Boletim de informações COVID-19 n° 126 Tatuí, 02 de junho de 2020 - 11h

173 CONFIRMADOS
124 RECUPERADOS
10 ÓBITOS
22 SUSPEITOS
1 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Em Iperó, velório tem confusão após prefeitura tentar lacrar caixão de idoso morto com suspeita de coronavírus

Familiares abriram o caixão e mais de 20 pessoas tiveram contato com o corpo; atestado de óbito emitido por hospital não tinha Covid-19 como causa provável.

Por Mayco Geretti, G1 Sorocaba e Jundiaí, com edição do DT

O idoso de 82 anos estava se preparando para receber alta, quando teve uma piora repentina do quadro — Foto: Arquivo pessoal

02/04/2020 | O velório de um idoso de 82 anos que morreu na quarta-feira (1º) com suspeita de coronavírus terminou em tumulto na cidade de Iperó (SP) nesta quinta-feira (2). Familiares abriram o caixão do aposentado apesar da orientação da prefeitura para que o caixão da vítima fosse lacrado.

A confusão começou porque a Covid-19 não foi listada como causa provável no atestado de óbito feito por um integrante da equipe médica do Hospital São Luiz, hospital de Boituva (SP), onde o aposentado José Ferreira estava internado.

No documento, aparecem como causas prováveis insuficiência respiratória a apurar com exame Swab/Orofaringe e doença de Parkinson.

Com isso, apesar da recomendação do secretário de Saúde do município, Eli Teles, para que o velório fosse realizado com caixão fechado, a família abriu o caixão por conta própria, o que gerou tumulto.

Durante as cerca de duas horas de velório, 11 filhos do aposentado, além de outros familiares e até desconhecidos ficaram perto do corpo em esquema de rodízio, respeitando o limite de 10 pessoas por vez na sala.

Érica de Campos Ferreira, filha do aposentado, afirmou ao G1 que a família decidiu abrir o caixão porque a Covid-19 não aparecia no atestado.

Além disso, a família teria confiado na informação que teria sido prestada por um médico do hospital de Boituva descartando a doença, mesmo com o idoso tendo sido mantido em isolamento desde sua internação em 20 de março.

"Durante todos esses dias de internação que meu pai ficou lá não pudemos chegar perto porque nos falavam que tinha risco de coronavírus, mas depois da morte, falaram que esse risco estava afastado. Estávamos com saudades dele e quisemos fazer a homenagem", conta a filha.

O G1 tentou contato com o hospital, mas foi informado de que apenas a assistente social poderia se pronunciar sobre o assunto, porém já teria ido embora nesta quinta-feira (2).

Entre as causas prováveis da morte o Hospital São Luiz, de Boituva (SP) não considerou a Covid-19 — Foto: Arquivo pessoal


Aguardando resultado

Apesar do Hospital São Luis não atestar morte suspeita por Covid-19, o idoso havia sido testado para a doença e o teste segue com resultado pendente no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. A previsão é de que o laudo saia nesta sexta-feira (3).

O Prefeito de Iperó, Vanderlei Polizeli, e o secretário de Saúde publicaram um vídeo numa rede social informando o óbito e o colocando como uma das duas mortes suspeitas por Covid-19 que aguardam confirmação.

A Prefeitura de Iperó também informou, por nota, que embora a família tenha desobedecido as recomendações de segurança durante o velório, o recinto foi totalmente higienizado para a realização do outro velório que foi realizado na sequência.

A Secretaria de Saúde informa ainda que, com base no resultado do exame feito no idoso, poderá requerer a quarentena para todas as pessoas que passaram pelo velório e tiveram contato com o corpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário