Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sábado, 12 de agosto de 2017

Um dos principais pontos turísticos de Tatuí, Museu Paulo Setúbal guarda a história da cidade

Acervo conta com objetos de moradores e do escritor Paulo Setúbal. Prédio é considerado patrimônio histórico e foi construído em 1920.

Por Paola Patriarca, G1 Itapetininga e Região. Revisado pelo DT.

Museu Paulo Setúbal é um dos principais pontos turísticos de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

O Museu Paulo Setúbal, em Tatuí, é considerado um dos principais pontos turísticos da cidade e um dos museus mais visitados do interior de São Paulo, segundo um levantamento do Instituto de Pesquisas.

O espaço foi criado em 1966 e conta com um acervo de 500 objetos que trazem a história de Tatuí , dos moradores e de como a cidade se transformou na "Capital da Música".

De acordo com o gestor do museu, Rogério Vianna, o prédio, que foi construído em 1920, já foi uma cadeia e, posteriormente, o fórum da cidade. Porém, em 1962 se tornou a Casa de Cultura Paulo Setúbal e, quatro anos depois, se transformou no museu.

Museu de Tatuí tem 500 objetos expostos (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Ainda segundo Rogério, a gestão da instituição, que estava desde 2008 sob responsabilidade da Associação Cultural de Amigos do Museu Casa de Portinari (ACAM Portinari), passou a ser feita pela Prefeitura de Tatuí, de acordo com a Lei Municipal 4.345 de 30 de abril de 2010, que oficializou a municipalização da instituição.

Em setembro de 2010, o espaço reabriu trazendo ao público uma nova exposição permanente com recursos multimídias que contemplam alguns recordes da história de Tatuí. Atualmente, são 500 objetos expostos e 1,5 mil livros. Além disso, há uma reserva com 5 mil objetos que são expostos durante eventos no museu ao longo do ano.

Patrono - O museu Paulo Setúbal recebeu esse nome devido ao jornalista, advogado, político e escritor nascido em Tatuí. Ao longo da carreira, Paulo escreveu 13 livros, entre os quais “A Marquesa de Santos”, “O Príncipe de Nassau” e “Confiteor”. O escritor chegou a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras e foi o escritor brasileiro mais lido na década de 20.

Em uma das paredes do museu, por exemplo, há um dos poemas mais conhecidos de Paulo Setúbal, que é o “Só tu”.

Sala com objetos do escritor Paulo Setúbal (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Acervo - O acervo do museu está dividido em várias salas do prédio. O subsolo, por exemplo, é dedicado a contar as participações de tatuianos em conflitos armados na Segunda Guerra Mundial e na Revolução de 1932. Há cerca 40 objetos utilizados durante a Revolução que, na época, tropas paulistas lutaram contra o governo federal pedindo uma nova constituição.

Há cerca 40 objetos utilizados durante a Revolução de 32 por moradores de Tatuí (Foto: Cláudio Nascimento/TV TEM)

Entre os objetos que mais chamam atenção da coleção está uma lata de água lacrada para ser usada apenas em caso de emergência durante os combates.

A água era usada só quando acabasse a água do cantil ou de outras fontes naturais. Além do recurso, muitos objetos são de ordem de segurança e vestimenta, como por exemplo, máscaras de gás e capacetes. Entre as armas há facões utilizados na época e dois sinalizadores.

Piso térreo

Objetos de Paulo Setúbal são expostos em museu de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

No piso térreo há o acervo de Paulo Setúbal com seus objetos e roupa. Além disso, há o "Gabinete de Leitura Nilzo Vanni" e auditório multimídia com capacidade para 44 pessoas.

Gabinete de Leitura ‘Nilzo Vanni’ (Foto: Arquivo Pessoal/ Tony Guedes)

Já no pavimento superior há uma sala com objetos que mostram a formação da cidade, os movimentos populacionais, os primeiros habitantes, os colonizadores, os conflitos gerados por eles, além de registrar a presença dos tropeiros na região.

Além disso, há um espaço que conta como a cidade se transformou na “Capital da Música” com exposição de instrumentos musicais de diferentes épocas.

Sala em museu mostra a importância do tropeirismo em Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Museu reúne objetos que contam a história de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Sala no Museu Paulo Setúbal conta a história da música em Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Visitas - O museu é aberto ao público e funciona de terça-feira a domingo, das 9h às 17h, na Praça Manoel Guedes, Centro. A entrada é de graça.

Segundo Rogério Viana, semanalmente o museu recebe 500 visitantes, desde grupos de escolas até moradores de toda a região. “Somos o museu mais visitado do interior de São Paulo. Muitos se interessam em saber sobre a história de Tatuí", afirma.

Ainda segundo Rogério, o museu também abre espaço para artistas locais e de fora com exposições itinerantes

Museu Paulo Setúbal traz a história de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Museu traz objetos usados pelos moradores de Tatuí no século XIX (Foto: Arquivo Pessoal/Tony Guedes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário