Boletim de informações COVID-19 n° 119 Tatuí, 26 de maio de 2020 - 11h

26 SUSPEITOS
2 ÓBITOS SUSPEITOS
106 CONFIRMADOS
77 RECUPERADOS
8 ÓBITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Tatuí não registra nenhum caso suspeito de dengue em janeiro

Situação exige cuidados – Densidade larvária e epidemia regional preocupa Saúde

Tatuí começou 2013 com um recorde histórico. Mesmo após o período de chuvas intensas, nenhum caso de dengue foi notificado no mês de janeiro. Apesar disso, não há razões para tranquilidade. Pelo contrário. Além de vários registros da doença em cidades vizinhas, como é o caso de Sorocaba que apresentou este mês 26 casos confirmados, a mais recente análise de densidade larvária apresentou níveis considerados preocupantes. De cada 100 casas visitadas, três possuem foco do mosquito transmissor. Uma em quatro quadras registrou a presença do Aedes Aegpty. Ao todo, 79 quarteirões e 1.222 imóveis foram visitados por 10 agentes do setor, entre os dias 7 e 21 de janeiro.

Diante do quadro, a Secretaria Municipal de Saúde promoveu uma reunião com a equipe de combate à dengue, nesta terça-feira 29. Participaram o secretário municipal de Saúde, José Luiz Barusso, o coordenador de Vigilância em Saúde, Máximo Machado Lourenço, o coordenador médico e assessor técnico da Secretaria, João de Oliveira, além do coordenador e do supervisor de combate à dengue, Toni Sumio Ogata e Luiz Felipe Oliveira, respectivamente.

O foco do encontro foram as ações preventivas que devem ser tomadas para evitar uma epidemia da doença durante o verão. Como nessa época do ano as chuvas são mais frequentes, o acumulo de água parada favorece a proliferação do mosquito que transmite a doença. “A Secretaria já deu andamento a algumas medidas emergenciais, porém o mais importante é o apoio da população, que pode evitar o acumulo de objetos que sirvam de criadouros para o mosquito e também atuar em conjunto com os agentes, facilitando o acesso às residências para verificação de focos e possíveis alertas”, argumentou Barrusso.

As principais recomendações e cuidados são eliminar água que fica acumulada em calhas, ralos, pratos de vasos de plantas e pneus, além de manter caixas d’água bem fechadas. São atitudes simples que podem impedir a proliferação do mosquito transmissor da dengue.

Toda população deve estar também atenta aos sintomas: febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores no corpo e o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo. Na presença de alguns desses sintomas é importante procurar imediatamente o serviço de saúde e nunca se automedicar. O serviço de saúde está apto para oferecer tratamento adequado e acompanhamento médico gratuito.

Nos últimos oito anos, Tatuí registrou um número crescente da doença, com 470 casos suspeitos e 59 casos confirmados, sendo 13 contraídos no próprio município. O pico aconteceu entre os anos de 2010 e 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário