Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Conservatório de Tatuí recebe Trio Arqué para única apresentação

Concerto gratuito será realizado dia 6 de outubro, às 20h30, no teatro Procópio Ferreira

O teatro Procópio Ferreira, parte integrante do Conservatório de Tatuí, recebe o Trio Arqué para única apresentação no próximo dia 6 de outubro (terça-feira), às 20h30. O concerto de lançamento do CD “Trans-Criações” terá entrada franca à rua São Bento, 415. O projeto tem patrocínio do ProAC.

O Trio Arqué é formado pelo violinista Emmanuele Baldini, pela violoncelista Heloísa Meirelles e pelo pianista Horário Gouveia. O grupo dedica-se à interpretação de repertório composto para trio de violino, violoncelo e piano, que inclui algumas das melhores obras dos mais renomados compositores eruditos.

A versatilidade artística de seus integrantes, todos com trabalho solo e extensa experiência camerística, podem ser ouvidas na interpretação de obras de diferentes estilos e períodos da música erudita, do barroco ao contemporâneo, de compositores como Beethoven, Schubert, Mendelssohn, Brahms, Debussy, Ravel, Magnard, Shostakovich, Takemitsu e Kurtág, entre tantos outros.

Formado em 2007, o trio já se apresentou em séries tradicionais de música erudita, com especial destaque para concerto dedicado a Maurice Ravel no Teatro Municipal de São Paulo (Música no Olido); concertos no CPFL de Campinas, um dedicado a compositores norteamericanos (Copland, Bernstein, Gershwin) e também outro dedicado a obras de Shostakovich, Takemitsu e compositores brasileiros; Recital Oriente-Ocidente, no Centro Cultural São Paulo (trios de Ravel e Takemitsu); e nas séries “Raízes Românticas” (obras de Beethoven e Schubert) e “Das notas que ouviam que cores surgiam”, que enfocava as relações entre música e pintura (Debussy e Ravel / Monet), ambas do SESC-São Paulo. Foi selecionado para apresentação na série “Quintas no BNDES”, no Rio de Janeiro, em 2015, e para gravação de CD de Música Erudita no edital Proac 2014. Vários de seus concertos já foram gravados e transmitidos pela Rádio Cultura FM de São Paulo.

Em Tatuí, o grupo apresentará obras de Franz Liszt, Arvo Pärt, Arnold Schoenberg/ Eduard Steuermann, entre outras. É a base do projeto “Trans-Criações”, no qual os músicos propõem o registro em seu primeiro CD das chamadas aventuras criativas, processos que contribuíram para o enriquecimento do repertório mundial para trio de violino, violoncelo e piano, num importante legado para esta formação no Brasil.

Segundo Luciano Berio, um dos mais importantes compositores da produção musical contemporânea, “a história da transcrição na música de concerto ocidental ainda está por ser estudada a fundo”. Inicialmente, segundo ele, a prática ou o gênero da transcrição desempenhava uma função análoga à das gravações modernas. Com o tempo, no entanto, ultrapassou em muito esta função limitante, representando muitas vezes um processo ou aventura criativa em que uma mesma visão ou projeto musical passa por diferentes formulações musicais autossuficientes, eventualmente atingindo realizações definitivas que filtram (ou destroem) as demais.

O violinista Emmanuele Baldini foi aluno da classe de “Virtuositè” de Corrado Romano no Conservatório de Genebra. Vencedor de diversos concursos internacionais, deu início à carreira solo após vencer o “Virtuositè” de Genebra, e o 3º prêmio na concurso Lipizer, em Gorizia. Como solista apresentou-se em vários países da Europa e das Américas. Interpretou os principais concertos do repertório para violino acompanhado das orquestras Wiener Kammerorchester (Mozart), Rundfunk Sinfonieorchester Berlin (Schumann), Orchestre de la Suisse Romande (Schostakovich), Sinfônica do Estado de São Paulo (Beethoven, Schumann, Casella), Flanders Youth Philharmonic Orchestra (Bruch), Sinfônica da Moldávia (Brahms e Mendelssohn), Sinfônica de Trieste (Mozart e Dvorák), Orquestra de Câmara de Mântua (Mozart), entre outras. No repertório camerístico, apresentou-se com Ricardo Castro, Silvia Chiesa, Arnaldo Cohen, Jean-Philippe Collard, Antonio Meneses, Caio Pagano, Luca Ranieri, Lilya Zilberstein. Emmanuele foi spalla da Orquestra do Teatro Comunale de Bolonha, Orquestra de Trieste, Sinfônica da Galícia, tendo colaborado também com a Orquestra do Teatro alla Scala de Milão. Desde 2005 é spalla da Osesp e fundou o Quarteto Osesp, do qual é o primeiro violino.

Heloisa Meirelles é natural de Jundiaí, Bacharel em Artes pela Unicamp. Premiada com bolsa do CNPq, deu continuidade aos estudos no Conservatoire de Musique de Lyon, obtendo medalha de ouro em violoncelo e música de câmara e no Conservatoire Superieur de Musique de Genève. Teve como orientadores Antônio Lauro Del Claro, David Strange, Robert Duval

François Guye e participou de master classes com Janos Starker, Bernard Greenhouse e Antônio Meneses. Recebeu diversos prêmios e foi spalla da Orquestra Experimental de Repertório, co-solista da Orquestra Sinfônica da USP e professora do Conservatório de Musica do Brookling e Colégio St. Paul’s. Como solista, atuou frente a várias orquestras, destacando-se a Osesp. Colaborou com ensembles e orquestras importantes como a Camerata Aberta e a Deutsche Kammerphilharmonie Bremen regida por Paavo Järvi. É co-solista da Osesp desde 1997 e integrante do Trio Arqué desde 2010.

Horácio Gouveia é pianista, doutor em musicologia pela USP, estudou na Universidade Albert Ludwig – Freiburg (Alemanha) com bolsa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). Atua intensamente como recitalista, camerista e solista, com repertório que se estende de Bach aos compositores contemporâneos. Realizou diversas estreias brasileiras de obras importantes, como concerto para dois pianos, percussão e orquestra de Béla Bartók (com a Orquestra Experimental de Repertório de S. Paulo, sob a regência de Jamil Maluf), Concerto de Câmara de György Ligeti (com o Percorso Ensemble, sob a regência de Ricardo Bologna), entre muitas outras. Detentor de diversos prêmios, atuou como pianista da Camerata Aberta (Prêmio APCA de 2010 e Prêmio Bravo de Música Erudita 2012), realizou concertos na Europa (Concergebouw -Amsterdam, Palais des Beaux-Arts -Bruxelas) e atuou como solista sob a regência de Guillaume Bourgogne. Como camerista colaborou com artistas como: Dmitry Berlinsky (Rússia), Peter Brunt (Holanda), Diana Ligeti (Romênia/França), Michel Michalakakos (Grécia/França), Vincent Lucas (França), Dimos Goudaroulis, Ovanir Buosi, entre outros.

SERVIÇO
““Trans-Criações” – Trio Arqué
Data: 06 de Outubro – terça-feira
Horário: 20h30
Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415
Entrada franca
Informações: 15 3205-8444

Nenhum comentário:

Postar um comentário