Boletim de informações COVID-19 n° 303 Tatuí, 25 de novembro de 2020, quarta-feira - 11h00h

3799 CASOS CONFIRMADOS VÍRUS SARS-COV-2
3630 PACIENTES RECUPERADOS
85 ÓBITOS CONFIRMADOS
84 INFECTADOS EM TRATAMENTO
31,71 MÉDIA MÓVEL INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Arquiteta tatuiana é eleita para o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo

Maíra Camargo Barros integra chapa 100% feminina em eleição da CAU-SP

Por O Progresso com edição do DT
Leia a matéria original aquií

Maíra atuou como presidente do Condephat no biênio 2018/2019 (foto: arquivo pessoal)

04/11/2020 | Em eleição realizada no dia 15 de outubro, a arquiteta e urbanista tatuiana Maíra Camargo Barros foi eleita como suplente para a próxima gestão do CAU-SP (Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo), no triênio 2021/2023.

Graduada pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e especialista em gestão de obras de conservação e restauro do patrimônio cultural pelo Ceci (Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada), atualmente, Maíra é mestranda do programa de pós-graduação em história na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

No município, a arquiteta e urbanista atuou como presidente do Condephat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico de Tatuí), no biênio 2018/2019. Maíra será a suplente da titular Poliana Risso Silva Ueda.

Elas integram a chapa “CAU+Plural”, composta somente por profissionais mulheres, vencedora do pleito que registrou a maior participação de arquitetas e urbanistas da história do conselho. A chapa recebeu 11.568 dos 29.132 votos válidos, sendo a primeira a obter a preferência de quase 40% dos votantes.

A partir do recorde, a chapa conseguiu, de maneira inédita, garantir o maior número de vagas no conselho, elegendo 49 cadeiras no plenário. Entre as 77 vagas, 54 serão ocupadas por arquitetas e urbanistas mulheres.

Com a estratégia, o próximo mandato da CAU-SP contará com 77% de mulheres, sendo 54 titulares e 66 suplentes. Desta forma, inverteu-se a composição anterior, a qual possuía 76% dos conselhos estaduais representados por homens.

“Uma vitória bastante expressiva, que deixa honrada a categoria formada, hoje, majoritariamente por mulheres, representando 63% dos registros no conselho em âmbito nacional”, afirmou a chapa vencedora, em nota enviada à imprensa.

“Apesar de serem maioria na atualidade, mulheres arquitetas são historicamente pouco reconhecidas e representadas nas instituições e no mercado de trabalho”, completou a nota.

Maíra destaca que o regime eleitoral do CAU é parlamentarista e, desta maneira, todas as chapas que obtêm mais de 20% dos votos válidos assumem cadeiras em número proporcional aos votos recebidos.

Conta Maíra que “a criação de uma chapa feminina não tem como intenção que o CAU seja composto apenas por arquitetas, mas de que arquitetos e arquitetas estejam representados de maneira mais proporcional na autarquia estadual”.

“Dar voz e vez às mulheres e a outros grupos menorizados dentro da arquitetura, como os negros, os ‘LGBTQIA+’, se faz necessário e urgente. Há um longo caminho a ser percorrido rumo à pluralidade, mas estamos dispostas a abri-lo e trilhá-lo”, ressaltou.

A arquiteta indica que a proposta da CAU+Plural está baseada em princípios: equidade de gênero e raça, pluralidade, cooperação, empatia, conectividade, reinvenção, horizontalidade e inclusão.

“Sentimos a necessidade de compor uma chapa feminina apartidária, composta por mulheres bastante diversas: temos candidatas de 25 a 70 anos, que atuam em diferentes segmentos da arquitetura e do urbanismo, e contamos com arquitetas negras e indígenas na composição da chapa”, informou Maíra.

De acordo com a profissional tatuiana, “infelizmente, muitas arquitetas e arquitetos veem a autarquia somente como uma cobradora de taxas e anuidades”. A partir disso, segundo ela, “a chapa busca colaborar para um CAU-SP que apoie os arquitetos em diferentes fases da vida, integrando o profissional ao conselho, ouvindo suas necessidades, anseios e frustrações”.

“É necessário que o CAU-SP inclua os profissionais que atuam nas diferentes frentes de trabalho abarcadas pela arquitetura e urbanismo, como projetos residenciais, comerciais e institucionais, urbanização de favelas, patrimônio cultural, gestão pública, professores universitários e de nível técnico, desenho da paisagem, entre tantas outras especialidades”, sustentou.

Por fim, Maíra se diz satisfeita e entusiasmada por participar de uma chapa feminina “tão diversa, pautada em princípios como horizontalidade, equidade e representatividade”. Ela é uma das representantes da região de Sorocaba e a única tatuiana da chapa vencedora.

“Representar a região de Sorocaba e, consequentemente, Tatuí no CAU-SP é uma grande oportunidade de chamar a atenção para nossa cidade e motivar outros profissionais tatuianos e da região a se dedicarem aos órgãos de classe, tão fundamentais para a valorização de nossa profissão”, concluiu Maíra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE