Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Beisebol: Em último torneio com a seleção, Camargo espera fechar jornada com título e “alma lavada”

Falta só um passo para o título da seleção brasileira. Nesta sexta (11), na semifinal, uma vitória categórica diante do Peru por 12 a 0 que deixou o time a um passo da primeira conquista do Sulamericano em 11 anos. Momento especial do Brasil, e mais ainda para o tatuiano Luis Camargo.

Após quase 30 anos servindo a seleção brasileira em diferentes categorias, chegou o momento de despedida da Camargo. O jogador falou sobre a experiência de estar no último torneio da carreira, e como tem sido esses momentos de despedida com o time do Brasil.

“Está decidido. Como jogador, é a minha última competição. Não poderia ser melhor. O nosso time está ganhando, estou saudável e me sentindo muito bem. Estamos em um lugar privilegiado na Argentina, e isso ajuda a gente continuar focado. Então, para mim, está sendo uma despedida muito legal.”

Aos 40 anos, Camargo tem muita história para contar no beisebol. O jogador tem passagem pelo beisebol japonês, ficou uma década na Itália e tem experiência de sobra com a camisa da seleção brasileira.

“A minha vida toda fiquei no meio do esporte, e está sendo ótimo. Estou convivendo muito com os meus companheiros — os meninos são demais, os mais velhos e a comissão técnica. Só falta o título. E eu posso dizer que vou conseguir soltar todos os meus leões que ainda estão dentro de mim. É estilo Rocky Balboa, como aquela última luta que ele quer ter.”

Em busca do Sulamericano, Camargo ressalta o bom ano de despedida. Mesmo veterano e jogando numa posição desgastante, conseguiu ser bem efetivo em campo. “Esse ano foi muito bom, graças a Deus. Consegui jogar muito bem na Itália, no Clássico. Não conseguimos classificar, mas o Sulamericano está servindo como a revanche. Se eu parasse de jogar ali, talvez eu não parasse tranquilo.”

Para Camargo, vencer o título seria fechar a carreira com chave de ouro e colocar ponto final em uma trajetória sensacional. “Aqui, eu jogando, a gente conseguindo ganhar esse título, acho que vou terminar minha carreira com a seleção de alma lavada. E só tenho que agradecer a todos que me ajudaram, desde a minha primeira seleção em 1988, no Japão. Não é com tristeza que eu deixo a seleção brasileira, e sim com muita alegria.”

A última partida de Camargo com a seleção será neste sábado, diante da Argentina, às 16h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário