Nosso Jornal Online

Tatuí, 


domingo, 20 de maio de 2018

crônica / Ana Moraes


O velho e o novo na terra do tatu

A Praça da Matriz é um ponto turístico imprescindível a qualquer turista que visita Tatuí. Um lugar que inspira a religiosidade, a cultura e uma boemia, embebida no sorvete e em um pouco de cerveja.

A praça foi fundada em 9 de junho de 1907 na vigência do Prefeito Cândido José de Oliveira, sendo o primeiro jardim público da cidade. 

A praça abrange alguns comércios: sorveteria, barzinho, chocolataria e entre outros. Na praça também se encontra uma nave espacial ... ou melhor, um coreto rodeado por plantas ornamentais e bem dispostas ao longo do corpo da praça. Na verdade, trata-se de um palco com uma cobertura de contorções aracnídeas metálicas. É uma peça arquitetônica que mais parece uma nave que viaja no tempo do que um simples palco, tanto olhando sua forma, como sua importância social. É lá que a cultura se desabrocha de quase todos os jeitos. As bocas que cantam nos corais, muitas vezes, dizendo palavras incompreensíveis mas que confortam os ouvidos. Os instrumentos que expressam suas emoções, fazendo as pombas dançarem com o vento. A encenação e a cinética do corpo que retratam a realidade e a fantasia.

Todas essas artes que fazem o público ir para frente e para trás, e esquecer que vivem o presente, como se o presente fosse outro, fosse mágico, transmutado e inefável.

A mesma praça abraça, e com muita força e fé, a Paróquia e Santuário Nossa Senhora da Conceição. A paróquia se apresenta majestosa e esplêndida, reivindicando a grandiosidade divina no centro de Tatuí. Os seus traços arquitetônicos remontam o século XIX. Sua primeira pedra foi fixada em 1884. Se o seu exterior é surpreendente, a sua parte interna surpreende mais ainda. Com um ar arcaico, o eco da crença reverbera sobre suas entranhas e penetra n’alma, retumbando as mazelas que cada um carrega. Em sua cúpula e paredes estão desenhadas e matizadas imagens de seres bíblicos e celestiais com detalhes magistrais. Os feixes luminosos perpassam os vitrais se banhando em cores diversas e preenchem, em filetes, o interior da paróquia da sacra construção proporcionando um equilíbrio entre o escuro e o claro, como uma gravura divina.

A Paróquia foi tombada no dia do centenário da Praça da Matriz, 9 de junho de 2007, entrando para o conjunto de prédios anciões e históricos da cidade tatuiana. Leva o nome da Nossa Senhora da Conceição, a padroeira de Tatuí.

Assim, a praça reúne uma diversidade cultural e temporal, amalgamando a cultura, a fé, a arte, o velho e o novo, tornando-a um recanto para o conforto do corpo e da alma.

A.M.O.R.

(Ana Moraes de Oliveira Rosa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário