Boletim de informações COVID-19 n° 128 Tatuí, 04 de junho de 2020 - 11h

189 CONFIRMADOS
132 RECUPERADOS
11 ÓBITOS
32 SUSPEITOS
0 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Região de Sorocaba: cidades menores têm mais casos proporcionais de Covid-19

Piedade e Ibiúna lideram índice, com pelo menos uma pessoa infectada a cada grupo de 1.500 moradores. Tatuí tem o 13º pior resultado.

Marcel Scinocca, no Cruzeiro do Sul, com edição do DT

Técnico analisa amostras com suspeita do novo coronavírus. Foto: Andrew Milligan / Pool / AFP

10/05/2020 | Piedade e Ibiúna apresentam os piores índices de infecção e contágio pelo novo coronavírus na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Ainda na região, outras sete cidades apresentam ao menos um contágio para cada grupo de até três mil habitantes. Sorocaba ocupa a sétima posição nessa comparação de casos proporcionais à população.

Os dados fazem parte de um levantamento realizado neste sábado (9) pelo Cruzeiro do Sul, com base em informações fornecidas pelas prefeituras dos 27 municípios da RMS.

Com 43 casos confirmados e população de pouco mais de 55 mil habitantes, Piedade tem a situação mais crítica da RMS. No município, há um caso confirmado de Covid-19 — a doença provocada pelo novo coronavírus — para cada 1.287 habitantes. Na cidade, grande parte dos casos está ligada a agricultores e pessoas que frequentam a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp).

Ibiúna possui o segundo maior número de casos confirmados da doença na RMS. Já foram contabilizadas 53 ocorrências desde o início da pandemia. A cidade tem estimativa de 78.878 habitantes. Com isso, há um caso confirmado de coronavírus para cada grupo de 1.488 pessoas.

Em seguida, aparece a cidade de Capela do Alto, que possui nove casos entre os seus 20,7 mil habitantes. No município, há um caso confirmado para cada 2.300 moradores. São Roque possuía, até ontem, 39 casos confirmados entre os seus 91 mil habitantes. Na cidade, a cada 2.333 pessoas, há o registro de uma infectada.

Com 12 casos e pouco mais de 29 mil habitantes, Pilar do Sul tem uma ocorrência confirmada de Covid19 para cada 2.432 habitantes. Em seguida, vem a cidade de Votorantim, com 47 casos confirmados. Com isso, a média votorantinense é de um caso confirmado para 2.605 habitantes.

Em números absolutos, Sorocaba é a cidade que apresenta o maior patamar de casos na RMS. Entretanto, quando a comparação é proporcional, o município cai para a sétima posição, com um caso para cada grupo de 2.739 habitantes. Atualmente, Sorocaba possui 248 casos confirmados. A população é de quase 680 mil habitantes.

Em Araçoiaba da Serra há um caso confirmado para cada 2.845 habitantes. Com 12 casos confirmados, a cidade possui população de pouco mais de 34 mil habitantes. Com 21 confirmações para quase 61 mil habitantes, Boituva tem um caso para cada 2.904 pessoas.

Baixa proporção

Nas demais cidades da RMS, a situação é a seguinte: Alambari, um caso confirmado para 3.012 habitantes; São Miguel Arcanjo, um a cada 3.293 habitantes; Porto Feliz, um para 3.318; Tatuí, um para 3.581 pessoas; Mairinque, um para 3.626; Tapiraí, uma pessoa para cada grupo de 3.903; Itapetininga, um para 4.097.

Salto de Pirapora, um para 4.129; Araçariguama, um para 4.472; Cesário Lange, um para 4.537 moradores; Itu, um para 5.115; Tietê, um caso confirmado para 8.415 pessoas; Salto, um para 8.475; Iperó, um para 9.283; Alumínio, uma para 9.314; Sarapuí; um para 10.285; e Cerquilho, uma pessoa com o novo coronavírus para 12.237 habitantes.

A cidade de Jumirim não apresentava nem um caso da Covid-19 na data do levantamento. No geral, a RMS possuía 685 casos para mais de 2,1 milhões de habitantes até ontem. A média era de um caso confirmado para casa 3.129 habitantes.

Para a realização do comparativo foram considerados os boletins divulgados pelas prefeituras das 27 cidades da Região Metropolitana até sábado (9). Os dados populacionais usados fazem parte das estimativas oficiais de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nenhum comentário:

Postar um comentário