Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Justiça torna pública ação sobre desvio de R$ 7 milhões do Hospital Regional em Itapetininga

Processo tem 48 pessoas, entre elas os ex-prefeitos Roberto Ramalho (PMDB, durante gestão) e Hiram Júnior (DEM), que é acusado da época de vereador.

Por G1 Itapetininga e Região - 04/05/2017 20h28

Ação investiga desvio de R$ 7 milhões do Hospital Regional em Itapetininga (Foto: Reprodução/ TV TEM)

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) tornou pública a ação criminal que investiga se um grupo desviou R$ 7 milhões do Hospital Regional de Itapetininga (SP) – o processo corria em segredo de Justiça. Ao todo, 48 pessoas são citadas na ação, entre elas os ex-prefeitos do município, Roberto Ramalho (PMDB, durante gestão) e Hiram Júnior (DEM). A acusação contra Hiram refere-se à época em que ele era vereador.

O ex-prefeito Roberto Ramalho diz que desconhece as mudanças no processo e que ainda não foi notificado. E o ex-prefeito Hiram Júnior afirma que está convicto de sua inocência, que isso será demonstrado no decorrer do processo e que considera que esse processo tem conotação política nesse momento. (Confira o processo).

Outros envolvidos são os advogados José Alves de Oliveira Júnior e Renê Vieira da Silva Júnior. Em defesa, Oliveira Júnior afirma que a acusação não procede e que trata-se de fatos imputados injustamente a ele, e que o processo sequer deveria ter sido iniciado a desfavor dele. Já Roberto Ramalho afirma não ter sido notificado e que não há relação entre os serviços prestados à entidade com a posterior nomeação como secretário municipal, que, segundo ele, não favoreceu a quem quer que seja, somente ao interesse público.

A denúncia envolve o período em que a entidade Sistema de Assistência Social e Saúde (SAS) administrou o hospital, de maio de 2007 a agosto de 2012. Entre os crimes que teriam sido cometidos estão: associação criminosa, corrupção passiva e corrupção ativa.

Entre as novidades descobertas com a publicação do processo é que o juiz criminal da 2ª Vara de Itapetininga, Alfredo Gueringuer, decidiu excluir do processo 13 réus dos 61 citados no processo inicial, por falta de provas. Outra novidade é que agora a ação corre desmembrada e separada por sete núcleos com oito réus cada. Os acusados foram divididos para que o andamento seja mais rápido.

Os réus já apresentaram defesa preliminar e as testemunhas do caso. Agora, eles serão citados e instruídos para o julgamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário