Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Em Boituva, moradores ficam atentos com capivaras após mortes por febre maculosa

Motivo é que animal é ligação entre carrapato transmissor da doença e humanos. Duas pessoas morreram pela febre em um ano.

Por G1 Itapetininga e Região 23/05/2017 20h08

Após casos de febre maculosa, moradores em Boituva se atentam às capivaras

As duas mortes causadas por febre maculosa em um ano em Boituva (SP) estão fazendo com que a população fique atenta às capivaras. Isso porque os animais são a ligação entre o carrapato que transmite a doença e os humanos. A enfermeira da Vigilância Epidemiológica Rejane Barros orienta:

“Queremos alertar a população. Se a pessoa vai para uma área onde tem capivaras, ela deve ficar atenta. Se aparecer um carrapato no corpo precisa tirar sem espremer, girando o inseto e descartá-lo no vaso sanitário. Também olhar bem as roupas para ver se não há carrapatos grudados”, alerta.

A Secretaria de Saúde do Estado classificou o município como área de risco de transmissão da doença. O último caso aconteceu em janeiro deste ano e chamou atenção pela vítima trabalhar próximo à região da primeira que morreu da doença, no Bairro Chácara dos Pinhais.

Carrapatos transmitem doença de capivaras infectadas a humanos (Foto: Reprodução/ TV TEM)

A febre maculosa é transmitida pelo carrapato estrela, depois que ele pica um animal já infectado pela doença, normalmente uma capivara e, em seguida, entra em contato com o ser humano. Ano passado, 36 pessoas morreram no estado de São Paulo depois de pegarem a febre maculosa. Este ano, três mortes já foram registradas.

Depois que a Prefeitura de Boituva foi notificada, uma campanha de prevenção está sendo elaborada para orientar moradores e visitantes que frequentam os mesmos espaços em que os mamíferos costumam aparecer.

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica Rejane Barros explica que os sintomas da febre maculosa podem levar de 12 a 14 dias para se manifestarem e, muitas vezes, são confundidos com os da meningite ou até dengue. Febre alta, dor de cabeça, perda de apetite, náusea ou vômito, manchas vermelhas na pele, olhos vermelhos ou sensíveis à luz são os principais.

Carrapato estrela é o transmissor da febre maculosa. Inseto transmite a doença após picar capivara infectada (Foto: Reprodução/TV Tem)

Medidas simples podem ser adotadas para evitarem a transmissão da doença, mas a principal é evitar os locais onde se tem o conhecimento da presença de capivaras.

"Locais onde não há esse animal, não tem problema. Mas se precisar frequentar essa área, tem que olhar bem para seu corpo e roupa. De preferência, se você mora num lugar com capivaras próximo, deixar o mato sempre roçado, bem baixinho, assim é mais difícil para o carrapato grudar no seu corpo ou no pelo de algum animal", diz a enfermeira.

Capivaras costumam ficar em áreas de mata com água (Foto: Reprodução/ TV TEM)

A febre maculosa tem cura desde que o tratamento seja feito nos primeiros dois ou três dias do surgimento dos sintomas. Atraso no diagnóstico pode provocar complicações graves, como comprometimento do sistema nervoso central, rins e pulmões, podendo levar a morte. Ainda não existe vacina contra a doença.

"Geralmente em sete dias já aparecem os primeiros sintomas. É importante avisar ao profissional de saúde que se esteve em área com capivaras porque também faremos um trabalho com os profissionais da área médica para pensarem em febre maculosa”, esclarece Rejane.

Nenhum comentário:

Postar um comentário