de interesse da classe artística, como a situação da cultura na região e a representatividade dos grupos no interior, para, assim, desenvolver ações envolvendo o público.

“O desejo é que a gente pudesse ver o que outro artista estava trabalhando e realizando. Apesar de estarmos com uma cidade colada ao lado da outra, não conseguimos ver a produção dos outros e, com isso, nesse primeiro momento, surgiu a proposta do festival ‘Festão’”, explica José Simões, professor, artista, pesquisador no campo da Sociologia do teatro e um dos idealizadores do projeto.

Agora, o próximo desejo da Rede de Teatro é criar um corredor cultural entre as cidades e consolidar não só o “Festão”, mas, também, outros festivais e espetáculos.

Programação

Sexta-feira – 03 de dezembro
18h30 – Abertura
19h: “Aos (entes) Não queridos” - Coletivo Narciso | São Roque (Sala Multiuso) | Classificação: 14 anos
20h: “Sob o azul do céu” - Companhia Clássica de Repertório | Sorocaba (Núcleo de Música) | Classificação: 14 anos
21h: “Jocasta, mãe da humanidade” - Trupé de Teatro | Sorocaba (Sala Multiuso) | Classificação: 12 anos
21h20: “Experimento cênico de palhaces” - Núcleo Aclowndemia de Palhaçaria | Sorocaba (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
21h40 - “Pedro Malasartes em o Urubu falante” - Saindo do Conto | Porto Feliz (Sala Multiuso) | Classificação: Livre

Sábado – 04 de dezembro
10h: “Contando histórias” - Companhia Liber D’Arte | Ibiúna (Núcleo de Música) | Classificação: Livre
11h: “Auto da compadecida” - Grupo Theatron | Mairinque (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
12h: “Treis causo e o resto é prosa” - Nossa Trupe Teatral | Tatuí (Núcleo de Música) | Classificação: Livre
13h: “O caipira e a fiscar” - Grupo Teatral Tapanacara Mutatis Mutandis | Itapetininga (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
13h15: “A menor monção do mundo” - Grupo de Teatro Arapuca | Porto Feliz (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
13h30: “Nem tudo são rosas” - Silvana Sarti | Sorocaba (Espaço Externo) | Classificação: Livre
13h50: “As Peripécias da Côrte de Lá” - Grupo Teatral Gente de Quem? | Cerquilho (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
15h15: “O inferno são os outros” - Teatro Escola Mário Pérsico | Sorocaba (Núcleo de Música) | Classificação: 16 anos
16h15: “O que os pássaros carregam” - Camarim Cia | Teatro de Sorocaba (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
16h45: “Alegria – o auto do circo” - Nativos Terra Rasgada | Sorocaba (Espaço Arena) | Classificação: Livre
18h: “O abrigo da besta” - Companhia Imediata de Teatro | Sorocaba (Núcleo de Música) | Classificação: 12 anos
19h: “Pés – dos tempos que a calçada de terra guardou, como passar e sentir” - Grupo de Teatro Escarafunchar | Pilar do Sul (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
20h: “Sobre viventes” - Coletivo Uma de Nós | Sorocaba (Núcleo de Música) | Classificação: Livre
21h: “Ôtovinu” - Cia 2 e Meio e Palhaço Fusquinha | Sorocaba (Espaço Arena) | Classificação: Livre
21h15: “Cerotinho” - Coletivo Cê | Votorantim (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
21h30: “Memorar: uma história contada por um pangaré caduco?” - Lelis Andrade | Mairinque (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
22h: “Opinião conta Dandaras” - Companhia de Opinião | Salto (Espaço Arena) | Classificação: 12 anos

Domingo – 05 de dezembro
09h40: “Dublagem com a boneca pig” - Grupo Teatral Lange | Cesário Lange (Sala Multiuso) | Classificação: Livre
10h: “O céu é a lona” - Circo Guaraciaba | Votorantim (Espaço Arena) | Classificação: Livre
11h: “Cortejo da Folia” - Companhia de Eros | São Roque (Espaço Arena) | Classificação: Livre
11h30: Roda de Conversa

Serviço

Datas: 03, 04 e 05 de dezembro
Local: Centro Educacional e Cultural Brasital
Endereço: Avenida Aracaí, 250, Vila Aguiar, São Roque/SP
Evento gratuito
Mais informações em: facebook.com/festivalfestao e instagram: @festivalfestao

Ficha Técnica

Coordenador artístico: Hamilton Sbrana
Coordenadora geral do projeto I Produtora de logística e recepção: Lisa Camargo
Coordenador de articulação regional I Produtor de programação artística: Guto Carvalho
Produtora Executiva e Diretora de Produção: Andressa Moreira
Formação - Olhar Crítico: Amilton de Azevedo
Formação - Pedagogia do Teatro: José Simões
Coordenadora de comunicação: Amanda Sobral
Produtora audiovisual: Quitéria produções
Fotógrafo: Bruno Martorelli
Social media: Tiani Zilli
Assessoria de imprensa: JF Gestão de Conteúdo
Design gráfico: João Rios
Recepção: Pablo França
Coordenador de montagem I Cenotécnica: Alexandre Malhone
Assistência de montagem e cenotécnica: Rodrigo Cortêz Camargo de Lima (Coletivo Narciso) e Mariana Novaes Alves (Coletivo Narciso)
Sonorização e Iluminação: Paulisom
Assessoria contábil: Amorim Assessoria Contábil

Realização:

Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Companhia de Eros
Apoio: Prefeitura Municipal de São Roque, por meio da Divisão de Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário