Nosso Jornal Online

Tatuí, 


sábado, 21 de dezembro de 2013

Estudo identifica pontos críticos no trânsito da cidade

Do jornal O PROGRESSO DE TATUÍ - O Demutt (Departamento Municipal de Trânsito e Transportes) divulgou, nesta semana, levantamento que identifica as vias e horários de maior congestionamento na cidade. Trata-se dos chamados “pontos críticos”.

O Progresso teve acesso ao estudo realizado recentemente pelo Executivo. Nele, o órgão lista sete locais com incidência elevada de veículos e as alternativas que a Prefeitura deverá implantar para “desafogar” o trânsito.

O primeiro local apontado é a avenida Vice-prefeito Pompeo Reali, onde os horários de tráfego mais intenso coincidem com os de entrada e saída das fábricas instaladas naquela região: das 6h45 às 7h30, das 13h45 à 14h15 e das 16h45 às 17h30.

No cruzamento entre as ruas do Cruzeiro e 11 de Agosto, os horários de pico estão relacionados com a entrada e saída de alunos da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) “Eugênio Santos”. Nesse local, o Demutt identificou que os horários de maior movimento de veículos são: das 6h40 às 7h, das 11h40 às 13h e das 17h20 às 17h45.

Na rua Teófilo Andrade Gama, apontada como a única via de acesso para a região do bairro Santa Rita, o departamento constatou que o tráfego é intenso durante o dia todo. Conforme o estudo divulgado, há “acentuações” nos períodos da manhã, por volta das 7h, e da tarde, a partir das 17h30.

Dois horários de congestionamento foram identificados na avenida Salles Gomes: das 6h45 às 7h15 e das 17h30 às 18h30. Segundo o Demutt, o trânsito nessa avenida seria intenso por “tratar-se da principal via de saída da cidade”. A Salles Gomes dá acesso aos bairros Jardim América, São Conrado, aos residenciais Colina das Estrelas e São Marcos e à cidade de Sorocaba.

Na rua 11 de Agosto, os pontos críticos estão divididos em quatro trechos. São eles: o cruzamento com a rua do Cruzeiro (área escolar); a Praça da Matriz (próxima a dois semáforos); o semáforo que dá acesso ao bairro Santa Emília; e o cruzamento com a avenida Cientista José de Barros Magaldi. Nos dois últimos locais, o departamento informou que o congestionamento é registrado, principalmente, pela manhã e no final do dia.

Outro ponto listado no levantamento é a avenida Cônego João Clímaco de Camargo (Mangueiras). Nela, o fluxo de veículo é acentuado das 17h até às 18h30, principalmente no acesso à rua Teófilo Andrade Gama.

A rua São Bento é a última via apontada no estudo dos pontos críticos. O Demutt identificou “forte congestionamento” no horário compreendido entre 16h45 e 17h45, no trecho que faz cruzamento com a rua 11 de Agosto.

Além das sete áreas apresentadas na pesquisa, o departamento destacou que outras ruas da cidade podem apresentar fluxo carregado. A razão é que elas não “estão preparadas para comportar a quantidade de veículos que se deslocam por elas”.

Aos sábados, no horário entre 10h às 12h, a área central é a que “sofre” com o congestionamento. Segundo o Demutt, muitos motoristas “ficam apenas circulando pelo centro” com seus veículos, acarretando em lentidão no tráfego.

O departamento informou que a Prefeitura deve adotar “algumas ações para minimizar a situação”. Na Pompeo Reali, por exemplo, o Executivo deverá realizar intervenções por conta de revitalização da avenida. O projeto está em fase de finalização.

Também houve retomada das obras do anel viário. O dispositivo deverá amenizar o fluxo de caminhões na mesma avenida, que dá acesso ao município.

O cruzamento entre as ruas Cruzeiro e 11 de Agosto é apontado como “um dos mais problemáticos” devido à existência da escola municipal. Para desagravar a lentidão, o departamento pretende organizar o fluxo dos ônibus e “vans” escolares no local.

Para a Teófilo Andrade Gama, as principais ações para melhoria do tráfego deverão ser implantadas nos cruzamentos. Está prevista, por exemplo, a criação de alças de acesso aos bairros São Lázaro e ao Jardim Santa Rita de Cássia.

Na avenida Salles Gomes, a Prefeitura estuda a possibilidade de reforçar a sinalização e proibir o estacionamento de veículos em alguns trechos. A mão de direção da rua Professor Adauto Pereira poderá ser mudada para sentido centro-bairro. O Demutt também está em contato com a ALL (América Latina Logística) para melhorar a passagem de veículos no trecho da linha férrea do cruzamento de trens.

Para dar mais fluidez ao trânsito na 11 de Agosto, o departamento prevê o fechamento de “alguns acessos” ao longo da rua. São mais de 30 canteiros e passagens contabilizados a partir do acesso ao bairro Santa Emília.

Também devem ser implantadas alças de acesso com retornos fora da rua e feita sincronização de semáforos. Essa última medida deverá permitir, conforme o departamento, que os motoristas trafeguem “com probabilidade menor de parada a cada semáforo”. O Demutt também deverá remodelar o cruzamento (rotatória) da rua 11 de Agosto, na altura que dá acesso ao Santa Emília.

Em trechos da avenida Cônego João Clímaco de Camargo está prevista a implantação da chamada “mão inglesa” (quando o motorista trafega pela esquerda, o oposto do habitual), além de reforço na sinalização e remodelação dos pontos de ônibus. Os objetivos são “melhorar circulação dos carros e diminuir pontos de conflito”.

Na São Bento, o Demutt estuda a implantação de um semáforo de três tempos no cruzamento com a 15 de Novembro e com a avenida Coronel Firmo Vieira de Camargo. A medida visa diminuir o impacto no trecho e facilitar o deslocamento dos veículos que querem seguir em direção ao centro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário