Nosso Jornal Online

Tatuí, 


segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Moradores lamentam atraso nas obras de UPAs de Tatuí e Itapetininga

Previsão de conclusão da UPA de Tatuí é no segundo semestre de 2019, diz prefeitura. Já a UPA de Itapetininga está concluída, mas a prefeitura aguarda recursos federais para comprar equipamentos.

Ministério da Saúde informou que a UPA de Tatuí já recebeu mais de R$ 1 milhão para construção da unidade — Foto: Reprodução/TV TEM

Por G1 Itapetininga e Região, com edição do DT

27/01/2019 | Os moradores reclamam da demora nas obras da Unidade de Pronto Atendimento tanto em Tatuí como em Itapetininga.

Patrícia Diniz trabalha em um condomínio perto da obra da UPA de Tatuí, e conta que sempre observa os serviços, que foram retomados em maio deste ano. “Nós vemos que sempre tem gente trabalhando e que até deram uma boa adiantada na parte de cima, porque era só terra. Mas não sei, não. Tomara que termine neste ano”, conta.

As obras começaram em 2012 com uma verba de mais de R$ 2 milhões proveniente do Ministério da Saúde. O governo federal chegou a romper o convênio, pois a prefeitura não cumpriu os prazos de entrega.

Porém, após uma negociação, o acordo foi retomado. Em abril, o secretário de saúde Jerônimo Fernando Dias Simão afirmou à reportagem da TV TEM que até dezembro de 2018 a obra seria entregue.

As obras começaram em 2012 com uma verba de mais de R$ 2 milhões 

Segundo os moradores, a sensação é que ainda falta muita coisa para a unidade ser entregue. Eles acreditam ser prejuízo para quem depende da saúde pública na cidade. “É triste ficar parado [a obra], porque é uma necessidade para o povo”, conta uma moradora.

Já em Itapetininga, a reportagem da TV TEM mostrou, em abril de 2018, que a obra da UPA da Avenida Nishimbo do Brasil estava atrasada.

Em nota, a prefeitura afirmou que faltavam os acabamentos finais, como colocação de piso e também a instalação de um gerador. A administração disse ainda que a unidade seria entregue até o final deste ano.


Francisco das Chagas conta que tem problema no ombro esquerdo, já fez duas cirurgias e vai com frequência ao pronto-socorro. Ele afirma que se a UPA estivesse funcionando seria mais fácil e próximo.

“Eu tenho problema de saúde, e constantemente preciso procurar o pronto atendimento no hospital. Às vezes ficamos bem sufocados, passamos bastante tempo. A insatisfação da gente, hoje, é ter uma estrutura dessas, que foi construída com recurso público, se deteriorando no tempo, sem resposta do poder público”, explica.

Paulo Dias Neves mora perto da unidade, e conta que há alguns meses não vê ninguém trabalhando no local. Ele ainda afirma que questionou a prefeitura, mas não obteve resposta.

“Faz um tempinho já, no mínimo seis meses, que eu não vejo mais ninguém trabalhando na obra. A obra está pronta, mas a gente é atendido no pronto-socorro, que é muito pequeno, atrasado e inadequado”, conta.

A obra da UPA, em Itapetininga, começou em 2013

A obra da UPA, em Itapetininga, começou em 2013 a um custo de pouco mais R$ 3 milhões do Ministério da Saúde.

A previsão inicial era terminar os serviços em 2015 mas, segundo a prefeitura, um dos motivos do atraso seria a readequação do projeto.

Em janeiro, o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou a unidade e prometeu R$ 1,5 milhão para a compra de equipamentos. Porém, ainda conforme o morador Paulo, nenhum equipamento chegou à unidade.

“Eu passo em frente todo dia e nunca vi chegar equipamento. São equipamentos complexos e caros, e não vi chegando nada. Falar que vai inaugurar daqui 10 ou 15 dias eu acho muito improvável, mas o que pedimos é que a saúde possa melhorar e que a gente tenha uma UPA 24 horas atendendo a região”, conta.

Respostas

O Ministério da Saúde informou que a UPA de Tatuí já recebeu mais de R$ 1 milhão para construção da unidade. A última parcela, no valor de R$ 500 mil, será paga após o gestor emitir atestado e conclusão da obra.

Sobre a UPA de Itapetininga, o Ministério alega que já está concluída e o gestor é responsável pela contratação de profissionais, e pela compra de equipamentos para o funcionamento da unidade. A pasta liberou, em outubro, R$ 1,4 milhão para compra de equipamentos para a unidade.

A prefeitura de Itapetininga informou, em nota, que esse recurso do Ministério da Saúde foi liberado para a compra de parte dos equipamentos da UPA, e que em processo licitatório ainda não foi publicado.

A prefeitura ainda afirma que busca outros recursos federais para concluir a compra dos equipamentos necessários.

Já a prefeitura de Tatuí afirmou, em nota, que está em negociação com o Ministério da Saúde para prorrogar o prazo de construção.

Segundo a prefeitura, a obra está 80% concluída e até o dia 31 de dezembro estará com 90% dos serviços, porém a previsão de conclusão é no segundo semestre de 2019.

A prefeitura alegou ainda que a obra ficou parada por quatro anos, e que o convênio foi retomado com recursos próprios. O projeto, segundo a prefeitura, precisou ser readequado para atender de acordo com o Ministério da Saúde.

A administração municipal ressaltou que os atendimentos de urgência e emergência estão sendo realizados no pronto-socorro municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário