Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Venda de maquinários agrícolas cresce na região

Em Tatuí, a alta foi de 15% em relação ao 2º semestre do ano anterior.

Do G1 Itapetininga e Região

A venda de maquinários agrícolas cresceu no segundo semestre de 2016, na região. Em Tatuí, a alta chegou a ser 15% em relação ao ano passado. Conforme a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o país registrou crescimento de 22% durante o período, na comparação com 2015, quando 18 mil veículos foram comercializados.

Colheitadeiras valem o investimento aplicado, diz agricultor (Foto: Reprodução/TV TEM)

De acordo com o técnico agropecuário Felipe Corrêa, a busca por novas tecnologias é um dos fatores que motivou a reação das vendas no segundo semestre. “Eles [produtores rurais] querem melhorar a frota para ter menos prejuízo e mais produtividade. Consequentemente, a área também vai aumentar a produtividade e alavancar o aumento do maquinário”, relata.

O gerente de vendas Orlando Costa conta que a procura por máquinas cresceu desde julho. Com um custo que pode atingir até R$ 1,3 milhão, as colheitadeiras estão entre as mais procuradas. “O agricultor aumentou a área plantada em soja na nossa região. Isso impacta diretamente na compra de tratores e colheitadeiras. Temos observado que o agricultor tem fechado contrato de vendas futuras no mercado, com valor mais acessível para eles. Isso dá mais segurança para que se possa planejar o que fazer”, afirma.

Proprietário de uma fazenda com 75 hectares de feijão plantados, o agricultor Rafael Faz Florindo relata que o investimento no maquinário vale a pena. “Ela [colheitadeira] se paga sozinha. Na hora de fazer a compra até dá um medo devido ao valor elevado, mas ela mesma se paga”, destaca.

Para o gerente de fazenda Emerson Silveira Cézar, que trabalha em uma propriedade rural com aproximadamente 800 hectares de soja, em Itapeva, o aluguel de máquinas é arriscado. “Terceirizar é complicado. Quando está no ponto de colher não consegue por estar na dependência dos outros. Agora, se o produtor já possuir o maquinário, as coisas ficam mais fáceis. O investimento é alto, mas o resultado é melhor”, pontua.

Vendas de máquinas retomaram a partir de julho, indica Anfavea (Foto: Reprodução/TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário