Boletim de informações COVID-19 n° 49 Tatuí, 08 de abril de 2020 - 16h

91
NOTIFICAÇÕES
44
SUSPEITOS
39
DESCARTADOS
8
CONFIRMADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Escola do Senai funcionará na Asseta

Do jornal O Progresso de Tatuí, edição 5.442, de 28.07.2010

A Asseta (Associação de Ensino Tatuiense) será a sede provisória do Centro de Treinamento Municipal, a ser implantado em Tatuí pela Prefeitura em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Quem informa é o prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo. Segundo ele, a estimativa é de que o espaço entre em funcionamento ainda no segundo semestre deste ano.
O centro ocupará as mesmas salas utilizadas até então pela Fatec (Faculdade de Tecnologia) “Wilson Roberto Ribeiro de Camargo”. A instituição funcionou provisoriamente na Asseta até este mês, enquanto duraram as obras de reforma e ampliação de seu prédio próprio, às margens da rodovia Mário Batista Mori (SP-141), 971, no Jardim Aeroporto. A partir deste mês, a Fatec iniciou transferência para o prédio novo, cuja inauguração acontece no próximo dia 11.
Conforme afirmou Gonzaga, a Prefeitura está trabalhando para que a EVT (Escola de Vida e Trabalho), modelo de capacitação de aprendizes com idade entre 14 e 24 anos, tenha início o mais breve possível. Para isso, agendou, para a semana que vem, uma audiência em São Paulo com a diretoria geral do Senai.
“Estamos correndo para que a escola já se instale lá para atender à demanda das indústrias da cidade”, argumentou o prefeito. Dentre elas, Gonzaga citou a Rontan Eletrometalúrgica, que está expandindo seus negócios, com o ramo de veículos pesados, e necessitando de mão-de-obra capacitada.
O centro de treinamento, que abrigará a EVT, vai auxiliar a formação de pessoas que poderão ocupar vagas nas empresas locais, como a Rontan. “As cerâmicas também nos cobram muito essa capacitação”, ressaltou o prefeito. De acordo com ele, o centro evitará a “importação” de mão-de-obra, diminuindo a contratação de profissionais de cidades vizinhas, como Boituva, Iperó e Porangaba. Em tese, isso diminuirá os custos das indústrias e permitirá, conforme Gonzaga, que as empresas invistam em ampliações.
Por ser simples, o modelo de Escola de Vida e Trabalho demanda menos investimentos do que as escolas convencionais do Senai, que têm atendimento regionalizado e um tempo de construção bem maior. A EVT também possui cursos fixos e pode-se moldar às necessidades do mercado.
A proposta da Prefeitura é que o centro passe a funcionar, ainda que provisoriamente, de maneira imediata. Por isso, a municipalidade decidiu locar a Asseta. O projeto de construção do prédio definitivo para o Centro de Treinamento Municipal em parceria com o Senai, no entanto, não será alterado. A construção acontecerá, como anunciado há mais de dois anos, na área do antigo Expurgo, na rua Teófilo Andrade Gama, no Boqueirão. O terreno, atualmente, pertence ao governo do Estado de São Paulo. No entanto, o município já detém autorização de uso por tempo indeterminado.
A área será doada ao município diretamente por meio de permuta. Para isso, a Prefeitura já entrou em negociação com o governo paulista. O município cederá a área onde hoje está localizada a Fatec, no Jardim Aeroporto. Em troca, a área do Expurgo passará para a Prefeitura. O processo, em andamento, não impede o início da construção do centro, que depende de recursos.
A construção do prédio definitivo é considerada uma obra cara. Por esta razão, a Prefeitura decidiu antecipar o funcionamento do centro, levando-o para um espaço que estivesse “quase pronto”. A Asseta passou por avaliação de técnicos da administração municipal e de representantes do Senai. O segundo passo será a adequação do local para o recebimento de equipamentos que serão utilizados nos cursos. Os maquinários serão cedidos por meio de convênio e os professores, contratados pela Prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário