Nosso Jornal Online

Tatuí, 


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

CHUVAS EM SP RETARDAM RETORNO DE TATUIANAS


Na Barra Funda, paulistanos optavam por esperar ônibus ou ir a pé; ônibus de viagens não conseguiam chegar

Bia Rodrigues - estadao.com.br

Paulistanos aguardam chegada de ônibus fretados no Terminal Barra Funda

SÃO PAULO - A chuva que castiga a capital paulista desde a madrugada desta terça-feira, 8, transformou a ida ao trabalho em uma missão quase impossível. Até as 12h30, a cidade registrava 65 pontos de alagamento, sendo que 26 deles estavam intransitáveis.

No Terminal da Barra Funda, as pessoas esperavam a chegada de ônibus ou optavam por ir a pé até o trabalho. Era a única saída, já que os táxis que fazem ponto no terminal se recusavam a fazer corridas e os ônibus que conseguiam chegar não tinham como sair. Com água até o calcanhar, pedestres ocuparam a Marques de São Vicente. Muitos desistiram ao chegar na praça em frente a Federação Paulista de Futebol, na entrada da Ponte do Limão. A sede da torcida TUP, do Palmeiras, foi tomada pela água.

Viagens para o interior
As pessoas que tentavam embarcar para o interior do Estado de São Paulo não tinham outra opção a não ser esperar. "Os ônibus das 7h30 foram os últimos a deixar o Terminal Barra Funda indo para Bauru e Marília", informou o encarregado do guichê do Expresso de Prata, José Mangili, por volta das 8h40 desta terça-feira. Segundo ele, os ônibus continuavam parados na praça logo após a saída do terminal.

"Para as pessoas que chegam ao guichê avisamos que não há previsão de saída. Só vendemos para aqueles que querem mesmo, mas informamos que no momento nenhum ônibus entra ou sai do terminal. O último ônibus chegou às 6 horas", completou Mangili.

Enquanto isso, na plataforma de embarque, muitas pessoas aguardavam e se distraíam como podiam. As irmãs Eliana Bernardo, 35, e Edna Bernardo Bonfim, 31, aguardavam o embarque para Tatuí com três crianças. "Eu vim para São Paulo buscar minha irmã. Chegamos aqui às 6 da manhã para pegar o ônibus das 7, mas já são quase 10 e ainda não conseguimos", contou Eliana. "Ninguém da empresa veio até aqui falar com a gente. Às vezes passa alguém e perguntamos. Eles dizem que devemos esperar e não há previsão para embarcarmos", disse Edna.

Segundo o CGE, para as próximas horas a chuva deve continuar na Grande São Paulo com a mesma intensidade, sem perspectiva de melhora. A média de precipitação, desde 0h até as 7h desta terça-feira, foi de 54,8 mm, e nas últimas 12 horas, de 64,4 mm. Já choveu neste mês de dezembro 122,1 mm, o que equivale a 60,75% da precipitação média para o mês.

(Colaboraram Pedro Venceslau, de O Estado de S.Paulo, e Eric Akita, do estadao.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário