Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Tatuí terá Jornada do Patrimônio Cultural nos dias 22 e 23

Ação deverá oferecer visitas guiadas aos patrimônios edificados, roteiros de passeios, palestras, oficinas e atividades pela cidade

Museu Paulo Setúbal é uma referência histórica para Tatuí e região

Nos dias 22 e 23 de setembro, o Museu Histórico Paulo Setúbal, a Capela do Benfica, a Fábrica São Martinho e a Fábrica Santa Adélia estarão participando da Jornada do Patrimônio Cultural Paulista 2018.

Esta será a primeira vez que Tatuí participará do evento, sendo que manifestou interesse por meio da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH), devido à importância de suas edificações.

A ação é promovida pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em parceria com 42 prefeituras do interior do Estado, e tem como intuito valorizar a história paulista e o potencial turístico, aproximar o público de patrimônios históricos e culturais, por meio de visitas guiadas aos patrimônios edificados, roteiros de passeios, palestras, oficinas e atividades pela cidade.

De acordo o secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello, ninguém preserva o que não conhece e a Jornada melhora a relação com o espaço urbano. O secretário ainda ressalta o vínculo da preservação com o turismo. “O patrimônio histórico promove a inclusão do ponto de vista sociocultural e socioeconômico, neste aspecto, quando há investimento em cultura, há retorno econômico para a sociedade”, reforça. 

A História - A primeira Jornada do Patrimônio aconteceu em 1984, na França, por iniciativa do Ministro da Cultura, Jack Lang. Ela acontecia no terceiro domingo de setembro e se chamava “Jornada Portas Abertas nos Monumentos Históricos”. A ideia era abrir as portas de locais reconhecidos como patrimônio nacional, tais como monumentos, igrejas, casas, bancos, tribunais, prefeituras, hotéis entre outros locais públicos e privados, que comumente não estão livremente abertos ao público.

Em São Paulo - No ano de 2015, a prefeitura da cidade de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura e do Departamento do Patrimônio Histórico, decidiu instituir a “Jornada do Patrimônio”, com proposta semelhante à existente na Europa.

Dedicaram um fim de semana completo à reflexão e ao conhecimento do patrimônio presente na cidade de São Paulo, em especial aqueles locais pouco conhecidos por dentro, como o gabinete do prefeito, por exemplo, ou um apartamento privado do Edifício Lausanne, projetado pelo arquiteto Franz Heep. A Secretaria de Estado da Cultura, também, abriu seus equipamentos para visitação. Nos anos seguintes, a Jornada do Patrimônio na cidade de São Paulo foi ampliada e está em sua quinta edição neste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário