Boletim de informações COVID-19 n° 782 Tatuí, 01 de julho de 2022, sexta-feira, 11h00

8 PACIENTES HOSPITALIZADOS
492 INFECTADOS EM TRATAMENTO
0 DIAS SEM ÓBITOS
484 CASOS CONFIRMADOS EM 7 DIAS
69,14 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Coluna da Práxis

SESSÃO EXTRAORDINÁRIA

Na tarde da quinta-feira, 20 de janeiro de 2022, às 16 horas, a Câmara Municipal de Tatuí se reuniu em sessão extraordinária para analisar e votar alguns projetos encaminhados pelo poder executivo de interesse dos servidores municipais.

Quase todos consensuais no entendimento dos vereadores.

Com atraso de 3 horas por conta de debates nos bastidores envolvendo as matérias, finalmente teve início a sessão.

A exceção ficou por conta do dissídio coletivo aprovado em assembleia convocada pelo sindicato dos servidores tratando do que deveria ser a reposição da inflação salarial do período que ficou acima dos 10%.

Na assembleia realizada pelo sindicato da categoria para o dissídio, ela (a categoria) aceitou uma reposição de 3%, embalada pelas outras conquistas de direitos como o aumento do piso salarial de algumas categorias, a reclassificação de parte do funcionalismo.

Como observou na tribuna o Vereador Eduardo Sallum (PT), "a prefeitura está dando um direito e retirando um direito, o da reposição da inflação, não se troca um direito por outro", que é o caso em discussão.

Sallum apresentou uma emenda a esse projeto para garantir que todo servidor público municipal recuperasse os 7% perdidos no poder de compra do salário conforme o projeto original defendido pela liderança do prefeito.

BASTIDORES

A prefeitura poderia ter encaminhado esse projeto de grande importância aos servidores públicos municipais com maior prazo para análise do poder legislativo mas não o fez, para não permitir qualquer alteração que beneficiasse os trabalhadores, avaliam os diretores do SindServ e o Vereador Eduardo Sallum.

Por isso a prática recorrente de aprovar de afogadilho projetos importantes.

A base de sustentação do prefeito através de sua liderança ameaçou retirar o projeto da pauta alegando que a reposição da inflação de 10% para toda categoria teria impacto na folha salarial acima do teto estabelecido pela legislação.

Se a ameaça se confirmasse e os projetos do executivo não fossem votados como foram redigidos o funcionalismo estaria prejudicado não recebendo os outros benefícios previstos e receberia seu próximo salário sem nenhuma correção até a solução do impasse criado.

Analisando o orçamento num exercício rápido caiu a tese defendida pelo líder do prefeito de estouro na folha de pagamento.

Mesmo derrotada na sua retórica a base do prefeito através de seu líder manteve sua disposição de retirar o projeto de pauta numa manobra política para comprometer a imagem do Vereador Eduardo Sallum e desgastá-lo já que reconhecidamente nos últimos 5 anos, tempo de seu mandato, ele tem defendido as teses e pautas que favorecem os trabalhadores efetivos da prefeitura.

O Vereador Eduardo Sallum retirou sua emenda de correção integral da inflação de 10% para toda a categoria para que a votação acontecesse nessa sessão e a arapuca armada para pegá-lo usando o funcionalismo fosse desmontada.

FACEBOOK

Logo após o encerramento da sessão extraordinária, o Vereador Eduardo Sallum foi às redes sociais e através do Facebook esclareceu os embates principalmente de bastidores e lamentou a perda de 7% no poder de compra do salário dos funcionários, lembrando que a prefeitura é a maior empregadora de Tatuí e portanto a perda de poder aquisitivo do trabalhador impacta negativamente o comércio e serviços da cidade.

Sallum fez ainda um convite ao líder do prefeito na Câmara Municipal de Tatuí para um debate público em torno deste ou outro tema para que a opinião pública e os servidores possam avaliar e fazer juízo dos melhores argumentos e intenções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário