Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Obras do Centro de Iniciação Esportiva foram retomadas

O CIE começou a ser construído em janeiro de 2018, através de um convênio com o Governo Federal, através do Ministério do Esporte.


08/10/2019 | Na quinta-feira (03), foram retomadas as obras do CIE (Centro de Iniciação Esportiva), que está sendo construído pela Prefeitura de Tatuí no Jardim Lucila. Os serviços estavam paralisados desde dezembro de 2018.

Os trabalhos de montagem da estrutura metálica de cobertura já haviam sido realizados no ano passado. A partir daí, os serralheiros da empresa contratada reiniciaram as obras. Eles ainda tiveram que remontar o canteiro de obras, que ficou deteriorado pelo tempo sem uso.

O CIE começou a ser construído em janeiro de 2018, através de um convênio com o Governo Federal, através do Ministério do Esporte. A obra está orçada em R$ 3.067.113,22 e terá a construção de um ginásio de esportes coberto, quadra esportiva descoberta e área de apoio (administração, sala de professores/técnicos, vestiários, chuveiros, enfermaria, copa, depósito, academia, sanitário público) e área construída de 3.500 m2. O local da obra é em uma área ao lado da E. E. “Professor Fernando Guedes de Moraes”.

“Este será um centro de treinamentos importante para incentivar e desenvolver a prática esportiva com crianças e jovens, que merecem a nossa atenção”, disse a prefeita Maria José Vieira de Camargo.

Entenda porque a obra ficou paralisada – Em dezembro de 2018, pouco antes de deixar o governo, o então presidente Michel Temer baixou um decreto no qual paralisou as obras de CIEs (Centros de Integração Esportiva), em andamento no Ministério do Esporte. Tatuí foi afetada, porque além da obra estar em fase adiantada, tinha já em conta cerca de R$ 1 milhão, que ficaram “congelados”, isto é, sem o Município poder utilizar o recurso. Em agosto, o Ministério da Economia autorizou o reinício da obra e a administração municipal ainda teve que aguardar algumas semanas para reiniciá-las, porque precisou também da anuência da Caixa Econômica Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário