Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Caso Juliana: Polícia analisa imagens de câmera que registrou menina antes de sumir

Criança de 10 anos desapareceu ao sair para brincar com irmãos, em Tatuí.

Roupa que ela estaria usando no dia do sumiço foi achada queimada.

Caio Gomes Silveira, do G1 Itapetininga e Região

A Polícia Civil está analisando as imagens de uma câmera de segurança de um bar que mostram momentos antes de uma menina de 10 anos antes de desaparecer no último domingo (6), no jardim Santa Rita, em Tatuí. A mãe da criança, Ilzoneide Soares da Silva, afirmou ao G1 que a filha Juliana Soares Conceição sumiu depois que saiu de casa para brincar com os três irmãos no bairro.

De acordo com o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em Itapetininga, Agnaldo Ramos, as imagens mostram a garota conversando com um homem em frente ao bar que fica na mesma rua da casa onde vive. O homem já havia sido apontado por testemunhas, mas não é confirmada a ligação entre ele e o desaparecimento da garota.

Menina desapareceu enquanto brincava com irmãos, diz mãe (Foto: Arquivo Pessoal)

“A princípio ele não tem relação com o sumiço. As informações das testemunhas estão desencontradas, mas estamos investigando e indo atrás para saber onde ela possa estar e saber o que aconteceu”, afirma o delegado.

Além das imagens, a Polícia Civil informou que um morador encontrou peças de roupas queimadas, na madrugada desta sexta-feira (11), em um terreno baldio localizado no bairro vizinho. A suspeita é de que as roupas sejam da criança.

Ainda segundo a polícia, as peças foram mostradas para a mãe, que disse que a filha as usava no dia que desapareceu. Contudo, a confirmação só será possível após perícia e investigações, que estão sendo conduzidas pelo delegado Emanuel dos Santos Françani, de Tatuí.

Enquanto as informações não são confirmadas, a Polícia Civil trabalha com diversas hipóteses para o sumiço da menina. “Pode ser um caso mais grave em que ela foi pega por alguém ou ela pode ter sumido sozinha, porque, pelo que apuramos, não é a primeira vez que acontece isso”, conclui o delegado Ramos.

Entenda o caso
Segundo a mãe de Juliana, Ilzoneide Soares da Silva, a filha saiu com os outros três filhos dela, de 13, 9 e 6 anos no domingo para brincar na rua onde vivem, a Rua Pedra Ribeiro Abrame, no Bairro Santa Rita. No entanto, apenas ela não retornou para a casa.

“Eles foram brincar em frente de casa, como sempre fazem. Eu fiquei em casa com o meu outro filho, que tem deficiência física. Mas eles sempre brincam na rua de casa, nunca saem longe. A única informação que tenho é de que uma pessoa falou que viu minha filha conversando com um homem, por volta das 17h. Ela teria entrado com ele em um bar e depois disso sumiu. Os irmãos dela falaram que não viram quando a Juliana sumiu, porque estavam brincando de bola. Não viram quando ela desapareceu. Só peço para Deus para encontrá-la. Isso nunca tinha acontecido e estamos todos angustiados", diz.

Ilzoneide justifica que só procurou a polícia na terça-feira porque procurou a filha com vizinhas na segunda-feira (7). “Não aguento mais ficar sem informação. Quero minha filha de volta. Eu tento me manter firme. É o que tenho que fazer, mas está difícil, pois não encontramos nada. A suspeita é de que o rapaz seja um trabalhador de uma construção que tem perto de casa, mas ninguém o encontrou”, explica.
Caso é investigado na delegacia de Tatuí (Foto: Cláudio Nascimento/ TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário