Nosso Jornal Online

Tatuí, 


domingo, 23 de setembro de 2018

poesia | Rogério Vianna




exausto de mim
de me ver e não ser
de ser e não permitir
de permitir e não acontecer


cansei de ser o cara
de explicar o que é inexplicável
de responder o que não tem pergunta
de encontrar o que é pra ser escondido


fadiguei-me de me cansar
de cuidar de mim depois de ti
de estar aqui e depois, pra mim
de responder você e se der pra mim


há um vazio
algo inexplicável
algo incompreendido
algo que se cura, antes machuca


exaustão


cansaço
fadigação
e eu em mim


Rogério Vianna, 06/03/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário