Boletim de informações COVID-19 n° 126 Tatuí, 02 de junho de 2020 - 11h

173 CONFIRMADOS
124 RECUPERADOS
10 ÓBITOS
22 SUSPEITOS
1 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Banda Sinfônica faz concerto nesta quinta

Concerto será realizado na próxima quinta-feira, 22, no Teatro Procópio Ferreira - A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, corpo artístico da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo de São Paulo, recebe o solista Max Ferreira em concerto agendado para a próxima quinta-feira (22/8), no Teatro Procópio Ferreira, em Tatuí (SP). A apresentação será a partir das 20h30, com regência de Dario Sotelo.

O concerto inicia com apresentação da obra “Concerto para Clarinete”, de Aaron Copland. Os primeiros rascunhos desta composição foram feitos no Rio de Janeiro onde, em 1947, Copland atuava como professor e regente. Concluída em 1948, a obra foi denominada originalmente como “Concerto para Clarineta, Cordas e Harpa”. A composição é escrita em dois movimentos unidos por uma cadência da clarineta. O primeiro movimento é lento e expressivo, cheio de um lirismo agridoce. A cadência não só dá ao solista oportunidade de mostrar seu virtuosismo, mas também introduz muitas das melodias de jazz da América Latina, temas que dominam o segundo movimento. O “finale” brincalhão nasce de uma fusão de elementos relacionados com a música popular das Américas do Norte e do Sul, incluindo uma frase de uma melodia popular brasileira ouvida pelo compositor no Rio de Janeiro e que foi incorporada em um segundo plano. A composição é uma encomenda do clarinetista de jazz Benny Goodman e a estreia foi feita por ele em uma transmissão da rádio NBC com a Orquestra Sinfônica da NBC, regida por Fritz Reiner, em 6 de novembro de 1950.
No concerto, Copland usou técnicas percussivas nos baixos e na harpa para simular efeitos de jazz.

Na primeira apresentação mundial da versão para banda sinfônica – com transcrição de Pablo Dell’Oca Sala -, o solista será o clarinetista Max Ferreira, para quem a transcrição foi especialmente dedicada.

A segunda obra do concerto é “Amazonia – Paisagem Sinfônica nº 2, opus 20”, do jovem compositor José Ignacio Blesa Lull, nascido em Lliria, cidade considerada a Capital da Música da Província de Valencia (Espanha). Em 2011, a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí teve a oportunidade de realizar a estreia mundial da obra sinfônica \"Mare Tenebrosum\", que deixou o compositor sensibilizado e levou-o a compor a obra “Amazonia”, dedicada à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. “Amazonia está dividida em três grandes partes: A Grande Selva, As Lágrimas do Rio e As Icamiabas. Não sendo uma obra descritiva, em todas as suas partes reflete a grande floresta, o grande caudal de águas do Rio Amazonas que, de acordo com a lenda, é formado pelas lágrimas da Lua por não poder encontrar seu amado o Sol. A última parte reflete a lendária batalha das Icamiabas, mulheres combatentes que surpreendem os espanhóis fazendo com que batessem em retirada”, diz o compositor sobre a obra que é considerada “desafiadora e brilhante”.

Para concluir o concerto será apresentada “Elgar Variations”, de Martin Ellerby. Na obra, o compositor mostra a admiração dele por aquele que é considerado o maior compositor inglês do final do século XIX e início do século XX. 

Max Ferreira - Formou-se no curso regular e no aperfeiçoamento em clarineta no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí (1996 e 1998), com o professor José Teixeira Barbosa. Estudou com Silvana Azevedo, irmã e discípula de Naylor Azevedo (Proveta), Edgar Poças, Neide Rodrigues Gomes, Jaime Glessa Gonçalves, Maria Zei Bliaggioni, Márcia Visconti, além dos maestros José Roberto Branco, Carlos Fiorini e Eduardo Ostergren. Concluiu o curso de graduação em clarineta na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) com os professores Nivaldo Orsi e Roberto Pires em 2003. Classificou-se em primeiro lugar no processo seletivo de admissão para a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com a qual gravou seis CDs e um DVD. Participou da gravação do CD “Brasil Musical” com a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e do CD comemorativo dos 90 anos da Weril. Atuou como solista frente à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, sob regência do maestro húngaro Laszlo Marosi, além de diversos outros grupos executando peças de arranjo e composição próprios. Foi um dos organizadores do I Encontro Internacional de Madeiras de Orquestra do Conservatório de Tatuí em 2007 e no mesmo ano escreveu e editou o “Guia Técnico do Clarinetista”. Como professor de clarineta atuou no projeto “Pró-Bandas”, no “Festival de Inverno de Campos do Jordão” realizados no núcleo Tatuí, em três edições do Curso de Férias de Tatuí, nos painéis Funarte de Bandas de Música e no programa Coreto Paulista. Atualmente também é professor do Conservatório de Tatuí e coordenador da área de Prática de Conjunto na mesma instituição. Também leciona música pela Prefeitura de Leme, é regente da Corporação Musical de Leme e spalla da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. [foto: Kazuo Watanabe/Conservatório de Tatuí]

SERVIÇO
Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí
Max Ferreira, clarinete
Dario Sotelo, regência
22 de agosto . Quinta-feira- . 20h30
Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415 – Centro – Tatuí
Ingressos: R$ 12 (R$ 6 meia-entrada), à venda na bilheteria de terça a sexta, das 17h às 19h, ou em dias de eventos das 18h às 21h
Informações: 15 3205-8444 / conservatoriodetatui.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário