Nosso Jornal Online

Tatuí, 


terça-feira, 28 de maio de 2013

Vereadores de Itapetininga querem saber como funciona o transbordo do lixo de Tatuí

Na sessão desta segunda-feira (27), na Câmara de Vereadores de Itapetininga (SP), os parlamentares voltaram a questionar o processo de licitação para a escolha de uma empresa que fará o transbordo lixo produzido no município para um aterro da região. Um requerimento de autoria de seis parlamentares foi apresentado durante a sessão.

O vereador Mauri de Jesus Morais participou da elaboração do requerimento. Segundo ele, os vereadores solicitaram o envio da cópia completa do processo licitatório realizado em Tatuí, em 2012, para a escolha da empresa de coleta do lixo no município que fica na região de Itapetininga. Morais explica que a avaliação da licitação de Tatuí é importante porque, segundo os vereadores, a empresa que venceu a concorrência em Tatuí no ano passado participa da concorrência aberta em Itapetininga.Além do pedido de documentos, os vereadores pediram a convocação na próxima sessão do secretário de Finanças de Itapetininga, Luis Paulo Ribeiro, para dar explicações sobre o processo de licitação. “Deverá ocorrer um debate para que ele esclareça tudo sobre essa licitação para transportar o lixo de Itapetininga para Cesário Lange”, afirma o vereador.

Ainda de acordo com o parlamentar, documentos sobre o processo licitatório local já foram solicitados à prefeitura. Segundo Morais, eles ainda não foram entregues. Alguns vereadores alegam irregularidades, porque duas das quatro prestadores de serviço que participaram da abertura dos envelopes seriam da mesma família.

Salários dos servidores
Com a convocação do secretário de finanças, os vereadores pretendem também discutir a questão do salário dos funcionários públicos. Os servidores reivindicam aumento e alguns benefícios como plano de carreira. Na sessão desta segunda-feira, os trabalhadores estiveram no plenário.

De acordo com o representante dos servidores, o funcionário público Claudinei Timóteo da Costa, foi realizada uma reunião com o prefeito Luis Di Fiori. “Ele disse que não seriam atendidas as reivindicações até que houve recurso necessário. Segundo o prefeito, ele aguarda recurso oriundo do Refis. Conforme o pessoal passar o Refis e ele tiver uma renda disso, poderá repassar um aumento para a gente. No entanto, toda essa conversa foi verbal. A gente não tem nada documentado. Houve indignação grande da parte dos funcionários que esperavam um aumento ou que no mínimo alguma das reivindicações fossem atendidas neste momento. A gente pediu que uma nova reunião com o prefeito que foi realizada nesta segunda-feira. Ele voltou a reafirmar todas as condições ditas anteriormente”, afirma.

De acordo com informações da comissão dos servidores, pelo menos nos próximos três meses não haverá melhorias e nem o reajuste de salário.

Ainda durante a sessão, o vereador Etson Brum, presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga supostas irregularidades no Sindicato dos Servidores Públicos, falou que nenhum documento solicitado pelos vereadores foi enviado até agora para serem analisados. Os documentos foram requisitados em 17 de maio. A iniciativa de formar uma CEI surgiu depois que o presidente do sindicato dos servidores públicos, Hélio Massoni, foi convidado a participar de uma audiência pública na Câmara Municipal e não compareceu.

Segundo o Sindicato dos Servidores Públicos, o prazo para envio dos documentos ainda não terminou, de acordo com o estabelecido pelo legislativo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário