Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Jazz Combo e Lupa Santiago fazem lançamento de CD na próxima terça-feira, 2

O Conservatório de Tatuí, equipamento do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura, sedia na próxima terça-feira, 2, lançamento do CD “Lupa Santiago, Paulo Flores e Jazz Combo do Conservatório de Tatuí”. O trabalho foi gravado no teatro Procópio Ferreira, em Tatuí, pelo grupo pedagógico-artístico do Conservatório de Tatuí e traz obras do guitarrista Lupa Santiago, que receberam arranjos especiais para esta formação de Paulo Flores, coordenador do grupo. Os ingressos para o concerto podem ser adquiridos a R$ 12 (R$ 6 meia entrada). O CD será vendido a R$ 10 no dia do lançamento.

A gravação foi realizada no ano passado, com captação do Alberto Ranellucci, ao vivo, no teatro do Conservatório de Tatuí. São, ao todo, nove composições assinadas por Lupa e Flores: Moacir Santos, Lais, Ibericos, Oração, Constantinopla, Marrom, Tyner, Beatriz; e uma assinada somente por Flores: Joe Henderson.

O convite para a gravação surgiu a partir do encontro de Paulo Flores e Lupa Santiago. “Em abril de 2013 fui convidado para fazer um show com minhas músicas arranjadas por Paulo Flores para este Combo sensacional. Fiquei impressionado com resultado original dos arranjos, Paulo entendeu minhas composições e adicionou excelentes ideias a elas, inclusive trazendo uma de suas obras ao repertório, Beatriz. O Combo arrasou, ganhei de uma vez só uma banda e muitos novos amigos. Fizemos mais um show e a sinergia era clara, a gravação foi continuidade natural. Seis meses depois de nos conhecermos, em setembro gravamos no mesmo local do primeiro show. As diferentes funções do arranjador e compositor viraram uma amizade e uma música onde os papéis magicamente se confundem, a execução e a improvisação do Combo deixaram viva a música, bom de ouvir, bom de tocar...”, afirmou Lupa.

Lupa Santiago se apresentou e/ou gravou com diversos artistas internacionais de jazz no Brasil e em turnês na Europa, América do Sul, África do Sul e Estados Unidos, ao lado de nomes como David Binney, John Escreet,Jerry Bergonzi, Bill Pierce, Jaleel Shaw, Dave Liebman, Ronan Guilfoyle, Jarmo Savolainen, Ohad Talmor, Benoit Sourisse, André Charlier, Didier Lockwood, Jakob Anderskov, Dave Pietro, Howard Levy, Adônis Rose, Oscar Stagnaro, Magos Herrera, Bob Kaufman e Jamey Haddad, entre vários outros.

Tem 13 CDs lançados como líder em seus grupos (Regra de Três, Lupa Santiago Sexteto, Sinequanon, e Duo com Paulo Braga), sendo que o primeiro recebeu indicações para o Grammy Latino, além de participação em cds de outros artistas. Participou de vários festivais no Brasil. Fez mestrado no Boston Conservatory e Berklee College Of Music, formou-se pela Berklee College Of Music e graduou-se pelo Musicians Institute (GIT/Los Angeles) Recebeu, por duas vezes, o prêmio Best Of Berklee (1998 e 2000), eleito em 2009 e re eleito em 2014 membro da diretoria do IASJ (International Association of Schools of Jazz).

É coordenador pedagógico e vice-diretor da Faculdade Souza Lima e autor de três livros (Improvisação Moderna I, Play Along de Métricas Impares e Dicionário de Acordes e Condução de Vozes) lançadas no Brasil (Editora Souza Lima) e na Europa, Ásia e EUA (Advance Music).

Paulo Flores é flautista, compositor, arranjador, pesquisador, produtor musical criou trilhas, jingles e vinhetas para rádio, TV, vídeo e cinema. Transita em suas composições por várias formações do popular ao erudito tendo sido com elas premiado em vários festivais: Avaré 200l; MPB Londrina 2000; Londrina 2001; Avaré 2002; Havana, Cuba, 2002, no Prêmio Sgae de Jazz Latino. Em 1981 começou a lecionar flauta no Conservatório de Tatuí. Em 1984 criou a Orquestra de Câmera do Conservatório a qual regeu até 1986. Em 1989, foi um dos criadores do Curso de MPB e Jazz, o qual coordenou até 2008. Em 1992 criou a Cambanda Jazz Combo e em 1998 gravou seu 1o CD, Rumo Norte. Em 1999 montou a Banda Curare, em 2002 gravou programa especial para o Jazz & Cia, na TV Cultura com ela e em 2003 com a Banda Brasil Instrumental com a obra de Moacir Santos. Continuou os resgates com Dori Caymmi em 2004, Tom Jobim Instrumental 2005, Radamés Gnatalli 2006, Maestro Branco 2007. Em 2008, iniciou a recuperação de 39 arranjos inéditos de Pixinguinha gravados ao vivo na rádio Tupy nos anos 40, apresentando as primeiras 14 músicas com formação original com a Banda Brasil Instrumental e adaptações com a Cambanda & Cordas em pequena turnê pelo estado de São Paulo com o show “Pixinga, o arranjador”. Junto com Paulo Braga é idealizador e organizador do Festival Brasil Instrumental. Como pesquisador em 2004 foi contemplado, com seu projeto “Benê, o flautista”, pelo Programa Petrobrás Cultural, lançado em 2007 com grandes elogios da crítica nacional e internacional, também pelo seu trabalho de desenhista e ilustrador até então desconhecido. Vem se apresentando, como idealizador do projeto de incentivo e revitalização de grupos musicais no interior, através de técnicas de arranjo e composição “in loco”, em festivais e oficinas, bem como com a divulgação da obra de Benedito Lacerda em shows, palestras, workshops e exposições. Também conclui o 2o CD da Cambanda, denominado “Sextando”, autoral como o primeiro, “Desconstruindo Benê”, CD com releituras das músicas de Benedito Lacerda e do projeto “Pixinga, o arranjador”.

Participaram da gravação do CD Alexander de Souza, Richard Ferrarini, Wellington Primo e Vinni Ray Sanchez Barrenechea (saxofone), Marco Aurelio Soares Martins, Reynaldo Izeppi (trompete), Anderson Bruno Pereira, Fabio Oliva (trombone), Everton Barba (bateria), Felipe Brisola (contrabaixo), Joseval Paes (guitarra), Leonardo Ferrarini (piano), Fúlvio Moraes (percussão) e Mayara Cristina Silva (canto).

SERVIÇO

Lançamento do CD “Lupa Santiago, Paulo Flores e Jazz Combo do Conservatório de Tatuí”
Terça-feira . 02 de dezembro . 20h30
Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415
Ingressos: R$ 12 (R$ 6 meia entrada)
Informações: 15 3205-8444

Nenhum comentário:

Postar um comentário