Boletim de informações COVID-19 n° 781 Tatuí, 24 de junho de 2022, sexta-feira, 11h00

9 PACIENTES HOSPITALIZADOS
299 INFECTADOS EM TRATAMENTO
13 DIAS SEM ÓBITOS
139 CASOS CONFIRMADOS EM 4 DIAS
38 MÉDIA MÓVEL DE CASOS POR DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Tatuí irá discutir revisão do Plano Diretor na primeira semana de junho

Programação prevê seis audiências públicas nos quatro cantos da cidade

Tatuí prepara-se para rever seu Plano Diretor Estratégico. A Secretaria de Fazenda, Finanças e Planejamento acaba de divulgar a programação do ciclo de audiências públicas, que será realizado entre os dias 2 e 7 de junho, em diferentes pontos da cidade.

O Plano Diretor de Tatuí foi elaborado em 2006. Este ano, os municípios terão a missão de atualizá-lo a partir das mudanças ocorridas desde sua formatação e também dos novos projetos em curso no município. A Prefeitura vem realizando reuniões preparatórias do núcleo gestor, composto por membros do poder público e da sociedade civil. Esse trabalho preliminar determinou estratégias, prazos e tempo para execução de cada etapa.

A secretária de Fazenda, Finanças e Planejamento, Lilian Maria Grando Camargo, lembra que a participação popular é fundamental para que o documento final enviado à Câmara Municipal possa contemplar os interesses de toda a população. “No Plano Diretor está o projeto de futuro que queremos para nossa cidade. Por isso, a nova versão deve ser construída coletivamente, poder público e sociedade, zona urbana e rural. Todos devem participar para garantir que seus interesses sejam ouvidos, debatidos, negociados e pactuados”, explica.

O prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, enfatiza que pelo segundo ano consecutivo a Prefeitura chama a população para debater o crescimento da cidade. Em 2013, a discussão foi em torno do Plano Pluri Anual (PPA) e da definição das ações, obras e projetos prioritários para os próximos quatro anos. “As decisões tomadas na revisão do Plano Diretor afetam diretamente o cotidiano da população. Ele pode, por exemplo, determinar a metragem de construção em um lote, pode alterar os usos permitidos para determinado terreno, pode criar zonas verdes e parques para o lazer da população, prever equipamentos para a zona rural, garantir terra e casas populares para os mais pobres, prever melhorias nas estradas vicinais”, declarou.
 
As audiências públicas acontecem no dia 2 de junho, segunda-feira, às 19h, na Vila Angélica, na Escola Lygia Vieira de Camargo; no dia 3 de junho, terça-feira, às 19h, no CDHU, na Escola Firmo Vieira de Camargo Del Fiol; no dia 4 de junho, quarta-feira, às 19h, no Jardim Santa Rita, na Escola Magaly Azambuja de Toledo; no dia 5 de junho, quinta-feira, às 19h, na Vila Doutor Laurindo, na Escola Lienette Avalone Ribeiro; no dia 6 de junho, sexta-feira, às 19h, no Centro Cultural, Praça Martinho Guedes, 12, em encontro destinado aos moradores da zona rural, e no dia 7 de junho, sábado, às 10h, na Praça da Matriz, com encerramento e apresentação dos trabalhos realizados na semana e atendimento de cada secretário municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário