Boletim de informaç0ões COVID-19 n° 601 Tatuí, 19 de setembro de 2021, domingo - 11h00h

18184 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
17.723 PACIENTES RECUPERADOS
452 ÓBITOS CONFIRMADOS
9 INFECTADOS EM TRATAMENTO
3,00 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 29 de junho de 2021

As criaturas de Raquel Fayad “invadem” o Subsolo – Laboratório de Arte

Raquel Fayad residiu em Tatuí por muitos anos.

Gerações III (2020)

29/06/2021 | O Subsolo – Laboratório de Arte abre no sábado, 3 de julho, às 11 horas, a exposição “Jardim de Pandora”, da artista visual Raquel Fayad, que “invade” o espaço com suas pinturas e vídeos repletos de insetos e criaturas imaginárias. Interessados em visitar a mostra poderão agendar de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, até 2 de outubro. O espaço cultural está localizado na Rua Proença, nº 1000. O evento seguirá os protocolos relacionados à pandemia do Covid19 em Campinas.

O projeto “Jardim de Pandora”, que é uma contrapartida ao prêmio ProAC Expresso LAB 2020, é uma realização do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

“Como nos adaptamos? Como nos metamorfoseamos para sobreviver?” É a partir destas indagações que Fayad foca sua pesquisa artística investigando a floresta e os habitantes deste universo orgânico mutante, desde o nano até o macro, do real ao imaginário. Ela observa o cotidiano e estratégias de sobrevivência da vida animal e a relação desta com a do ser humano que o rodeia, principalmente neste momento de reclusão, de resistência, de transformação dos hábitos, que nos traz observações que antes não se faziam tão presentes.

Pois é assim que a artista se alimenta para gerar suas “criaturas” e formar seu “Jardim de Pandora”. Nutrida pelas cenas observadas, Fayad as transforma em pinturas em telas e papéis, se utiliza de lascas de madeiras para falar de suas descobertas, desenha e reflete sobre sua busca de uma matriz estética presente na metamorfose dessas relações e de um discurso pictórico interdisciplinar que a coloca em constante questionamento.

Aranhas e Aranhas (2020)

O resultado dessa pesquisa emerge também vídeos, sendo que dois, “Metaforas” e “Jardim de Pandora”, que serão exibidos no interior do espaço e um terceiro chamado “Transversos” sob direção de Mônica Ogaya, que mostra os processos de criação e metamorfose da artista, será projetado na área externa criando um diálogo arquitetônico com um local constituído por plantas, justamente por onde caminham e vivem muitos dos “insetos de” Fayad. Os transeuntes que estiverem passando na Rua Monte Castelo, entre os números 600 e 666, poderão assistir o vídeo que será projetado a partir das 19h30, do sábado (3).

O projeto de “Jardim de Pandora” dá continuidade à instalação “Nem todas as Criaturas deixam rastros” também realizada no ano passado no Subsolo. Naquele momento, foi apresentada somente uma série em pinturas em muros e papel, embaladas por música incidental executada pela própria artista visual que também é musicista. A partir da aproximação com o curador Andrés I. M. Hernández, dos diálogos e provocações dele, Fayad se debruçou sobre sua pesquisa e produziu novas obras de arte que chegam agora no espaço cultural.

Todo esse processo a estimulou a explorar metamorfoses, experimentar e conjugar fluidez de novos discursos conceituais nas expressões artísticas e nas referências históricas da arte. “Acompanhar e descobrir sobre a ecdise de uma cigarra - processo que ocorre em artrópodes e caracteriza-se pela troca do esqueleto desses animais para garantir o seu crescimento-, trouxe mais à tona o feminino, na observação de uma fase marcante de transformação na vidas mulheres”, afirma a artista.

Segundo Hernández, a artista explora sua capacidade criativa, que transita sem prioridade construtiva e/ou análises do desenho para a música, da dança para a pintura, do espaço arquitetônico à instalação, “Fayad ativa ciclos de rupturas analíticas e a provocação contida na essência e adoção desses desafios em uma matriz estética”.

Sobre o momento atual e a arte, Fayad acredita que tudo tem um sentido e que sairemos mais fortes, criativos e resistentes. Para ela, é um desafio por dia, uma nova maneira de entender o mundo, a produção contínua, as reprogramações diárias, que a leva a ter mais certeza do quanto podemos aprender com as metamorfoses dos insetos para a autopreservação e a sobrevivência.

A artista visual

Raquel Fayad é artista visual e musicista. Atualmente, vive e trabalha em Itu, São Paulo. Ela já realizou exposições individuais no Subsolo - Laboratório de Arte em Campinas - Nem todas as criaturas deixam rastros (2020); na Fundação Marcos Amaro, em Itu, e no Museu de Salto – Campoamor (2017/2018) e no Museu Del Crudo em San Sperate Italia – Lettere d´Amore (2015). Participou de exposições coletivas na Mostra Museu (SP - 2021), na Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba (2019), na DAP Londrina – Arte Londrina 7 (2019), na FAMA Itu – Utopia de colecionar o pluralismo na Arte (2019), MAM Rio – Novas Aquisições Gilberto Chateaubriand (2014), na Galeria Marta Traba – Memorial da América Latina (São Paulo, 2014), na Casa do Olhar Luis Sacilotto – (Santo André, 2013/2014/2015) e Ars Visibilis II – Museu de Almeria (Espanha, 2012). Participou de Residências, Kaaysá Art Residency – Summer Edition - Boiçucanga – BR (2021), em Nuraminis e San Sperate (NOARTE) – Sardegna – Itália (2016 e 2015), Residência na Fazenda Ipanema, no MAC Sorocaba / FLONA (2015), Residência Artística na Galeria Marta Traba – Ocupação 15/30 – Memorial da América Latina (2014). Tem 13 obras no acervo MAM RIO – Coleção Gilberto Chateaubriand e seis obras no acervo da Fundação Marcos Amaro. Selecionada para três prêmios de Reconhecimento em Artes (dois em artes visuais e um em música) pela Lei Aldir Blanc – Itu, SP. Selecionada no Prêmio de Realização em Artes pela Lei Aldir Blanc – Estado de São Paulo - SP.

Serviço:

Exposição: “Jardim de Pandora” – de Raquel Fayad
Dia: 3 de julho – sábado
Horário: das 11h às 18h
Período de visitação: de 3 julho a 2 de outubro de 2021
Local: Rua Proença, 1000 – Campinas – SP.

Agendamento para visitação pelo (11) 94965-5722: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h – observar uso de máscara.

Livre para todos os públicos
Entrada gratuita

(Regina Rocha Pitta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário