Nosso Jornal Online

Tatuí, 


sábado, 28 de setembro de 2019

crônica | Wilson Rodrigues da Silva

A ordem no caos

Há certa ordem no caos
Há jardins pelos caminhos
Há flores entre espinhos
Nem todos os dias são maus.
(Wonderful life, Rosangela Calza)

A palavra caos nos diz “tudo aquilo que está em desequilíbrio”. Não fazemos previsões de um evento que irá ocorrer em poucos instantes, mesmo que busquemos todos os limites que nos cercam e precauções para evitarmos uma tragédia ou tentarmos mapear para que as palavras ou ações venham alegrar uma pessoa. Mesmo o universo sendo caótico, existe uma harmonia que acaba equilibrando todos os eventos da natureza.

Moro em uma cidade no meio do deserto, na qual não teria a possibilidade de se ter uma vegetação em meio ao passeio público. Ao homem foi concedido sabedoria para que pudesse explorar a ciência, assim adquirir meios para obter sucesso, mesmo que seja no deserto. Uma vez que são herdeiros dos povos da antiguidade, os quais obtinham o meio de produção por irrigação, dando continuidade até os dias de hoje fazendo uso dessa técnica. Ao passarmos em meios de jardins pelos caminhos, nos dá vida e esperança para continuarmos a andar, mesmo que o Sol incida perpendicularmente em nossas cabeças, sempre há uma sombra para cada um de nós.

Sol, vento e deserto. O que poderia prevalecer nesse sistema? Solo pedregoso, brisa do mar de areia e temperatura elevada. Mesmo assim floresce uma rosa entre espinhos, assim é a vida em abundância no deserto do Neguev. Pessoas vivem, amam e desfrutam da beleza que a natureza lhes proporcionou e dizem: “Modê anachnu lefanécha melech chai vecaiam” (*). Assim são retribuídos com o florescimento entre espinhos, vegetação entre pedras e água...

Água? De onde vem a água? A substância essencial para toda espécie de vida? O homem busca conhecimento e com eles adquire sabedoria, a qual vem do Eterno. 

A fonte que alimenta toda espécie de vida vem do mar Vermelho e uma parte do rio Jordão. Mas é do mar Vermelho que ocorre o processo de extração do sal, obtendo água para consumo. Assim como o tratamento de água para reuso que sai de Tel Aviv para o deserto de Neguev, irrigando as grandes plantações da região.

Por mais que pareça ser uma vida cheia de Carlos Drummond de Andrade, saltamos, tropeçamos e chutamos, seguimos em frente. Não esquecemos dos acontecimentos da vida, porém sabemos que nem todos os dias são maus.

Sol, seca e deserto são o caos que traz uma harmonia para os caminhos cheios de jardins, entre espinhos suas belas flores, as quais podemos ver que tudo é bom em Be'er Sheva.

Wilson Rodrigues da Silva

Be'er Sheva – Israel, 20 de setembro de 2019
Revisão: PHEF

 (*) Tradução da frase: "Damos graças perante Ti, ó Rei vivo e existente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário