Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Dolly não paga rescisão e sindicato vai acionar Justiça

Ex-funcionários do Centro de Distribuição, em São Bernardo, e das fábricas de Diadema e Tatuí estão sem receber rescisão de contrato

Yara Ferraz 
Do Diário do Grande ABC , com edição do DT

06/09/2018 | O Sintetra (Sindicato dos Rodoviários do ABC) planeja acionar a Justiça do Trabalho contra a fabricante de refrigerantes Dolly. Isso porque a empresa ainda não pagou a rescisão dos cerca de 300 trabalhadores que foram demitidos do CD (Centro de Distribuição) da marca, em São Bernardo.

De acordo com o coordenador do Sintetra, Ademir José da Silva, não houve mais negociações com a empresa. “A nossa data base já passou e mesmo para estes trabalhadores, que na maioria foram recontratados por outras empresas do grupo, ainda não há definição de quando este pagamento vai ser feito. Eles não receberam a rescisão nem valores de horas extras, férias e 13º salário. Estamos aguardando demais providências para entrar na Justiça e pedir um posicionamento da empresa”, afirmou.

A fábrica, que enfrentou série de problemas fiscais que culminou com a prisão do proprietário Laerte Codonho, hoje em liberdade, chegou a ter seus bens bloqueados pela Justiça, liberados posteriormente para pagamentos trabalhistas, o que não ocorreu.

Ontem, trabalhadores chegaram a fazer manifestação em frente ao CD. Ex-funcionários da fábrica de Diadema e de Tatuí também estão sem receber. O Diário questionou a Dolly sobre a situação dos ex-colaboradores, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário