PUBLICIDADE

Boletim de informações COVID-19 n° 167 Tatuí, 12 de julho de 2020 - 11h

628 CONFIRMADOS
533 RECUPERADOS
29 ÓBITOS
145 SUSPEITOS
33 HOSPITALIZADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

domingo, 18 de julho de 2010

Ex-secretário Márcio Medeiros é o único candidato de Tatuí à Assembleia Legislativa

Do site www.oprogressodetatui.com.br

Engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal de Lavras, de Minas Gerais, membro titular do Ibape (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias), ex-secretário municipal da Agricultura e do Meio Ambiente – pasta atualmente desmembrada -, empresário no ramo de controle de pragas e presidente do diretório municipal do PV (Partido Verde). Com este currículo, o tatuiano Márcio Medeiros lança-se como o único candidato a deputado estadual por Tatuí.
Nesta semana, após o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) considerá-lo apto para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo, Medeiros falou a O Progresso. O político comentou sobre sua carreira, os motivos que o levaram a concorrer pela primeira vez a um cargo eletivo e seus projetos. De antemão, Medeiros disse que pretende trabalhar pela sustentabilidade (unindo o meio ambiente ao social), pela reclassificação das delegacias do município, pela aparelhagem das polícias e pela instalação do IML (Instituto Médico Legal) e IC (Instituto de Criminalística).
Medeiros ingressou na política “por iniciativa própria” em meados de 1999, ocasião em que se uniu a um grupo de ambientalistas para fundar o PV local. “Até aquele momento, as administrações anteriores não davam nenhum valor ao meio ambiente. Então, eu, como cidadão e político, junto com um grupo de pessoas, montei o PV”. Desde então, o engenheiro mantém-se como presidente da legenda. “Nós conseguimos nosso espaço”, comentou.
O trabalho ambiental trouxe repercussões positivas. Tanto que Medeiros foi convidado, em 2004, quando da eleição municipal vencida pelo prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (PSDB), a assumir a titularidade da pasta da Agricultura e do Meio Ambiente, posição ocupada até 2008. “Durante esse período, tive a oportunidade de realizar um belo trabalho. O resultado desse belo trabalho posso informar à população que é a nota de Tatuí no Município Verde – hoje, Município Verde e Azul. Nota não só minha, mas fruto do trabalho da minha equipe na época”, disse. A cidade ficou na 37ª posição, entre 331 do Estado de São Paulo, no ranking feito pela Secretaria de Estado da Agricultura.
Como secretário, Medeiros salienta que trabalhou na elaboração de projetos que possibilitaram a chegada de verbas destinadas a diversas melhorias. Dentre elas, o Banco de Alimentos. “Este projeto foi iniciativa da minha secretaria. Naquele momento, havia um grande desperdício de alimentos, mas nós conseguimos promover uma interação entre meio ambiente, agricultura e social, já que atendíamos entidades da cidade”, afirmou. Ainda como secretário, Medeiros disse que teve contribuição no cadastramento das famílias que residiam em áreas de risco – projeto que possibilitou a desfavelização - e viabilizou parcerias com entidades sociais da cidade.
A experiência como agente público foi um dos motivos que fizeram Medeiros se candidatar a deputado estadual. “Além da avaliação do meu trabalho, existe a carência do município e de algumas cidades da região de um representante na Assembleia Legislativa”, afirmou. O político espera a aprovação nas urnas de eleitores de Tatuí, Boituva, Capela do Alto, Cesário Lange, Guareí, Quadra e Torre de Pedra, o equivalente a cerca de 120 mil eleitores. Para eleger-se, Medeiros precisará obter aproximadamente 40 mil votos. “Quando coloquei minha candidatura, a executiva estadual do PV imaginou exatamente isso, que o colégio eleitoral de Tatuí precisava ter representação”.
“Muitos políticos antigos da cidade já afirmavam que tatuiano precisa votar em tatuiano. Então, nada mais lógico, hoje, que tatuiano votar em tatuiano. Já imaginou um eleitor ter de procurar o seu candidato lá na Grande São Paulo?”, questionou. O político disse ter grandes chances de vencer a disputa, mesmo concorrendo com correligionários como Rita Passos, de Itu, e Edson Giriboni, de Itapetininga. “Não seria concorrência. Acho que cada candidato tem seu eleitorado”, argumentou.
Medeiros afirma que o PV está confiante em eleger os três como representantes, mesmo não fazendo coligações. A legenda, segundo ele, disputa com “chapa pura”. Na prática, isso significa que seus candidatos só podem “dobrar” (apoiar outro candidato, como se diz na política) do mesmo partido. Caso contrário, podem ser expulsos. O tatuiano, por exemplo, vai dobrar com Guilherme Mussi, de Capão Bonito, que disputa a deputado federal.
Se eleito, Medeiros comprometeu-se a instalar em Tatuí seu escritório político. “Esse gabinete vai estar aberto – essa é a lógica da política – a todas as pessoas da região. Hoje, quando o cidadão precisa de algo no município, procura o vereador. Vencendo, também poderão me procurar no gabinete, que vai atender, além de Tatuí, Quadra, Cesário Lange, Boituva e todos da nossa região”. O político também adiantou que seu trabalho vai ser focado na sustentabilidade. “Quando falo isso, não me refiro somente à área agrícola, mas ao social, por meio de projetos que deem subsídios aos pequenos produtores, para que eles possam manter suas famílias vivendo no campo”, afirmou.
Conforme o candidato, o trabalho visa não só garantir sobrevivência à população rural, mas evitar o aumento do desemprego e dos problemas sociais decorrentes dele. “O ruralista que vai para a cidade, muitas vezes, não tem qualificação. Por isso, ao lhe darmos incentivo, estamos fortalecendo não só a economia, mas o social”, argumentou. Ainda na questão social, Medeiros adiantou que pretende fortalecer as entidades, por meio de projetos de incentivo e de repasses de recursos.
Na segurança pública, o político disse que um deputado pode fazer muito mais por Tatuí. “Acho que a cidade perdeu muito durante os oito anos do governo anterior. Precisamos reparar isso”, comentou. Neste sentido, Medeiros afirmou que vai lutar para que a cidade volte a ter os serviços do IML e o IC.
“Diversos políticos citam que Tatuí é um pólo de desenvolvimento do sudoeste paulista, por isso mesmo que temos de ter esses dois institutos aqui”, citou. Os órgãos facilitariam, conforme o candidato, a vida de moradores não só de Tatuí, mas de diversas cidades da região, como Boituva, Cerquilho e Cesário Lange.
Ainda na segurança, Medeiros disse que pretende lutar pela reclassificação das delegacias. “Muito se perdeu em termos de apoio. Quero melhorar tanto a logística (viaturas), como a estrutura”, comentou. Na saúde, o candidato disse que pretende auxiliar as prefeituras da região com relação aos custos, por meio de verbas. “As propostas fazem parte de um projeto de governo formado e não montado, como fez Fábio Feldmann, candidato do PV ao governo do Estado de São Paulo. Aliás, este é um dos motivos pelos quais estou entrando. Precisamos formar novas lideranças, para que a cidade se desenvolva ainda mais”.
CAMPANHA
Apesar de já ter a candidatura oficializada, Medeiros deve aguardar os trâmites legais para iniciar a campanha. “Já estou apto, mas o TRE exige alguns procedimentos que serão concluídos, no máximo, até a semana que vem”, disse. A previsão é de que o candidato esteja com a campanha nas ruas em dez dias.
O trabalho deve incluir comícios. A realização deles, contudo, está sendo analisada pelo candidato. “Estamos com um pouco de precaução porque a legislação eleitoral mudou muito. O que pretendemos trabalhar com mais afinco seria a questão da internet”. Medeiros vai enfatizar o meio eletrônico para divulgar sua plataforma de trabalho. “É uma maneira de se fazer campanha”, disse.
O político também pretende percorrer todos os municípios da região, onde deve agendar visitas com empresários e políticos. “Estou sendo bem recebido nos locais em que passo. Acho que tanto pela carência como pela necessidade de uma nova liderança, estou recebendo apoio em todos os lugares nos quais estive”. “Acho isso muito importante num político. Estou tendo muito voto declarado, e isso é fruto do meu trabalho. Não fosse assim, não conseguiria esse retorno tão positivo”, afirmou.
Apesar do reconhecimento que sustenta possuir na região, Medeiros, pelo menos por enquanto, não conta com apoio declarado da classe política local. “Como político, estou fazendo a minha parte. Independente da questão partidária, gostaria de salientar que estou procurando os políticos, e gostaria de deixar aberto que eles também estejam à disposição de me procurar. É uma questão de recíproca. Hoje, eles estão no poder, eu, não, mas posso chegar. Já procurei alguns deles, que se comprometeram a me apoiar. Acho que quem ganha não é o Márcio Medeiros candidato a deputado estadual, mas a cidade, o que é muito mais importante”, concluiu.
FEDERAIS
Além de Medeiros, Tatuí terá outros dois candidatos. Rogério de Jesus Paes, o Rogério Milagre (PTC), e Dacio Vieira de Camargo Neto (PSol) concorrem a deputado federal e apareciam, até o fechamento desta edição (17h de sexta-feira, 16) com o status “aguardando julgamento”, no site do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.gov.br).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE