Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Após 'sumir' por 30 dias, prefeito de Boituva diz que cumpria agenda fora da cidade

Segundo os parlamentares, a dificuldade em notificar o prefeito Fernando Lopes (PSDB), investigado em duas comissões, levantou a suspeita de que ele não estaria cumprindo os compromissos.

Após 'sumir' por 30 dias, prefeito de Boituva diz que cumpria agenda fora da cidade

Por G1 Itapetininga e Região, com copidesque do DT

16/01/2019 | Após ficar 30 dias "sumido" do Paço Municipal, o prefeito de Boituva (SP) Fernando Lopes da Silva (PSDB) apareceu nesta quarta-feira (16). Em entrevista à TV TEM, Fernando alegou que estava cumprindo agenda fora da cidade, mas que não deixou de trabalhar.

"Como teve mudança no governo estadual, todas secretarias mudando, estou indo atrás para mostrar Boituva. Eu estava em agenda fora do município, uma delas que trata a drenagem no Centro e eu preciso resolver. Outro problema que fui resolver é que pode ter falta de água. Estávamos reunidos com pessoas que podem nos ajudar. Outro evento foi no Instituto Federal, na sede, para ampliarmos o Instituto Federal. O que precisou ser feito de demanda foi feito", alegou.

Vereadores de Boituva (SP) afirmaram na terça-feira (15) que pretendiam dar posse à vice-prefeita Maria Nasará da Guia Azevedo (PC do B) caso o prefeito Fernando Lopes da Silva (PSDB) não fosse encontrado para ser notificado sobre duas Comissões Processantes que foram abertas na Câmara e podem cassar seu mandato.

Segundo os parlamentares, a dificuldade em notificar o prefeito, investigado em duas comissões instauradas em 2018, levantou a suspeita de que ele não estaria cumprindo os compromissos no Executivo.

Sobre ser notificado, o prefeito afirmou que não quis se encontrar com os vereadores para ser notificado porque é algo político e precisava resolver assuntos da cidade fora.

"Não encontrei com ele por conta de uma notificação de algo político. Isso é apenas motivação política. Tenho muita coisa para fazer na cidade. Agenda fora envolve planejamento. Mas sobre as comissões tudo foi respondido corretamente na parte jurídica", diz.

Ainda segundo o prefeito, o orçamento de 2019 não foi aprovado pelos parlamentares, o que pode causar consequências no município. "Os vereadores não aprovaram o orçamento. Daqui a pouco não vou poder comprar remédio, merenda e isso sim pode fazer que a cidade pare", ressalta.

Por telefone, o presidente da Câmara, Pedrinho Gás, afirmou que os vereadores fizeram uma audiência pública na última segunda-feira para discutir o orçamento e pediram a alteração de alguns pontos que ficaram sem explicação.

Disse também que a decisão da Justiça determinou 48 horas para a Câmara se manifestar e não para votar o orçamento.

Pedrinho disse também que a Câmara já mostrou à juíza que está agindo de acordo com o regimento interno. O presidente informou que agora aguardam as alterações do projeto serem feitas e protocoladas na câmara para análise e votação.

Investigação

Câmara de Vereadores de Boituva suspeitou que prefeito não trabalhou por 30 dias — Foto: Reprodução/TV TEM

Segundo a Câmara, a primeira CP que investiga o prefeito é da merenda escolar, que apura a contratação de uma empresa que não poderia prestar serviços ao poder público, com leitura do relatório final e votação prevista para o dia 21 de janeiro.

A segunda é a do lixo, que apura a contratação de uma empresa que está fazendo o serviço de limpeza na cidade com dispensa de licitação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário