Boletim de informações COVID-19 n° 125 Tatuí, 01 de junho de 2020 - 11h

157 CONFIRMADOS
117 RECUPERADOS
10 ÓBITOS
21 SUSPEITOS
1 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

segunda-feira, 19 de março de 2012

Projeto oferece curso gratuito de piloto de planador em Tatuí

Planador usado no curso do Aeroclube de Tatuí com cabine dupla para aluno e instrutor. (Foto: Divulgação)

Inscrições vão até o dia 2 de abril.
Sete aeroclubes do interior paulista oferecem o curso.

Eduardo Ribeiro Jr

Do G1 - A Federação Brasileira de Voo a Vela (FBVV) está com inscrições abertas para interessados em concorrer a uma bolsa gratuita para o curso de formação de pilotos de planador. Serão 68 bolsas fornecidas pelos projetos Voa São Paulo e Santos Dumont, financiados pela FBVV, para sete aeroclubes do interior do de São Paulo. A intenção é de popularizar o esporte. Para concorrer a bolsa, o candidato deverá se inscrever, até o dia 2 de abril, por um endereço eletrônico. Após a inscrição, o interessado deverá procurar um dos aeroclubes participantes para agendar o voo de experiência com o instrutor. Esse primeiro contato com o equipamento já será eliminatório. Aqueles que tiverem melhor avaliação receberão a bolsa para o curso gratuito.

Experiência de aluno
Sergio Barci, 42 anos, é aluno do curso de planador do Aeroclube de Tatuí. Ele, que é um admirador da aviação, desde 1981, já é habilitado para pilotar ultraleves, e está ansioso para concluir o curso e poder fazer o voo a vela. Barci, que começou o curso há pouco mais de um ano, diz que faltam algumas horas para completar o tempo mínimo de voo. "Estou fazendo o curso por hobby. Além do prazer em voar, ainda temos o estimulo da equipe do Aeroclube de Tatuí, que é bem disposta e animada. Enquanto você aguarda o próximo voo, você faz contato com outras pessoas com gosto em comum", conta.
Barci e o instrutor em pleno voo com o planador.
(Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal)

O aluno diz que é bem diferente pilotar um ultraleve e um planador. "Além do contato com a natureza, de voar com os pássaros, você tem o desafio pessoal, saber que está voando apenas com a força do vento, sem contar com o motor. Tem que descobrir onde estão as correntes térmicas para permanecer o maior tempo voando".

Ele mora em São Roque, também no interior paulista, e tem que viajar por uma hora até Tatuí, mas isso não é sacrifício para ele.

Em média, durante o curso são 50 voos. "Tem alunos que fazem o curso com 40 horas, outros com 60 horas de voo. Isso vai depender da habilidade, do rítmo e, também das condições meteorológicas", completa dizendo que o melhor clima é o dia ensolarado, facilitando para o piloto ficar mais tempo planando. Já os dias nublados servem mais para o treinamento de pouso e decolagem. Para levantar voo, o planador precisa ser puxado por um outro avião (chamado de reboque) até atingir a altura necessária para planar.
O voo a vela requer habilidade do piloto para
encontrar as correntes térmicas. (Foto: Divulgação)

Barci está a duas horas de voo para atingir a quantidade mínima do curso. Além das horas que faltam, também terá que passar por um avaliador credenciado pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). "O processo para tirar o brevê é semelhante ao de tirar a carteira de motorista. Quando fizer o exame, vou pilotando e ele, avaliando".

Assim que conseguir a habilitação para o voo a vela, Sergio Barci pretende disputar na modalidade, mas para isso, segundo ele, terá que treinar bastante para atingir o nível de competição.

Quando entrou no curso, bolsista do programa Santos Dumont, o aluno já tinha a consciência de ser um esporte muito seguro. Para ele, a experiência com o ultraleve facilitou bastante, mas recomenda para todos. "Não é nada que extrapole as habilidades normais de cada um. É quase como andar de bicicleta, quando se adquire uma certa experiência", conclui.

Esporte
O Voo a Vela, também chamado de Volovelismo, é considerado um esporte, em que o competidor opera um tipo de avião sem motor, se utilizando apenas das correntes atmosféricas. No Brasil, é a própria FBVV que promove o Campeonato Brasileiro. O esportista tem que percorrer uma distância pré-determinada com a maior velocidade possível. Os planadores podem chegar a quase 200km/h. Em 2011, foi realizado o 53º Campeonato Nacional da categoria, na cidade de Bebedouro, SP.

Aeroclubes conveniados
Segue a lista dos aeroclubes do interior de São Paulo que oferecem o curso:
- Bauru (14) 3234-7900 - www.aeroclubedebauru.com.br
- Bebedouro (17) 3044-2122 - www.aeroclubebebedouro.com.br
- Caçapava (12) 3944-4177 - www.vooavelacta.com.br
- Jundiaí (11) 4815-5840 - www.planadoresjundiai.org.br
- Marília (14) 3433-3586 - www.aeroclubedemarilia.com.br
- Rio Claro (19) 3524-2646 - www.aeroclubederioclaro.com.br
- Tatuí (15) 3251-4368 - www.aeroclubedetatui.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário