Nosso Jornal Online

Tatuí, 


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Coro Sinfônico participa de concerto com a Sinfônica Heliópolis na Sala São Paulo

No dia 19 de dezembro (quinta-feira), às 21h, a Orquestra Sinfônica Heliópolis, mantida pelo Instituto Baccarelli, encerra uma temporada que trouxe ao longo deste ano grandes nomes da música erudita no mundo, tais como Berenika Glixman (piano), Julian Rachlin (violino), Eiko Senda (soprano), Antonio Meneses (violoncelo) e Tomer Lev (piano). Mais uma vez, o concerto será regido pelo maestro Isaac Karabtchevsky, que desde 2011 está na direção artística do grupo. 

Além de sua própria temporada, a OSH iniciou o ano com o desafio de substituir a Osesp em outubro. Foram três datas na Sala São Paulo, com direito a estrear mundialmente a obra “Noturno”, de André Mehmari. Para fechar um ano de muitas conquistas com chave-de-ouro, a Sinfônica Heliópolis recebe, pela segunda vez em 2013, o Coral Cultura Inglesa e o Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí. A obra escolhida para o concerto, “A Criação”, de Franz Joseph Haydn, celebra a criação do mundo, e combina perfeitamente com a época de festas e passagem de ano. A apresentação terá ainda como solistas a soprano Lina Mendes, o tenor André Vidal e o barítono Vinícius Atique. 

Orquestra Sinfônica Heliópolis 

A Orquestra Sinfônica Heliópolis promove prática orquestral refinada e conhecimento de repertório sinfônico a alunos avançados do Instituto Baccarelli, oriundos da comunidade e de outras regiões do país. Isaac Karabtchevsky, renomado maestro brasileiro, é diretor artístico e regente titular da orquestra, que tem Zubin Mehta como patrono.

Atualmente com 86 músicos, a orquestra já foi regida por maestros internacionais como Peter Gülke, Yutaka Sado e Zubin Mehta; tocou ao lado de grandes solistas eruditos, como Julian Rachlin, Erik Schumann, Leonard Elschenbroich, Shlomo Mintz, Arnaldo Cohen, Jean Louis Steuerman, Daniel Guedes e artistas populares, como João Bosco, Toquinho, Luiz Melodia e Paula Lima.

Nos últimos anos, a qualidade e o sucesso alcançados pela Sinfônica Heliópolis têm despertado crescente interesse de músicos e empreendedores do meio musical para o trabalho do Instituto Baccarelli. Esse respaldo tem culminado em visitas ilustres ao Instituto. Em 2012, por exemplo, o maestro britânico Frank Shipway presenciou aulas e ensaios de corais, aulas de instrumento e conduziu parte do ensaio da Sinfônica Heliópolis; além dele, o dinamarquês Thomas Dausgaard regeu um ensaio da Sinfônica Heliópolis. Ambos os maestros estavam em São Paulo para participar da temporada 2012 da principal orquestra do país, a OSESP, que organizou as visitas ao Instituto Baccarelli. O diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, acompanhou Dausgaard pessoalmente durante a visita.

Isaac Karabtchevsky

Diretor artístico do Instituto Baccarelli e da Orquestra Sinfônica Heliópolis, diretor artístico e regente titular da Orquestra Petrobras Sinfônica. Atualmente é também o responsável pela programação artística do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

De 1988 a 1994, tornou-se Diretor Artístico da Orquestra Tonkünstler, de Viena, com a qual realizou várias turnês internacionais, tendo sempre recebido críticas consagradoras. Na Áustria, em virtude de sua importante atividade, recebeu condecoração do governo austríaco, reconhecimento concedido pela primeira vez a um artista brasileiro.

De 1995 a 2001, foi diretor artístico do Teatro La Fenice, em Veneza, com o qual fez extensas turnês tanto na Europa como no Japão. Entre 2004 e 2009, foi diretor artístico da Orchestre National des Pays de la Loire (ONPL), na França. Em reconhecimento ao seu trabalho recebeu do governo francês, em 2007, a comenda Chevalier des Arts e des Lettres. 

Dentre os teatros e orquestras de prestígio dessa fase, estão a Salle Pleyel, de Paris, o Konzertgebouw, de Amsterdã, o Musikverein, de Viena, o Festival Hall, de Londres, a Accademia di Santa Cecilia, de Roma, o Teatro Real, de Madrid, a Staatsoper, de Viena, o Carnegie Hall, em Nova Iorque, o Teatro Comunale, de Bologna, a Rai, de Torino, o Teatro Colon, em Buenos Aires, a Deutsche Oper am Rhein, de Düsseldorf, a Orquestra Gurzenich, de Colônia, a Orquestra Filarmônica de Tóquio, entre outras.

A partir de 2004, Karabtchevsky assumiu a direção da Orquestra Petrobras Sinfônica. Nesta fase prepondera sua vasta experiência no repertório sinfônico e também a visão do regente habituado a títulos do porte de Billy Budd, de Britten e inúmeras produções que o levaram a dirigir, na Ópera de Washington, uma notável realização de Boris Godunov, considerada pelo crítico Tim Page, do Washington Post, como a melhor da temporada de 1999-2000.

No início de 2011, Karabtchevsky recebeu o convite para dirigir a Orquestra Sinfônica Heliópolis, grupo de excelência do Instituto Baccarelli, em Heliópolis – que já foi considerada a maior favela de São Paulo –, assumindo paralelamente a direção artística do Instituto. Este projeto se inscreve como um dos maiores desafios recebidos nos últimos tempos, pois vem de encontro à sua aspiração de desenvolver, em comunidades brasileiras, a formação de orquestras jovens.

Foi convidado pela OSESP para a gravação da integral das sinfonias de Villa-Lobos, que está se realizando no período compreendido de 2011 a 2016. Este projeto é resultado de um profundo trabalho de reconstituição das partituras e do resgate de uma importante e esquecida vertente da produção do compositor.

Foi também diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo, da Orquestra Sinfônica Brasileira ( 1969 a 1995 ) e da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí 

Fundado em 1988, o Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí – mantido pelo Conservatório de Tatuí, equipamento da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo de São Paulo – é formado por cerca de 30 alunos bolsistas e professores-monitores da instituição. O grupo oferece aos estudantes uma ampla experiência do ambiente profissional voltado para a atividade coral, e vem realizando apresentações importantes de repertório a capella, de música brasileira, repertório sinfônico e óperas. Uma das características marcantes do grupo é a interpretação cênica das músicas. Em 1990, o Coro Sinfônico estreou o espetáculo “Da Boca do Circo”, a primeira grande produção realizada pelo grupo. Posteriormente, montagens como a “Suíte dos Pescadores” e “Na Era da Rádio” fizeram grande sucesso em excursões pelo interior do Estado de São Paulo.

O Coro do Conservatório de Tatuí lançou seu primeiro CD, “Expressões”, no ano de 2001 e é o único bicampeão do Mapa Cultural Paulista – concurso promovido pela Secretaria de Estado da Cultura – tendo vencido as edições de 2001/2002 e 2007/2008. 

Em 2011, junto com a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, apresentou a cantata cênica “Carmina Burana”, de Carl Orff, na série de concertos TUCCA, na Sala São Paulo – projeto que será representado neste ano de 2013. Em 2012, no mesmo projeto, realizou a “Sinfonia nº 9 em ré menor, op. 125 – Coral”, de L. Beethoven, com espetáculos em três cidades do Estado de São Paulo.

Também nos últimos anos, o Coro Sinfônico vem se destacando em produções do Núcleo de Ópera do Conservatório de Tatuí. O grupo apresentou as óperas “Dido e Enéas”, de Henry Purcell (2009); “La Serva Padrona”, de Giovanni Battista Pergolesi, e “Orfeu no Inferno”, de Jacques Offenbach (2011); e “Orfeu e Eurídice”, de Christoph Willibald Gluck (2012).

Coral Cultura Inglesa 

O Coral Cultura Inglesa iniciou suas atividades em 1981. Teve como regentes Celso T. Delneri (assistido por Maria José Carrasqueira), Celso Antunes, Juan Serrano, Graham Griffiths, Marta Herr e desde 1994 está sob a regência de Marcos Júlio Sergl. O Coral é aberto ao público em geral e a participação é gratuita. Possui em seu repertório peças sacras, seculares, populares, obras da renascença inglesa, do West End londrino, negro spirituals, folclore brasileiro e repertório específico de Cânticos Natalinos. Em 2011, a Cultura Inglesa encomendou a renomados compositores brasileiros peças inéditas em ocasião da celebração dos 30 anos de seu Coral. André Mehmari, Ernani Aguiar, Ernst Mahle, Gilberto Mendes, Osvaldo Lacerda, Ronaldo Miranda, Silvio Ferraz e Edmundo Villani-Côrtes são os grandes artistas que agraciaram o Coro com as belíssimas obras que compõem um CD gravado pelo Coro, a ser lançado em 2013 e que conta com participação especial do Quinteto de Sopros do Instituto Baccarelli. 

SERVIÇO:
Orquestra Sinfônica Heliópolis
Isaac Karabtchevsky, regente
Coral Cultura Inglesa
Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí
Lina Mendes, soprano
André Vidal, tenor
Vinícius Atique, barítono
Ingressos: R$ 40 (com meia-entrada). 
Mais informações: 11 3223 3966 (Bilheteria Sala São Paulo)
Vendas: Ingresso Rápido: http://www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=25751 ou Bilheteria da Sala São Paulo
Classificação etária: Livre
Acesso para portadores de necessidades especiais
Estacionamento Estapar (R$ 12 com desconto Estapar/ R$ 20 sem desconto)

PROGRAMA:
19 de dezembro / quinta-feira/21h00 / Sala São Paulo
Franz Joseph Haydn (1732-1809)
A Criação

Nenhum comentário:

Postar um comentário