Boletim de informações COVID-19 n° 711 Tatuí, 25 de janeiro de 2022, terça-feira - 11h00h

24.079 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
23.090 PACIENTES RECUPERADOS
464 ÓBITOS CONFIRMADOS
525 INFECTADOS EM TRATAMENTO
143,14 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

sábado, 21 de março de 2015

Tatuí registra aumento de 57 novos empregos em fevereiro

Daniela Jacinto

Cruzeiro do Sul, editado - Apesar do momento difícil vivenciado pela economia brasileira de modo geral, e do fechamento de 682 postos de trabalho em Sorocaba, as principais cidades da região - Tatuí, Votorantim, Araçoiaba da Serra, Itu e Itapetininga -, registraram, ao todo, o aumento de 413 empregos em fevereiro, de acordo com números divulgados na quarta-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por intermédio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Esse crescimento vem do setor de serviços, que tem ajudado a manter um equilíbrio nas quedas de vagas das outras áreas, como explica o economista Sidney Benedito de Oliveira, professor nas faculdades Esamc e Facens e delegado do Conselho Regional de Economia.

Em Tatuí, foram abertas 57 vagas. Aqui, o setor de serviços é o maior responsável pelas contratações. Entre 471 admissões e 265 demissões, foi gerado o aumento de 206 vagas, num crescimento de 2,46%. A indústria também colaborou, contrariando os números de outras cidades: os admitidos foram 313 contra 299 demitidos, num aumento de 14 vagas e saldo positivo de 0,14%. Na construção civil, foram 57 admissões e 127 desligamentos, totalizando a perda de 70 vagas, num saldo negativo de 6,57%, a maior queda na taxa de emprego do setor, comparando com as outras cidades. No comércio também teve perdas. Foram 261 admissões e 351 desligamentos, numa queda de 90 postos de trabalho, com saldo negativo de 1,35%. Por fim, na agropecuária foram admitidos 51 e demitidos 66, numa perda de 15 vagas e queda de 0,98%.

Já em Itapetininga houve a redução de 101 postos de trabalho, ao contrário do que ocorreu com as demais cidades. Aqui, na maioria dos setores a demissão foi maior que as contratações. Na indústria foram 323 admitidos e 335 demitidos, resultando perda de 12 vagas e saldo negativo de 0,16%. Na construção civil, foram 112 contratados e 165 demitidos, numa perda de 53 vagas e saldo negativo de 2,35%. O comércio registrou 396 admissões e 444 demissões, resultando em 48 desempregos e saldo negativo de 0,57%. Também no setor de agropecuária teve queda. Foram 237 admitidos e 284 demitidos, resultando na perda de 47 vagas e saldo negativo de 0,79%. A área de serviços foi a única que teve crescimento no número de empregos: 418 admitidos e 348 demitidos, resultando no aumento de 70 vagas e saldo positivo de 0,81%.

Itu é a cidade que mais teve geração de empregos, com a criação de 229 postos de trabalho. O maior responsável por esse crescimento é o setor de serviços, que teve em fevereiro 1.264 admitidos e 934 demitidos, gerando 330 vagas, num saldo positivo de 1,52%. Também a agropecuária colaborou: foram 65 admitidos e 52 demitidos, num total de 13 postos de trabalho e saldo de 0,92%. Na indústria, os números se mantiveram estáveis: 516 admissões e 516 desligamentos. Como vem acontecendo de modo geral com outros municípios, houve perda na construção civil, com 61 admitidos e 153 demitidos, totalizando o déficit de 92 vagas e saldo negativo de 4,27%. No comércio foram 425 admitidos e 465 demitidos, com a perda de 40 vagas e saldo negativo de 0,38%. 

Em Votorantim foi registrada a abertura de 91 novos postos de trabalho. Esse saldo é o resultado da variação obtida em setores como a indústria, que teve 206 admissões e 164 demissões, totalizando a geração de 42 vagas, num aumento de 0,77%, e a área de serviços, que teve aumento de 100 vagas: foram 340 admissões conta 240 desligamentos, totalizando o crescimento de 1,99%. As quedas foram no comércio - ao todo 356 admissões e 381 demissões, totalizando perda de 25 postos de trabalho e saldo negativo de 0,44%; na construção civil, que teve 20 admissões contra 47 desligamentos, numa perda de 27 vagas, gerando saldo negativo de 2,76%; e agropecuária, que não registrou admissões e ainda teve uma demissão, registrando queda de 3,12% no número de empregos do setor. Assim como em Votorantim, as demais cidades registram aumento de vagas no setor de serviços e perdas nas demais áreas, principalmente indústria e construção civil.

Em Araçoiaba da Serra o aumento foi de 137 vagas de emprego. Entre os setores responsáveis por esse crescimento está a área de serviços, que registrou 63 admissões contra 48 demissões, num aumento de 15 postos de trabalho, tendo saldo positivo de 0,51%. A agropecuária contratou 15 e demitiu 11, num acréscimo de 4 postos de trabalho, gerando acréscimo de 1%. O menor crescimento foi no comércio, que admitiu 51 trabalhadores e demitiu 50, com ganho de uma vaga, fechando com saldo positivo de 0,09%. Ao contrário das demais cidades, aqui a construção civil é exceção, já que ao invés de perda de vagas, registrou ganho. Foram, em fevereiro, 28 admissões e 15 demissões, ou seja, surgiram 13 vagas, num saldo positivo de 3,66%. Já na indústria houve perda: 18 admissões e 27 desligamentos, resultando na perda de 9 vagas, num saldo negativo de 1,17%. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário