Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quarta-feira, 6 de junho de 2018

Cenipa investiga avião experimental que fez pouso forçado na Vila Angélica

Aeronave pousou no terreno de um loteamento, em Tatuí. Apesar dos danos, não houve feridos.

Por Paola Patriarca, G1 Itapetininga e Região, com edição do DT

Aeronave que fez pouso forçado em Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal)

06/06/2018 - O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou ao G1 que vai investigar o acidente do avião experimental que precisou fazer um pouco forçado em Tatuí, às margens da rodovia Mario Batista Mori (SP-141), Vila Angélica, em Tatuí.

O acidente ocorreu no dia 1º de maio. Segundo a Guarda Civil Municipal, a suspeita é de que o avião tenha tido problemas no motor e, para evitar um acidente maior, o piloto, que é de Sorocaba, fez um pouso forçado no terreno de um loteamento.

O Cenipa afirmou, em nota, que uma equipe esteve no local no mesmo dia do acidente para começar a investigação e realizou a coleta de dados, que consistiu em fotografar a cena, retirar partes da aeronave para análise, ouvir relatos de testemunhas e reunir documentos.

Ainda segundo o órgão, a investigação tem como objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram.

Pouso ocorreu em terreno na vila Angelica, em Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal)

Pouso forçado

O pouso ocorreu no início da tarde da última sexta-feira. A Guarda Civil informou que na aeronave, além do piloto, estava mais um homem, morador de São Paulo. Apesar dos danos no avião, ninguém se feriu.

De acordo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os documentos do avião Flyer, modelo Pelican 500BR e prefixo PU-ZNZ, estão em ordem. A categoria de registro é privada experimental.

Por telefone, o Aeroclube de Tatuí informou que está apurando as causas do acidente, mas afirmou que o avião não pertence ao clube.

Avião fez pouso forçado em terreno de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Roseli Cândido Mestre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário