Boletim de informações COVID-19 n° 303 Tatuí, 25 de novembro de 2020, quarta-feira - 11h00h

3799 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
3630 PACIENTES RECUPERADOS
85 ÓBITOS CONFIRMADOS
84 INFECTADOS EM TRATAMENTO
31,71 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 10 de novembro de 2020

Rodovia Castello Branco completa 52 anos do trecho SP a Tatuí

A SP-280, inicialmente, foi entregue ao trânsito entre São Paulo e Tatuí

Foto: Arquivo DT imagens

Do Cruzeiro do Sul, com informações da CCR ViaOeste e copidesque do DT

10/11/2020 | Projetada com um conceito de autoestrada até então nunca visto no País, a rodovia Castello Branco (SP-280) nasceu no final da década de 1960 como a mais moderna rodovia brasileira na época. Meio século depois, comemora seus 52 anos de amadurecimento e é um dos principais corredores que levam o desenvolvimento da Capital rumo ao oeste do Estado de São Paulo.

Nomeada incialmente como Auto-Estrada do Oeste, foi um marco na história da construção civil rodoviária, sendo a primeira obra dessa dimensão no País. Sua implantação, iniciada em 1963, representou uma decisiva contribuição para o aprimoramento tecnológico da engenharia nacional da época. Foi concebida com uma série de diferenciais de conforto e segurança, curvas com ampla visibilidade, largo canteiro central já prevendo futuras ampliações, além de uma inclinação máxima que já permitia que os veículos daquela época fizessem todo o trajeto a 120 km/h.

A rodovia começa no complexo viário conhecido como “Cebolão”, no acesso às vias marginais dos rios Tietê e Pinheiros, em São Paulo. O primeiro trecho, com 171 km de extensão, entre São Paulo e Torre de Pedra, foi inaugurado pelo governador Abreu Sodré em 10 de novembro de 1968, liberando o trânsito da Capital até o km 129, em Tatuí, conforme consta no livro Capítulo 129, de Antonio Alcebíades Paes. Hoje, passando por várias cidades do interior, ela leva os motoristas até o entroncamento com a SP-225, entre Espirito Santo do Turvo e Santa Cruz do Rio Pardo.

Na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), a Castello Branco passa pelas cidades de Araçariguama, São Roque, Mairinque, Itu, Sorocaba, Porto Feliz, Boituva, Tatuí e Cesário Lange.

Essa extensa via corta importantes municípios, que viram seu crescimento ser alavancado às margens da Castello Branco. Nos nove municípios cortados pela rodovia no trecho sob administração da CCR ViaOeste (entre Osasco e Itu) residem mais de 1,8 milhão de pessoas. Isso sem falar dos mais de 12 milhões de habitantes da Capital e outros 600 mil moradores de Sorocaba, que têm relação direta com a rodovia.

Pelo trecho inicial da Castello Branco circulam diariamente 180 mil veículos, sendo 29 mil caminhões. Já no trecho do interior, na região de Itu, o fluxo também é bastante expressivo, com mais de 66 mil veículos todos os dias, sendo 17 mil caminhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE