Boletim de informações COVID-19 n° 124 Tatuí, 31 de maio de 2020 - 11h

157 CONFIRMADOS
117 RECUPERADOS
10 ÓBITOS
21 SUSPEITOS
0 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

domingo, 28 de setembro de 2014

Marquinho da Santa Casa apresenta série de requerimentos para levantar a situação da Saúde em Tatuí

O vereador Antonio Marcos de Abreu, o Marquinho da Santa Casa/PP, apresentou na última sessão da Câmara, dia 23, diversos requerimentos à Santa Casa, ao AME de Itapetininga, à Divisão Regional de Saúde e ao secretário estadual da Saúde, para levantar a real situação do atendimento à saúde dos tatuianos. Após vigoroso discurso na tribuna da casa, os requerimentos foram submetidos à votação, recebendo aprovação unânime.

O  vereador questiona o secretário estadual da Saúde, Dr. David Everson Uip, sobre os motivos da Santa Casa de Misericórdia de Tatuí ainda não ter sido contemplada pelo programa Pró-Santa Casa 2.

Ao Ambulatório Médico de Especialidades - AME, de Itapetininga, à Divisão Regional de Saúde, de Sorocaba, e também ao secretário estadual da Saúde são requeridas informações sobre pacientes tatuianos na especialidade de otorrinolaringologia, que passaram por consulta no AME e estão aguardando vaga para tratamento até hoje.

O secretário estadual e a DRS  de Sorocaba também são questionados sobre pacientes que aguardam consultas da especialidade vascular desde abril de 2012, ou seja, há mais de dois anos. Outros pacientes aguardam a realização de exames de manometria esofágica desde julho de 2012, também há mais de dois anos. O vereador indaga a maneira como funciona o sistema de marcação destes procedimentos.

Quais medidas, pergunta Marquinho, estão sendo tomadas pela Divisão Regional de Saúde de Sorocaba em relação à falta de medicamentos aos pacientes do município de Tatuí, que fazem parte do programa dos componentes especializados de alto custo?

O vereador requer que a DRS Sorocaba e o secretário estadual da Saúde informem as medidas tomadas em relação aos pacientes que aguardam a realização de cirurgia bariátrica, considerando a existência de pacientes aguardando chamados e Tatuí não tem referência para o encaminhamento.

Outra grande preocupação diz respeito aos pacientes aguardam desde outubro de 2013, portanto há mais de 10 meses, a realização do exame de cinecoronariografia (cateterismo cardíaco). Marquinho requer informações da DRS e do secretário estadual sobre como funciona o sistema de marcação deste procedimento.

Requer que o Secretário estadual e a DRS Sorocaba informem a respeito das consultas da especialidade neuropediatria, que tem alta demanda sem atendimento, com crianças esperando desde novembro de 2011. Da mesma forma, muitos pacientes aguardam a realização de exame de cintilografia óssea.

À DRS e ao Secretário também são requeridas informações a respeito de atendimento de pacientes nas especialidade de uro-oncologia, cabeça e pescoço e ortopedia, agendados para atendimento no Conjunto Hospitalar de Sorocaba e posteriormente devolvidos ao município, após a realização de consulta, sob alegação de que estes pacientes não são residentes em Sorocaba, sendo que tais vagas são disponibilizadas pela DRS.

Como equacionar a alta demanda de cirurgias ortopédicas buscadas pelos tatuianos? - indaga. Que medida alternativa deve ser tomada pelo município, considerando a existência de exames e consultas sem referência nesta divisão, e com demanda sem atendimento? 

Marquinho também foi rigoroso quanto à Santa Casa de Tatuí. Da provedoria, requer maiores informações a respeito das verbas decorrentes de emenda parlamentar obtidas pelo deputado estadual Antonio Salim Curiati/PP para aquisição de uma ambulância e uma van, recurso que já teria sido disponibilizado em conta. Quer saber se está sendo respeitado o Código de Ética Médica quanto ao direito de o médico internar e assistir seus pacientes sem que este faça parte de seu corpo clínico (neste item, o vereador também requer informações do próprio corpo clínico).  Requer que a provedoria informe se os médicos que atendem no pronto-socorro atendem também consultas particulares e de convênios no horário de plantão do SUS; se o hospital está realizando a prestação de contas referente à Subvenção e Contratualização mensalmente à Secretaria da Saúde, informando a data da última prestação enviada; se a Santa Casa tem todas as certidões negativas de débitos válidas (Previdência Social, FGTS, Fazenda Federal, Estadual e Municipal, fornecendo cópias; e que informe a situação em que se encontram os parcelamentos de débitos realizados junto à Sabesp e à Elektro, especificando as parcelas pagas  e as a vencer, com seus respectivos valores e vencimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário