Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí mostra o início e o fim do Romantismo

Obras de Beethoven e Sibelius serão executadas em concerto no dia 26 de maio



A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí apresentará na sexta-feira, dia 26 de maio, obras “Concerto para Piano Nº 1 em dó maior – Opus 15”, do alemão Ludwig van Beethoven, e “Sinfonia Nº 2 em ré maior – Opus 43”, do finlandês Jean Sibelius. A primeira é dos primórdios do Romantismo e, a segunda, foi composta quando a Europa já se aproximava do fim deste movimento.

“São duas obras de grande envergadura, que podem ser vistas como duas portas, uma de entrada e outra de saída, para a estética musical do século 19”, anuncia o maestro João Maurício Galindo, regente da Orquestra Sinfônica. O concerto, com solo de piano de Domingos Sarto Neto, acontecerá no Teatro Procópio Ferreira, com ingressos sendo vendidos a R$ 12 (R$ 6 para crianças, estudantes, idosos, aposentados e professores da rede estadual). Será o concerto de conclusão do curso de aperfeiçoamento do pianista, que é aluno de Luis Carlos Morales Sanches na área coordenada por Cristiane Blóes.

A peça de Beethoven (1770 – 1827) tem três movimentos: Allegro con Brio / Largo / Rondo – Allegro. Ela data do ano de 1797 e mostra o que estava por vir no século seguinte. “O primeiro movimento, de caráter imponente, e o segundo, introspectivo e solene, já apresentam indícios do Romantismo, que o próprio Beethoven viria a inaugurar em um futuro próximo”.

A segunda obra da noite, de Sibelius (1865 – 1957), tem quatro movimentos: Allegretto / Tempo Andante, ma rubato / Vivacissimo (attacca) / Finale – Allegro moderato. O regente classifica a obra como um verdadeiro monumento de poderosas sonoridades e refinadíssima engenharia musical. “Concluído em 1902, seria uma das últimas grandes sinfonias do Romantismo Musical Europeu, que logo seria sucedido pelos ares da modernidade”, completa Galindo.

“Sinfonia Nº 2” é uma das obras de maior envergadura de Sibelius, que começou a compô-la durante uma viagem à Itália. Galindo vê uma influência clara da cultura deste país sobre a composição do finlandês. “Todas as sinfonias de Sibelius são magníficas e surpreendentes, mas nenhuma delas apresenta o calor emocional desta segunda, que certamente é fruto das emoções vividas pelo compositor naquele que, para muita gente, é o mais belo e caloroso país do mundo”.



Domingos Sarto Neto
Natural de Araçatuba, Domingos Sarto Neto iniciou os estudos de piano em 1991, no Instituto Villa-Lobos de Ensino Artístico, de Adamantina, onde se formou em 1996. Teve como seus mais importantes mestres Luiz Fernando Garcia e Gilberto Tinetti, dos quais recebeu bolsa de estudos integral. Participou de master classes com Belkiss Carneiro de Mendonça, Homero de Magalhães, Yara Bernette (Brasil/Alemanha), Maria José Carrasqueira, Luis Senise, Hans-Walter Stucki e Sylvia Schwarzenbach (Escola Superior de Música de Berna – Suíça) e Beatrice Berthold (Alemanha/Chile).

Esteve em diversos festivais, com destaque ao 24º Festival de Música de Londrina, no qual participou ativamente em recitais solo e de câmara e com a orquestra de bolsistas sob regência de Manfredo Schmidt; e duas edições do Encontro Internacional de Pianistas do Conservatório de Tatuí.

É detentor de 20 prêmios em competições de piano de âmbito nacional e sul-americano, dentre os quais as edições do Concurso Nacional de Piano Paulo Giovaninni, em Araçatuba; Concurso Sul Americano de Piano Estância Turística de Barra Bonita; Concurso Nacional de Piano Morada do Sol, em Araraquara; e Concurso Nacional de Música Brasileira “Maestro Spartaco Rossi”, em Tatuí. Realizou entre 2003 e 2004 a primeira audição e gravações de peças do compositor gaúcho Vitor Peixoto, que lhe dedicou a peça “Toccata Nordeste”.

No Conservatório de Tatuí, vem complementando sua formação voltada à performance através dos cursos de aperfeiçoamento em piano nas modalidades Música Brasileira, Repertório Romântico e Concertos Solistas, sob orientação de Cristiane Blóes, Miriam Braga e Luis Carlos Morales Sanchez, respectivamente. Também é integrante da equipe de pianistas correpetidores do Conservatório de Tatuí, atuando no setor de sopros/madeiras desde 2015.

Com o Trio Élégiaque, em 2016, venceu o VII Prêmio de Música de Câmara. No mesmo ano, como parte da programação do Concurso Interno de Piano do Conservatório de Tatuí, apresentou a palestra “Chopin – Vida, obra, época e ambiente”. Apresentou-se em recitais solo nos estados de São Paulo (MuBe, Theatro Municipal, Sala São Luiz, Conservatório Souza Lima), Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Apoio Cultural – No ano de 2017, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí
João Maurício Galindo, regência
Domingos Sarto Neto, piano
Data: 26 de maio, sexta-feira
Horário: 20h
Local: Teatro Procópio Ferreira (rua São Bento, 415, Tatuí)
Ingressos: R$ 12 (R$ 6 meia entrada)
Informações: (15) 3205-8464
O Conservatório de Tatuí é um dos indicados ao Prêmio Governador do Estado, na categoria “música”. Vote e ajude a escola a obter mais esta importante conquista: https://goo.gl/cIcjHy

Nenhum comentário:

Postar um comentário