Boletim de informações COVID-19 n° 119 Tatuí, 26 de maio de 2020 - 11h

26 SUSPEITOS
2 ÓBITOS SUSPEITOS
106 CONFIRMADOS
77 RECUPERADOS
8 ÓBITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

segunda-feira, 28 de março de 2011

Uma artista de várias paixões

Clique para Ampliar
Clique para Ampliar
Clique para Ampliar

Do Diário do Nordeste - De passagem por Fortaleza, Vera Holtz  mostrou uma faceta pouco conhecida do grande público. A atriz, que viveu a Candê de "Passione", é colecionadora de peças de design, louca por decoração e confessou que anda se arriscando como escritora

Vera Holtz conseguiu uma brecha na agenda para participar do Design Day, evento que aconteceu na última terça, dia 15, na Loja Ouvidor Interiores, e que abordou a importância do papel do design, possibilitando uma troca de experiências entre profissionais da área e admiradores.

Simpática, Vera falou da carreira e dos novos projetos. "Ler é uma das minhas grandes paixões e eu venho acompanhando o projeto Grandes Escritores desde o ano passado".

O contato com a literatura começou na adolescência, mas a veterana confessa que nunca tinha amadurecido a ideia de um dia publicar seus textos. "Sempre escrevi em meus diários desde muito nova. Mas é algo novo pra mim. Me sinto mais à vontade na hora de representar o que leio. Mas aqui e acolá, eu me arrisco sim como autora", revelou.

Natural de Tatuí, São Paulo, Vera saiu de casa aos 18 anos e rompeu uma tradição de educadores da família ao escolher a carreira artística e dizer "não" à maternidade. No início, sem muito acesso ao teatro profissional, chegou a trabalhar como radialista e foi professora de matemática. Mudou-se para a capital e teve a oportunidade de estudar na Escola de Artes Dramáticas da USP. A partir daí, em 1979, entrou no circuito profissional da dramaturgia com a peça "Rasga Coração", que marcou o retorno à liberação da palavra no País com o fim da ditadura militar.

Nesse período, Vera Holtz ainda não pensava em fazer televisão. Apaixonada pelo teatro, não conseguia se ver fazendo outra coisa: "Não tinha outro lugar em que queria estar a não ser o palco, representar, improvisar, e sentir aquela resposta imediata do público. Não tem ganho maior para um ator".

A estreia na TV aconteceu apenas em 1989, com a novela "Que Rei Sou Eu?". Desde então, são mais de 27 trabalhos entre novelas, minisséries e participações no cinema. Após 21 anos conciliando palco e folhetins, Vera decidiu priorizar os trabalhos na telinha. Hoje, ela diz fazer peças bem pontuais, de curta temporada.

Versátil, Vera também já se aventurou na música. A atriz, que já fez um curso de piano, diz que "música não se limita a ser só um som ambiente, mas também é uma grande arte". Embora não se envolva diretamente em trabalhos nessa área, ela se diz emocionada por ser madrinha de uma banda de metais em Tatuí, que integra jovens de 6 a 18 anos.

Novos projetos

Após "Passione", a global confessa que se deu férias. No momento, não pensa em fazer novelas, já que esse tipo de produção toma-lhe muito tempo e acaba tirando muito de suas energias por ter que fazer laboratório e entrar de cabeça em cada personagem. "Nesse momento estou voltada para meus projetos de decoração e literatura!", afirmou.

Sobre esse lado literário, Vera está dedicada 100% ao projeto "Grandes Escritores", que tem o objetivo de viajar pelo Brasil levando vários autores às escolas, apresentando aos estudantes as mais importantes obras brasileiras. A veterana atua como mediadora desses encontros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário