Nosso Jornal Online

Tatuí, 


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

artigo: SEXTA-FEIRA, 13

Vicente Menezes

Há muitas crendices sobre personificações do mal. Datas, símbolos, amuletos. Jason parece ter sobrevivido às 12 edições de terror nos cinemas. A maldade permanece até então eterna desde a queda de Lúcifer. E a sexta-feira, 13, foi de fato sangrenta para os tatuianos. Um gato preto cruzou nosso caminho. Preto e de olhos claros. Disfarçados pelo azul lacrimejante da falsa justiça que entreabre as vistas ao sabor de suas pretensões políticas, aventuras e desventuras eleitorais. O futuro da nossa cidade foi hoje ceifado, pelos mesmos personagens que foram exorcizados nas urnas, antes que sepultassem irremediavelmente os cofres do nosso município.

Não há bala de prata para saldar dívidas. É preciso economizar, racionar, priorizar. Iniciamos 2013 com passivo de R$ 38 milhões, dos quais R$ 20 milhões já foram amortizados. Mais da metade. Nenhum milagre. Apenas, trabalho e boa vontade. Mas, não apenas pagamos a conta do mal. Com olhos iluminados pela novidade e antes pelo compromisso, recuperamos máquinas devolvidas por puro revanchismo, reabilitamos nossas certidões que estavam negativadas, concluímos obras paradas, conseguimos novos recursos, como os R$ 18,7 milhões do PAC 2, que trarão para nossa cidade o maior pacote de infraestrutura da história de Tatuí. Mas, ainda há muito a combater. Afinal, esses zumbis zombeteiros têm um insaciável apetite pelo poder. O Silêncio dos Inocentes.

Tatuí precisa sim da revisão do IPTU. Esse recurso, que representará impacto de aproximadamente R$ 8 milhões no exercício 2014, é fundamental para sanearmos o caixa do município e recuperarmos nossa capacidade de investimento, galgando o salto de qualidade com que todos nós sonhamos. Ainda há buracos nas ruas. Há covas que sobrevivem há mais de duas décadas. Há ainda nuvens negras a serem esparsas na saúde. 

A revisão do imposto cumpriu todo procedimento legal e contou com aprovação do Poder Legislativo. Houve ainda redução das alíquotas 3% para 2% no imposto territorial e de 1,5% para 1% para o imposto predial. O reajuste que varia entre 25% e 30% resulta, portanto, exclusivamente da atualização da planta genérica de imóveis, que não era alterada desde 2008, sofrendo exclusivamente ajustes inflacionários.

Defenderemos essa medida, mesmo que impopular, por compromisso público. Nossa contestação à justiça é também ao oportunismo perverso de uma oposição inepta, que joga contra a cidade, tentando ludibriar a opinião pública com outro factoide amparado pela imprensa que já foi marrom e hoje veste negro: rádio-terror.

Fui favorável à revisão do imposto há cinco anos, mantenho hoje o mesmo posicionamento. Coerente às minhas convicções e imune ao sopro dos ventos eleitorais. Curiosamente, o beijo é a véspera do escarro. A mão que afaga é a mesma que apedreja. O ex-prefeito de Tatuí, Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, autor do maior reajuste de IPTU da história de Tatuí, superior a 75% de aumento, hoje mudou de ideia. Só em cinema. Drama. Filme de terror.


Vicente Menezes é o atual vice-prefeito de Tatuí e secretário municipal de Governo, Segurança Pública e Transportes. Acumula mais de 20 anos de dedicação à vida pública, com seis mandatos consecutivos, três como vereador e três como vice-prefeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário