Nosso Jornal Online

Tatuí, 


domingo, 27 de junho de 2010

História de Olavo Egydio Setubal - Banco Itaú S/A - (1923 - 2008)



Do site http://acirjr.blogspot.com

quinta-feira, 28 de agosto de 2008



Pessoal a pauta do post de hoje seria a continuidade das dicas de windows vista, mas hoje foi um pouco diferente, após chegar da empresa, tomar meu café e meu banho fui configurar o programa de cobrança do banco itaú no meu notebook, acontece que eu precisava de uma informação da minha conta que estava disponível no Itaú Bankline, então acessei o Bankline e ao abrir a página inicial apareceu uma homenagem dizendo que morreu aos 85 anos Olavo Egydio Setubal, ae fiquei pensando comigo mesmo para aparecer na página principal do Itaú esse cara deve ser importante vou dar uma pesquisada sobre ele, quando começei a abrir os sites fiquei admirado com a história de Olavo Egydio Setubal, tanto que resolvi colocar um post para que todos possam conhecer um pouco mais sobre quem ele foi.


Filho do escritor e poeta tatuiano Paulo Setubal e de Francisca de Souza Aranha Setubal, Olavo perdeu o pai aos 14 anos, passando a ter como referência o tio Alfredo Egydio de Souza Aranha.
Paulistano nascido a 16 de abril de 1923, o banqueiro Olavo Setubal se formou em engenharia em 1945, pela Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo), e logo depois começou a trabalhar como professor-assistente no Instituto de Pesquisas Tecnológicas. 


Após juntar US$ 10 mil --história que sempre gostou de contar--, Setubal e um amigo fundaram a Deca, fabricante peças de fechadura e de torneiras. Em 1953, a companhia adquiriu uma indústria de válvulas de descarga. Com o sucesso, foi chamado por um tio para salvar o Banco Federal de Crédito, então com problemas financeiros.


Assim, firmou de vez sua carreira como banqueiro ao assumir a direção da instituição em 1959, após a morte do tio. Em 1964, comprou o Itaú, cujo forte eram os clientes da área rural. Nos anos 70, após mais aquisições, ele já era o segundo maior banqueiro do país.
Foi prefeito da cidade de São Paulo de 1975 a 1979, no período militar. De março de 1986 a fevereiro de 1987, ocupou a função de ministro das Relações Exteriores. Após sair da pasta, nunca mais retornou à presidência do Itaú.
No final de 1974, foi criada a holding Itaúsa, que além do banco Itaú Holding Financeira (Itaú e Itaú BBA), congrega ainda operações industriais (Duratex, Itautec e Elekeiroz). O Itaú é, ao lado do Bradesco, um dos maiores conglomerados financeiros privados do país, com lucro de R$ 4,084 bilhões no primeiro semestre e uma carteira de crédito de R$ 148 bilhões.

Perde-se o grande líder, mas ficam sua inspiração, seus ensinamentos, valores e lições que, sem dúvida, direcionam todos nós a continuar sua obra.

Fonte: Folha online (Fotos João Sal/Folha Imagem)

Nenhum comentário:

Postar um comentário