Boletim de informações COVID-19 n° 127 Tatuí, 03 de junho de 2020 - 11h

182 CONFIRMADOS
125 RECUPERADOS
11 ÓBITOS
33 SUSPEITOS
0 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

História de superação emociona público do Estimacão 2013 em Tatuí

Do G1 - Atrás dos óculos era possível perceber olhos verdes emocionados ao falar sobre o melhor amigo: Tyson, um cão preto da raça labrador. E uma mistura de felicidade e ansiedade tomavam conta de Fábio Rogério Bombardello de Oliveira, de 22 anos, portador de síndrome de down. Pouco antes de fazer uma apresentação de agility durante o Estimacão 2013, em Tatuí neste domingo 18, ele conversou com o G1 e contou sua história de amor e amizade que ele já registrou no livro “Tyson e Eu”.

Tudo começou em 2007, quando Fábio recebeu em sua casa a visita de dois filhotinhos. Um deles era Tyson, e o outro era a filhotinha Meg. Os animais eram um presente de uma amiga de Rogéria Bombardello, mãe de Fábio. Mas depois de muita bagunça feita pelos dois cãezinhos, Rogéria impôs: “Escolha um deles”. E a partir de então, Tyson e Fábio se tornaram melhores amigos. Muitos anos se passaram, assim como muitas aventuras da dupla na casa e no condomínio onde moram, em Sorocaba. Em uma passagem do livro “Tyson e Eu”, escrito por Fábio, ele conta: “Nós adoramos o verão, nadamos juntos todas as tardes, tenho uma piscina em casa, mas o Tyson não entra na piscina sem mim. No final da tarde pego meu snorkel e meus óculos de natação e vamos brincar na água”.


Desde 2011, Fábio e seu cão treinam agility, uma modalidade em que o cão deve passar por obstáculos ao lado do adestrador, em uma academia de Sorocaba. Antes de treinar na academia, Fábio também fez um estágio no canil da Polícia Militar, onde ensinou a Tyson comandos básicos, como rolar, sentar e se fingir de morto. “Eu comecei a adestrar o Tyson e fazer agility, para mostrar às pessoas a amizade que os cães têm por nós”, explica.

Perguntado se somente os cães tem amor pelos seres humanos, Fábio conta que todos os animais gostam de seus donos, mas que os cães gostam mais. “Uma vez eu tive um passarinho, mas aí então um dia ele fugiu de casa...”, afirma.

Tyson, hoje em dia, faz parte da família de Fábio. Tanto é que todos os anos, em 30 de janeiro, eles comemoram o aniversário do cachorro. A prática, criada pela mãe de Fábio, inclui uma festa com salgadinhos, vela e biscoitos caninos de presente.

Na apresentação da dupla, Tyson atravessou os obstáculos com perfeição, arrancando palmas entusiasmadas do público.


'Tyson e Eu'

Fábio Rogério Bombardello de Oliveira começou a escrever sua obra em 2011, após ler o best seller “Marley e Eu”, do jornalista norte americano John Grogan, onde o autor conta diversas aventuras causadas pelo seu cão Marley. Fábio se emocionou com o livro e sentiu o desejo em fazer uma obra parecida, já que o seu cão, Tyson, é da mesma raça que Marley.

Depois de dois anos de trabalho na obra, o livro foi publicado em 2013. Toda a renda arrecadada com o livro é revertida para a Associação Pró-Ex, instituição que trabalha no estímulo de crianças e jovens com comprometimento intelectual e neurológico.

Mais informações sobre o livro estão disponíveis na Associação Pró-Ex pelo telefone (15) 3228-2949, pelo endereço eletrônico proex.org.br ou pelo e-mail proex@proex.org.br. A associação fica localizada na Rua Bachir Jorge Mubaier, n. 40, Jardim Isafer, Sorocaba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário