Boletim de informações COVID-19 n° 782 Tatuí, 01 de julho de 2022, sexta-feira, 11h00

8 PACIENTES HOSPITALIZADOS
492 INFECTADOS EM TRATAMENTO
0 DIAS SEM ÓBITOS
484 CASOS CONFIRMADOS EM 7 DIAS
69,14 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

domingo, 23 de janeiro de 2022

PIB per capita de Tatuí é R$ 34.164,15, segundo IBGE

Valor é menor que a média da Região Metropolitana de Sorocaba, de R$ 40.618,52; Sorocaba  aparece com R$ 54.878,75 e Itapetininga com R$ 29.883,19; dados são de 2019 e foram divulgados no final de 2021.

MARCEL SCINOCCA  marcel.scinocca@jornalcruzeiro.com.br com copidesque do DT


21/01/2021 |  Sorocaba tem o maior Produto Interno Bruto da Região Metropolitana, mas o PIB per capita de Sorocaba é apenas o quinto maior da RMS, ficando atrás de Porto Feliz, Salto, Araçariguama e Alumínio. O valor foi de R$ 54.878,75 ao longo de 2019, o último disponível para consulta. As informações foram divulgadas no final de 2021 pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE).

O número de Sorocaba é maior que a média da RMS, que é de R$ 40.618,52, mas bem menor que o de Araçariguama, que chegou a R$ 153.904,22, em 2019, influenciado por grandes indústrias como a Gerdau. É ainda, inferior ao de Alumínio, que teve PIB per capita de R$ 115.258,20, com influência, principalmente, da CBA. Salto, com R$ 65.208,06, e Porto Feliz, com R$ 56.431,41, aparecem na sequência, à frente de Sorocaba.

Tatuí registra R$ 34.164,15 de PIB per capita, abaixo da média regional e acima de Itapetininga, que aparece com R$ 29.883,19.

Mas, afinal, o que quer dizer PIB per capita? A grosso modo, é a divisão da riqueza produzida em um determinado local por sua população. O professor e economista Lincoln Diogo Lima explica: “O PIB per capita é a divisão do PIB pelo número de habitantes. O que significa PIB per capita que é o mais importante. Como o PIB também representa quanto se gerou de renda numa economia, o PIB per capita é uma proxy (hipótese) para saber a renda média de uma região. Portanto, eu posso dizer que se fosse divido exatamente toda a renda gerada no ano em Sorocaba por todos os seus habitantes, inclusive crianças, idosos, deficientes, um cidadão sorocabano teria tido, em 2019, R$ 54.878,75 no ano, ou seja, cerca de R$ 4.573,00 por mês”, explicou.

O PIB também representa a soma do valor da produção de bens e serviços realizada num ano, logo o PIB per capita também é uma hipótese, ainda que não muito adequada, para se ver a produtividade. “Em outras palavras, uma região que tem um PIB per capita mais elevado significa que, em média, o trabalhador daquela região é mais produtivo”, disse.

“Para ver o desenvolvimento de uma região, o PIB per capita é infinitamente melhor do que o PIB”, garante Lima. “Na verdade, o tamanho do PIB não diz nada quanto a isso. Mas é preciso salientar que desenvolvimento é muito mais que renda (PIB per capita), ele também contempla outras variáveis tão ou mais importantes, como saúde, educação, violência, meio ambientes, liberdade política, etc”.

Essa situação explica o fato de o PIB de Sorocaba ser o maior da RMS, mas com PIB per capita mais baixo. Afinal, a cidade teve Produto Interno Bruto de R$ 37,2 bilhões, em 2019. É quase 40% dos R$ 95,2 bilhões produzidos pelos 27 municípios da RMS. Assim, quando se divide o PIB pela população da cidade, que é a maior de todas as cidades que compõe a região, o resultado cai. Isso explica também o fato de Alumínio e Araçariguama ter o PIB tão alto, já que a população dessas cidades é bem menor que a de Sorocaba.

Essa mesma situação explica o fato de Brasília ter o PIB per capita bem maior que o do Estado de São Paulo, por exemplo, que tem o maior PIB do Brasil. A capital federal tem pouco mais de 3 milhões de habitantes e PIB de R$ 273,6 bilhões. Já o Estado de São Paulo teve PIB de R$ 2,32 trilhões, em 2019, mas sua população é de 46,6 milhões.

Campeãs

Apesar de Araçariguama e Alumínio apresentarem PIB per capita elevado, o número ainda é bem abaixo que as campeãs do indicador. A lista é encabeçada por Presidente Kennedy (ES) -- R$ 464.883,49. A vice é Ilhabela (SP) -- R$ 428.020,22. Fechando o pódio, Selvíria (MS) - R$ 353.522,30.

Paulínia aparece com PIB per capita de R$ 341.552,82. A explicação é óbvia. A cidade tem a maior refinaria de petróleo do Brasil, a Replan. Apesar de o PIB per capita ser um indicador importante, Lima alertou. “Agora, tem que ver se toda essa renda gerada está sendo relativamente distribuída, ou seja, se essa alta renda por habitante se reflete no padrão de vida deles”.

Brasília (DF) é outro ponto que chama a atenção no levantamento do IBGE. Os dados apontam que as riquezas geradas pelo Distrito Federal, incluindo as cidades satélites -- o IBGE acopla as localidades junto com Brasília --, foi de R$ 276,3 bilhões, em 2019, com PIB per capita de R$ 90.742,75 -- 65% maior que o de Sorocaba.

Lá, o resultado do alto PIB per capita também é bastante óbvio e leva em consideração os altos ganhos dos servidores públicos federais. Os serviços gerados pelo setor, como hotéis e transporte aéreo também ajudam.

O outro lado na RMS

O PIB per capita em algumas cidades da RMS é bem inferior à média do Estado, do Brasil e da própria RMS. Alambari, por exemplo, tem número de apenas R$ 17.145,55. O de Sarapuí é ainda menor, de R$ 15.472,98. A última posição entre os municípios é de Capela do Alto, que apresenta PIB per capita de R$ 15.014,46.

Nenhum comentário:

Postar um comentário