Boletim de informações COVID-19 n° 775 Tatuí, 13 de maio de 2022, sexta-feira 11h00

27.351 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
26.733 PACIENTES RECUPERADOS
502 ÓBITOS CONFIRMADOS
116 INFECTADOS EM TRATAMENTO
26,42 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Número de crimes registrados contra a mulher cresce em Tatuí

Do G1, editado - O número de boletins de ocorrências e de inquéritos policiais instaurados pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Tatuí cresceu no ano de 2012.

Em 2011, de janeiro a dezembro, foram feitos 920 boletins de ocorrências, enquanto de janeiro até o fim de outubro deste ano, a delegacia já registrou 1.024. O número representa mais de 10% que todos os registros ocorridos no ano anterior.

No mesmo período, a delegacia instaurou 439 inquéritos policiais, enquanto que no ano passado foram feitos 286, um aumento de 153.

O escrivão-chefe da DDM, Melquisedeque Antonio da Silva, diz que a ocorrência mais comum durante esse período foi a lesão corporal dolosa (agressão intencional), seguida dos crimes de ameaça, injúria, dano e estupro.

Melquisedeque confirma o aumento de crimes em 2012, porém explica que o número de inquéritos teve um aumento significativo porque desde fevereiro deste ano as vítimas agredidas têm seus casos automaticamente julgados pela justiça.

Ele conta que anteriormente toda ocorrência exigia que a vítima, num prazo de até seis meses, retornasse à delegacia para formalizar a representação. “Somente com essa representação é que se instaurava o inquérito policial. Porém, muitas mulheres não retornavam, pois se reconciliavam com o companheiro. Agora, nos casos de lesão corporal dolosa praticados contra a mulher no âmbito doméstico, não é preciso mais representação, sendo instaurado inquérito policial de forma automática”, conta.

Segundo o escrivão Melquisedeque, nem todos os crimes seguem essa regra. “Alguns crimes, como por exemplo a ameaça, ainda continuam com a necessidade de representação num prazo de até seis meses. Caso a vítima não retorne, o boletim prescreve”, diz ele.

Abuso sexual de menores

A última ocorrência registrada na DDM do município foi um caso de estupro contra uma menina de 12 anos.

Segundo registros policiais, na madrugada de domingo 18, a menina teria sido raptada por três homens na Avenida Zilah de Aquino, no Bairro Valinho, e levada de carro até um terreno baldio, às margens da Rodovia Gladys Bernardes Minhoto, a SP-129.

Segundo o boletim de ocorrência, os homens abusaram da garota e abandonaram a menina na estrada, fugindo em seguida. Ela pediu ajuda em uma fábrica perto do local e foi socorrida por um porteiro. O funcionário vestiu a adolescente com uma capa de chuva e acionou a Polícia Militar.

Em depoimento aos policiais, ela descreveu o modelo do veículo em que os homens estavam, além de fornecer o número da placa do carro. Depois, ela foi encaminhada para o Hospital Regional de Itapetininga (SP) e fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

A Polícia Civil e a DDM, responsáveis pelas investigações, terão acesso ao resultado dos exames médicos até o dia 4 de dezembro. Eles estão tentando localizar o carro usado pelos abusadores.

Como denunciar?
É possível denunciar anonimamente casos de abuso sexual e violência contra crianças e adolescentes pelo Disque-Denúncia, por meio do número 100. Outro número para denúncias anônimas é o 180, voltado aos demais crimes. Os dois números são gratuitos e válidos para todo o país.

Já a Delegacia de Defesa da Mulher de Tatuí recebe denúncias pelo telefone (15) 3251-7154. Porém, também é possível denunciar casos de agressões físicas, morais, entre outros crimes, pessoalmente na Delegacia de Defesa da Mulher, na Rua Coronel Aureliano de Camargo, n. 743, no Centro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário